Grupo Recreativo Cultural e Desportivo de Leião | Onde o atletismo é modalidade rainha

0
1004

O Grupo Recreativo Cultural e Desportivo de Leião pertence ao concelho de Oeiras e foi fundado na véspera do 25 de Abril de 1974. Nuno Gonçalo é o presidente do clube que tem 350 sócios e 300 praticantes no atletismo. Com um orçamento de escassos 2.000 euros, vem sendo ao longo dos anos, um dos melhores clubes do Torneio das Localidades do Concelho de Oeiras.

Cfoto-log-grcd-leiaooncelho: Oeiras
Ano fundação: 1974
Presidente: Nuno Gonçalo
Sócios: 350
Atletas: 300
Técnico: 3
Orçamento: 2.000 euros

O Grupo Recreativo Cultural e Desportivo de Leião está situado na freguesia de Porto Salvo, concelho de Oeiras. Foi fundado em 24 de Abril de 1974, precisamente um dia antes da Revolução dos Cravos. Um grupo de amigos sentiu necessidade de criar um clube onde se pudesse criar condições para a componente recreativa e desportiva. No início e como sucede em muitos clubes, a modalidade principal foi o futebol.

Nuno Gonçalo é o atual presidente do GRCD de Leião que tem 350 sócios que pagam uma quota mínima no valor de seis euros.

350 praticantes em seis modalidades

Com sede própria, o clube tem seis secções em funcionamento: Atletismo, Futsal, Setas, Pesca, Aerobic Dance e Futebol. Estas modalidades movimentam cerca de 350 pessoas, sendo que apenas as camadas jovens do futsal estão federadas e brevemente também as do atletismo. As senhoras são maioritárias no atletismo e na aerobic dance.

A Secção de Atletismo tem neste momento 300 praticantes e três seccionistas: António Gonçalves (sócio fundador), Pedro Ramos e Fernando Pestana.

Três atletas do clube fazem também as vezes de treinador apenas a nível das camadas jovens. São eles Ramos, Sara Marinho e Rui Lacerda.

O clube participa essencialmente em provas de estrada mas também um pouco na montanha e raramente na pista. Tem uma dezena de maratonistas.

“Todos dentro do clube remam no mesmo sentido, direção, seccionistas e atletas”

  Fazer 300 omeletes com poucos ovos

Quanto a subsídios estatais, o O GRCD Leião recebe um único apoio anual por parte da Câmara Municipal de Oeiras de cerca de 2.000 euros para todas as modalidades. Quase toda a verba é encaminhada para a Secção de Atletismo que tem um orçamento rondando os 1.500 euros já incluindo o prémio monetário que o atletismo obtém no Troféu das Localidades do Concelho de Oeiras.

Como é evidente, esta verba é insuficiente para os gastos tidos com os 300 praticantes da modalidade. Segundo Pedro Ramos, são feitas rifas anualmente, fomenta-se que os atletas sejam sócios e procura-se parcerias e patrocínios a todos os níveis. Este trabalho tem dado alguns resultados pois tem havido algumas empresas que patrocinam as camisolas como foi o caso do jornal Record na presente época. Segundo Pedro Ramos, se não existisse este patrocínio, quase toda a verba disponível seria para as camisolas.

O clube estabeleceu ainda um acordo com o Lagoas Health Club onde alguns atletas têm acesso em condições especiais no ginásio e em troca fazem a sua publicidade no Troféu de Oeiras. O projeto do atletismo jovem conta ainda com o importante patrocínio das camisola por parte da empresa de consultoria financeira Closer. “Estes patrocínios e/ou acordos só são possíveis graças a atletas ligados às marcas pois de outro modo, dificilmente conseguiríamos lá chegar. Todos dentro do clube remam no mesmo sentido, direção, seccionistas e atletas”.

Quanto aos apoios dados aos atletas, o clube inscreve todos os anos uma boa parte deles na Marginal à Noite e na Corrida do Tejo. Todos têm uma camisola e sempre que desejam ir a provas fora da região, o clube faculta as carrinhas e paga o gasóleo e portagens. No fim da época, o clube organiza um almoço de confraternização para os atletas.

A Secção organiza o Grande Prémio de Leião normalmente em Março, prova no âmbito do Troféu das Localidades de Oeiras, com cerca de 600 participantes.

Somos uma equipa humilde e trabalhadora e como tal, todos são importantes para a equipa, valorizando a amizade e o poder de entreajuda entre todos”.

Equipa onde todos são importantes

A Secção está satisfeita com os resultados dos atletas. O nosso entrevistado salienta a forma como eles se entregam à corrida e principalmente à principal competição que é o Troféu das Localidades do Concelho de Oeiras. “Dois atletas muito especiais merecem destaque, uma por ser bastante jovem e outro por ser bastante maduro e ter muito anos de dedicação ao GRCD Leião. A primeira atleta é a Mónica Pinto, uma atleta com nove anos mas com uma grande capacidade desportiva e já com alguma maturidade. Se não se perder, tem perfil para ser uma grande atleta. O outro é o Manuel Martins, um M70 com um vasto palmarés no Troféu de Oeiras e com muitos anos de dedicação ao GRCD Leião. Mas apesar de destacar estes atletas, considero que todos os atletas da equipa são importantes e não fazemos qualquer diferenciação. Somos uma equipa humilde e trabalhadora e como tal todos são importantes para a equipa, valorizando a amizade e o poder de entreajuda entre todos”.

Convite a novos atletas: horários e local de treino

Pedro Ramos quis aproveitar a oportunidade para divulgar o projeto de atletismo jovem, os horários e o local de treinos. “Estamos a treinar todas as segundas e quintas-feiras entre as 18h30m e as 20h30m na pista da Escola Luís Freitas Branco, pertencente ao Agrupamento de Paço de Arcos. É uma escola que fica junto ao Parque dos Poetas em Oeiras. Treinamos atletas dos 8 aos 17 anos. Todos aqueles que estiverem interessados, poderão enviar um mail para grcdleiao.seccaoatletismo@gmail  ou entrar em contacto via telefónica para Pedro Burrica Ramos, tlm. 933944314.

As principais dificuldades na prática da modalidade passam segundo o nosso entrevistado pelas condições de treino principalmente para os adultos. “Gostaríamos de dar mais condições de treino, nomeadamente facultar a pista a todos os atletas interessados e dar acompanhamento mais técnico por parte de um treinador. Temos ainda algumas dificuldades na angariação de atletas jovens, embora já tenhamos as condições mínimas para eles treinarem”.

Ser segunda e perguntar o nome à vencedora

Quanto a estórias engraçadas, Pedro Ramos conta-nos uma passada com uma benjamim. “Foi uma estória que me surpreendeu bastante, uma atleta nossa benjamim na sua primeira prova que correu, ficou em segundo lugar. Após a chegada à meta, perguntou o nome à primeira classificada e deu-lhe os parabéns, revelando bem a inteligência e fairplay que  esta miúda tem”.

Apelo à Federação Portuguesa de Atletismo

A terminar, Pedro Ramos deixou um apelo à Federação Portuguesa de Atletismo. “Passa pela promoção do desporto escolar como plataforma de lançamento da modalidade, dando apoios às escolas, quer em formação técnica quer em equipamentos, para que a modalidade possa ter um professor responsável em cada escola. É necessário envolver as Câmaras neste processo e os Clubes Locais, para dar continuidade, quer em treino quer em competição. No fundo, estou a apelar ao órgão máximo do atletismo que promova uma articulação entre todos os agentes desportivos da modalidade e canalize os meios, aposte na formação e nos jovens. Só assim poderemos criar condições para almejarmos ter atletas de topo dignos de jogos olímpicos, europeus ou mundiais”.

 

 

Deixar Resposta