23ºCampeonato da Europa de Corta-Mato | Paulo Guerra, rei português dos Europeus de Corta-Mato

0
2203

Realiza-se no próximo domingo dia 11 em Chia, Itália, o 23º Campeonato da Europa de Corta-Mato. No historial de todos os Europeus de Corta-Mato, Paulo Guerra e o ucraniano Sérgio Lebid são sem dúvida, os grandes reis. O português tem um brilhante palmarés pois venceu quatro das sete primeiras edições, em 1994, 1995, 1999 e 2000 e foi ainda segundo em 1996.

Paulo Guerra chegou a ser apelidado de o “queniano branco”. Foi o melhor europeu nos Mundiais por três vezes e também por três vezes, ficou num dos seis primeiros lugares. Foi 6º em 1995; 3º em 1999 e 4º em 2001.

Fazemos agora uma breve resenha das participações de Paulo Guerra nos Europeus de Corta-Mato

  • 1º Triunfo em 1994

O seu primeiro Europeu foi em Alnwick, na Inglaterra. Venceu com Domingos Castro em segundo lugar a 16 segundos.

“Uma vitória à Lopes? Bem, sim e não, foi uma vitória à Lopes com um cheirinho a Guerra!”

  • 2º Triunfo em 1995

Em 1995, o Europeu voltou a disputar-se em Alnwick. Paulo Guerra venceu com seis segundos de avanço do espanhol Alexandro Gomez.

 “Ainda me soube melhor que no ano passado por ter sido uma vitória mais difícil e conseguida, debaixo de uma maior pressão”

  • 2º classificado em 1996

Em 1996, a prova disputou-se em Charleroi, Bélgica, tendo Paulo Guerra sido segundo a 35 segundos do britânico John Brown.

“Tinha uma fezada em como, com a raiva que estava, poderia ultrapassar-me e ganhar. Afinal, a minha força mental era superior à minha forma física. Ao ouvir o hino inglês e lembrando-me que nos dois anos anteriores, tinha ouvido o português, quase senti vontade de chorar”

  • 3º Triunfo em 1999

Em 1999, Paulo Guerra regressou aos triunfos em Valenje, Eslovénia. Eduardo Henriques foi então segundo a cinco segundos.

 “Depois do 3º lugar no Mundial entre quenianos, seria frustrante não voltar aqui aos títulos europeus. Daí a minha revolta pela gripe que me atacou no princípio da semana. Foram três meses de treinos muito intensos que se perdiam numa semana. Mas, medindo a alegria que hoje senti com a do Mundial, continuo a dizer que aquela foi a melhor sensação que tive até hoje”

  • 4º Triunfo em 2000

O último triunfo de Paulo Guerra foi em 2000, com o Europeu a ser disputado em Malmo, Suécia. Guerra venceu então com dez segundos de avanço do futuro rei dos corta-matos, Sergey Lebed.

 “Corri muito bem taticamente. O ‘marroquino’ (Driss el Himer a representar a França) não havia meio de me largar, tive que ir bastante tempo com o prego a fundo. Ele é muito rápido, não podia deixar as coisas para a última volta. Tinha que correr esse risco. Um de nós ‘morria’, era o tudo ou nada”

Países mais medalhados

Portugal ocupa neste momento o quinto lugar nos países mais medalhados, somando as medalhas conquistadas individual e coletivamente.

 

Portugueses com mais presenças

Em masculinos, José Ramos é o atleta com mais presenças, 10. Em femininos, Ana Dias, Anália Rosa e Inês Monteiro, somam 12 presenças, sendo que Inês esteve presente em três como júnior.

Fraca presença nos últimos anos

Desde 2010 em masculinos, Youssef El Kalai foi o último português a ir ao pódio (bronze), em prova disputada em Albufeira. Nos dois últimos anos, Portugal não conseguiu sequer classificar-se coletivamente e individualmente, a prestação foi muito fraca, particularmente em masculinos. Em 2014, Eduardo Mbengani foi o melhor português ao ser 48º e o ano passado, Tiago Costa foi o melhor com o seu 43º lugar.

Ainda desde 2010, a prestação feminina foi bem melhor até 2013 através de Dulce Félix ao ser segunda em 2011 e 2012 e terceira em 2013. Em 2014, Salomé Rocha foi a melhor portuguesa ao ser décima e o ano passado, ela voltou a ser a melhor mas já em 21º lugar.

Depois da edição do ano passado disputada em Hières, França, onde Portugal teve a mais fraca presença de sempre, não são assim grandes as expetativas para este ano.

Para a prova em Itália, estão selecionados os seguintes atletas:

Seniores masculinos : Samuel Barata, Hugo Almeida

Seniores femininas: Salomé Rocha, Inês Monteiro, Daniela Cunha, Susana Francisco

Sub23 masculinos: André Pereira, Hugo Ganchas, João Pereira, Francisco Rodrigues

Sub23 femininas: Sónia Ferreira, Silvana Dias

Juniores masculinos: Hugo Gil, Filipe Fialho, Filipe Vitorino, Jorge Moreira

Juniores femininas: Sofia Teixeira, Lília Martins

Dos 18 selecionados, a veterana Inês Monteiro agora regressada, é quem apresenta melhor historial. Nas suas 12 presenças em juniores e seniores, ela conquistou oito medalhas, sete delas coletivamente e uma individualmente, de bronze em 2008, em Bruxelas. Foi ainda campeã europeia de juniores em 1999 e segunda em 1998.

 

 

Deixar Resposta