Ginásio Clube de Bragança/Viver o atletismo a 100%

0
422

 O Ginásio Clube de Bragança nasceu em 1986 e está virado a 100% para o atletismo. Carlos Dinis Fernandes é o presidente e treinador deste clube que tem um orçamento de 4/5 mil euros para 116 atletas. Estes percorrem anualmente 25.000 quilómetros para poderem participar em provas no país e Espanha.

Estávamos em 13 de Agosto de 1986 quando uma conversa entre amigos conduziu ao nascimento do Ginásio Clube de Bragança, já de forma formal em 16 de Abril do ano seguinte. Podemos assim dizer que a criança demorou nove meses a nascer.

Carlos Dinis Fernandes é o atual presidente deste clube que tem 60 sócios que pagam uma quota mensal no valor de um euro (não atletas) ou cinco euros (atletas).

25.000 km por ano

O clube tem a sua sede num espaço cedido pela Câmara Municipal e tem desde a sua fundação, apenas a Secção de Atletismo em funcionamento, com 116 atletas, dos quais 60 são federados. A grande maioria dos atletas são veteranos mas a aposta na formação é nesta fase, o principal objetivo da Direção. É ainda um clube de maratonistas pois 15 deles já experimentaram a distância e tem outros três que irão fazer brevemente a sua estreia.

O GC Bragança participa em cerca de 50 provas, na pista, corta-mato, estrada e montanha. Contas feitas, são cerca de 25.000 quilómetros percorridos para correr em Portugal e Espanha.

Tem três treinadores, Sandra Cabral, o também presidente Carlos Fernandes e Maria Olímpia dos Santos.

 
4/5 mil euros de orçamento

foto-4-gc-bragancaO orçamento da Secção ronda os 4/5 mil euros e quanto a apoios financeiros, conta com subsídios da Câmara Municipal e pontualmente, da União de Freguesias e Sé, Santa Maria e Meixedo. Nos privados, a Fisioestação merece uma referência. Todos estes apoios são insuficientes para fazer face às despesas, sendo necessária uma grande ginástica para equilibrar as contas. A obtenção de receitas suplementares tem sido conseguida através da realização de provas.

O clube apoia os atletas com os calções e camisolas de corrida, as despesas com a participação em Campeonatos Nacionais, a quase totalidade das despesas de transporte para a participação em provas e algumas inscrições.

Clube de campeões

Nestes 30 anos de existência, foram vários os atletas do GC Bragança que se sagraram campeões distritais e da Zona Norte. Tem ainda, vencido coletivamente grande parte das competições organizadas pela Associação de Atletismo de Bragança.

Alguns dos bons valores nacionais iniciaram-se aqui como o sportinguista Adelino Monteiro, o benfiquista Ricardo Ribas e Rui Muga, campeão nacional de corrida em montanha.

Nomes em destaque

foto-2-gc-bragancaCarlos Fernandes mostra-se muito satisfeito e orgulhoso com os resultados obtidos pelos seus atletas. Refere-nos alguns deles:

João Carlos Melgo: “júnior com enorme potencial e que tem obtido resultados de relevo”. Foi este ano, 15º no Nacional de Corta-Mato Longo, 5º no Nacional de Corta-Mato do Desporto Escolar e 3º nos 2.000m obstáculos do Campeonato Nacional de Juvenis em 2016; 5 vezes campeão distrital de corta-mato; 5 vezes campeão distrital de mega Km 2014, 4º classificado nacional de Corta-Mato em 2014.

Tânia Fernandes: outra atleta em destaque e que conta no seu curriculum, com o triunfo na última edição da Corrida do Fim da Europa.

Eva Fernandes: várias vezes campeã Distrital de Corta-Mato e do Mega Km, com várias participações em provas nacionais.

– Rui Mário Alexandre: Vencedor do Torneio Atleta Completo, Nacional em 1997/98, em Infantis; Campeão Nacional de 400m, em 2000/2001, em Juvenis.

– João Dinis: Vencedor do DN/Jovem Nacional de Corta-Mato em 1990, em Infantis. Campeão Nacional dos 1500m Obstáculos, em 1994, em Juvenis.

– Ginásio Clube de Bragança: Campeão Nacional de Montanha em 2000/2001, coletivamente em Femininos.

 foto-logotipo-gc-bragancaGINÁSIO CLUBE DE BRAGANÇA

Concelho: Bragança

Ano fundação: 1986

Presidente: Carlos Dinis Fernandes

Sócios: 60

Atletas: 116, sendo 60 federados

Técnicos: 4

Orçamento: 4/5 mil euros

 Corrida das Cantarinhas

A Secção não se tem limitado a pôr os seus atletas a competir. Ela própria vem organizando há 17 anos a sua corrida. Durante 16 anos, a Milha das Cantarinhas e desde o ano passado, a Corrida das Cantarinhas na distância de 10 km, provas para os escalões jovens e uma caminhada. Nesta nova versão, o evento contou com cerca de 800 participantes, sendo 300 na prova principal. Número assinalável para uma região onde o desporto tem tido dificuldades em expandir-se.

 Muitas dificuldades na prática da modalidade na região

foto-1-gc-bragancaQuestionado acerca das principais dificuldades encontradas na prática da modalidade, Carlos Fernandes enumera-nos uma série delas, a começar pelas condições de treino, com a falta de iluminação e apetrechamento da pista. Mas existem mais algumas: “As condições climatéricas, a dificuldade em captar jovens para a modalidade. As dificuldades em captar apoios e patrocínios. O calendário competitivo distrital que tem poucas provas e pouca competitividade e é quase exclusivo para os jovens até ao escalão de juvenis, a (grande) distância que é necessário percorrer para participar nas competições”.

O Ginásio Clube de Bragança é um bom exemplo de como é possível um clube singrar, apesar de todas as contrariedades, algumas delas próprias da interioridade. Com bons dirigentes e atletas dedicados, podem-se criar campeões e cidadãos para a vida.

Deixar Resposta