5 razões para não beber refrigerantes

0
302

É sabido que os refrigerantes não fazem bem à saúde. Eis cinco razões para os eliminar na sua alimentação:

1 – Envelhecimento acelerado

Normal, diet, light ou zero, todos os refrigerantes de cola contêm fosfato, ou ácido fosfórico, um ácido que dá ao refrigerante o seu sabor típico e aumenta o seu tempo na prateleira. Embora ele exista em muitos alimentos integrais, tais como carne, leite e nozes, ácido fosfórico, em excesso, pode levar a problemas cardíacos e renais, perda muscular e osteoporose, e um estudo sugere que poderia até provocar envelhecimento acelerado.

Um estudo publicado em 2010, descobriu que os níveis de fosfato encontrados nos refrigerantes, fizeram com que ratos de laboratório morressem cinco semanas mais cedo do que os ratos cujas dietas tinham níveis normais de fosfato. Pior ainda, é a tendência preocupante dos fabricantes de refrigerantes em aumentar os níveis de ácido fosfórico nos seus produtos ao longo das últimas décadas.

2 – Pode causar cancro

Em 2011, a instituição sem fins lucrativos, Centro de Ciência para o Interesse Público, solicitou à Administração de Alimentos e Drogas americana a proibição do corante artificial caramelo usado para fazer Coca-Cola, Pepsi e outros refrigerantes marrons. O motivo: a existência de dois contaminantes na coloração que já causaram cancro em animais (metilimidazole e metilimidazol). De acordo com uma lista proposta na Califórnia de 65 de produtos químicos conhecidos por causar o cancro, apenas 16 microgramas por pessoa por dia de 4-metilimidazol é o suficiente para representar uma ameaça de cancro. Qualquer refrigerante (normal, diet, zero) contem 200 microgramas por 570 ml.

3 – Dentes podres e problemas neurológicos

Nos EUA, dentistas até deram o nome de um refrigerante (boca “Mountain Dew”) para uma situação que eles encontramem muitas crianças que o bebem em excesso. Elas acabam com a boca cheia de cáries causadas por níveis de açúcar em excesso.

Além disso, um ingrediente chamado óleo vegetal bromado, ou BVO, adicionado para evitar que o aroma se separe da bebida, é um produto químico industrial usado como retardador de chamas em plásticos. Também encontrado noutros refrigerantes e bebidas desportivas baseados em citros, o produto químico é conhecido por causar distúrbios de memória e perda nervosa quando consumido em grandes quantidades. Os investigadores também suspeitam que o produto químico se acumula na gordura do corpo, podendo causar problemas de comportamento, infertilidade e lesões nos músculos do coração ao longo do tempo.

4 – Latas tóxicas

Não é apenas o refrigerante que causa problemas. Quase todas as latas de alumínio dos refrigerantes, são revestidas com uma resina chamada bisfenol A (BPA), usada para impedir os ácidos do refrigerante de reagirem com o metal. BPA é conhecida por interferir com os hormónios e tem sido associada a tudo, de infertilidade a obesidade a algumas formas de cancro. E, enquanto a Pepsi e a Coca-Cola estão actualmente envolvidas numa batalha para ver qual a empresa que pode ser a primeira a desenvolver uma garrafa de plástico 100% baseada em plantas que elas estão divulgando como “sem BPA”, nenhuma empresa está disposta a retirar a substância das latas de alumínio.

5 – Poluição da água

 Os adoçantes artificiais utilizados em refrigerantes diet, não quebram nos nossos corpos, e nem o tratamento de águas residuais, consegue separá-los antes que entrem nos cursos de água. Em 2009, cientistas suíços testaram amostras de água tratada, rios e lagos na Suíça e detectaram níveis de acessulfame K, sucralose e sacarina em todos, substâncias usadas em refrigerantes diet. Um teste recente em abastecimentos de água municipal nos EUA, também revelou a presença de sucralose em todos os 19 estudados. Não está claro ainda o que esses níveis encontrados podem fazer com as pessoas, mas pesquisas anteriores concluíram que a sucralose em rios e lagos, interfere com os hábitos de alimentação de alguns organismos.

Deixar Resposta