Clube Saca Trilhos Anadia/Embaixador da Bairrada no Trail e Orientação

0
440

O Clube Saca Trilhos Anadia tem quatro anos de existência. Albano João é o presidente do clube que tem 148 sócios. Com um orçamento de 5 mil euros, tem estado em destaque no Trail e na Orientação, com campeões nacionais e ibéricos.

O Clube Saca Trilhos Anadia existe desde 2016, embora o seu registo oficial date de 27 de Outubro de 2018.

Segundo Albano João, o seu presidente, tudo começou com algumas atividades ao ar livre, através de caminhadas com a parte gastronómica incluída. Daí aos treinos de grupo, três vezes por semana, foi um passo. E depois, claro, a participação em provas. “Assim foi até ao início de 2018, quando começou a ganhar forma a legalização do clube”. Este, foi o passo seguinte, importante para se ter acesso aos apoios oficiais.

Em 27 de Outubro de 2018, houve uma Assembleia Geral, para aprovação do regulamento interno e dos estatutos. A legalização foi feita no cartório notarial de Anadia em 19 de Maio de 2019.

Sócios muito ativos

Saca Trilhos - 1ª Prova STAO clube tem neste momento 148 sócios, todos com as quotas em dia, no valor de 15 euros anuais. Salvo raríssimas exceções, são sócios ativos, participando nas atividades ou iniciativas do clube.

O Saca Trilhos Anadia já tem a sua sede, cedida pela Câmara Municipal da Anadia e tem atualmente, três Secções em funcionamento: Pedestrianismo, Orientação e Atletismo, este último incluindo o Trail Running. A Secção com mais participantes é o pedestrianismo, na qual, participam quase todos os sócios. A Secção de Atletismo foi criada no dia 16 de Maio de 2016, com a participação no Trail Luso/Bussaco.

Atualmente, o Atletismo/Trail Running tem cerca de 30 atletas e a Orientação, sete. Dois dirigentes dividem a responsabilidade pela Secção: Albano João como responsável pela parte técnica e Inês João (filha) pela gestão. Albano é ainda, o treinador da equipa, com os treinos de conjunto a serem à 3ª feira, 5ª feira e domingo.

“O nosso clube tem uma missão, e um dos pontos fulcrais dessa missão é a promoção do tipo de vida saudável através do respeito pela natureza”

No clube, reina a paixão pela natureza e pelo trail

Saca Trilhos-TreinoO Saca Trilhos Anadia é bem mais conhecido no mundo do trail do que na estrada. Tudo tem a ver com uma maior paixão dos sócios pela natureza, que esteve na origem da fundação do clube. Segundo o seu presidente, “o nosso clube tem uma missão, e um dos pontos fulcrais dessa missão é a promoção do tipo de vida saudável através do respeito pela natureza. De uma maneira geral, todos os nossos sócios são amantes da natureza, daí a participação dos nossos atletas em provas de trail running ter mais afluência, do que o atletismo de estrada”.

O clube está inscrito e participa nas provas do circuito ATRP – Associação Trail Running de Portugal. Mas é nas provas abertas de trail onde tem mais participantes.

Apesar da predominância do trail, os atletas do clube também participam nas provas de estrada. A pista ainda não foi equacionada mas para Albano, “é sempre uma hipótese a considerar, dependendo da evolução do clube, que terá de ser feita de um modo sustentado”.

Atletas em destaque no Trail

Saca Trilhos-Inês JoãoApesar de ser um clube com apenas quatro anos de vida, os resultados têm aparecido, com alguns atletas em destaque. São os casos de Inês João com vários triunfos em provas nacionais e internacionais e, nos escalões de veteranos, António Mariz, Joaquim Sousa, Carla Santos, Eduardo Meireles, Cristina Meireles, Fernando Ribeiro, Ana Luísa, Joana João e José Pereira, entre outros.

E na Orientação

Na Orientação, o clube apresenta três campeões nacionais. Joaquim Sousa alcançou o título de campeão ibérico masculino, no passado mês de Fevereiro em Ávila, Espanha. Nesse mesmo campeonato, Albano João sagrou-se vice-campeão ibérico. Merece ainda uma referência, Palmira João, uma das atletas com mais títulos a nível nacional.

Saca Trilhos Anadia

Saca Trilhos Anadia - logotipoConcelho: Anadia

Ano fundação: 2016

Presidente: Albano João

Sócios: 148

Atletas: 30

Técnicos: 1

Orçamento: 5.000 euros

Objetivos para esta época

Face à atual situação de pandemia do coronavírus que levou à suspensão ou adiamento de inúmeras provas, é difícil definir objetivos para o resto da época. “Tínhamos expectativas elevadas na Orientação, onde a nossa equipa estava inscrita nos Campeonatos do Mundo WMOC 2020, na Eslovénia a realizar em Agosto, mas foram suspensos. Havia o objetivo de ter o Joaquim Sousa no pódio”.

Outro objetivo mas na distância de trail, passa pela atleta Inês João poder sagrar-se campeã nacional de seniores femininos. O campeonato está previsto para Setembro mas dificilmente se irá disputar.

Saca Trilhos-CaminhadaO Saca Trilhos Anadia pretende ainda este ano, consolidar-se e promover o desporto para pessoas mais necessitadas ou desfavorecidas e incrementar a divulgação da marca “Anadia” e “Bairrada”. Neste contexto, estava previsto para Maio, um evento de Orientação, com a realização dos campeonatos da ANDDI e uma etapa do Campeonato Nacional de Desporto Adaptado (para pessoas com deficiência intelectual), os quais tiveram de ser cancelados, pelas razões já conhecidas.

O clube tinha ainda prevista a realização do 1º Trail Anadia Capital do Espumante, que acabou por ser adiado para 27 Junho 2021.

“Arranjar jovens para a corrida é um trabalho árduo e ingrato”

Orçamento anual de 5.000 euros

A Secção de Atletismo tem um orçamento anual de cerca de cinco mil euros. Para além da quotização dos sócios, o clube conta com vários apoios, com destaque para a Câmara Municipal de Anadia. Albano mostra-se reconhecido: “Sem esse apoio, seria impossível obter os resultados alcançados até agora, ou realizar os eventos que nos temos proposto organizar. A Câmara Municipal de Anadia é um bom exemplo do apoio ao desporto. Não esquecer que Anadia foi candidata a cidade europeia do desporto 2020, que perdeu para Odivelas”.

Saca Trilhos-presidenteO clube conta ainda com o apoio da União da Junta de Freguesia Arcos e Mogofores e da Federação Portuguesa de Orientação.

As empresas privadas também têm dado o seu apoio. Merece destaque a parceria estabelecida com um ginásio local, Cross Company, “na qual nos ajudamos mutuamente na preparação dos atletas ou dos vários intervenientes”.

Apesar de todos estes apoios, as receitas auferidas pela Direção ficam um pouco aquém das necessidades, impedindo um maior apoio aos atletas.

“Para compensar essa necessidade, tínhamos previsto uma receita extra com a realização do 1º Trail Anadia capital do Espumante, que, entretanto, teve de ser adiado”.

O clube tem um regulamento interno de competição, onde estão definidos os apoios aos atletas federados no Trail e na Orientação. Nas provas não oficiais, tirando situações muito especiais, cada atleta paga as suas despesas.

Pandemia adia estreia do 1º Trail Anadia

O dia 28 de Junho de 2020 seria uma data especial para o clube com a disputa do 1º Trail Anadia, sendo expectável a presença de mais de mil atletas. “Já tínhamos os percursos definidos, maioritariamente single tracks e de rara beleza. As lembranças bastante apelativas, passavam pela oferta de uma verdadeira sandes de leitão à bairrada, uma garrafa de espumante, um flute de espumante em vidro alusivo ao evento e degustação final de espumante. Tudo isto foi adiado para 27/06/2021, em que colocamos a fasquia mais acima daquela que o seria este ano 2020”.

Futebol absorve jovens desportistas da região

Saca Trilhos - Meia maratona douro vinhateiroAlbano refere a dificuldade em descobrir jovens para a prática do atletismo e da Orientação. ”Todo o enfoque está virado para o futebol e quando procuramos praticantes, técnicos e apoios, a dificuldade é enorme. Por isso, é mais fácil arranjar praticantes de uma faixa etária mais adiantada na idade, pois as pessoas já têm a vida mais estabilizada (profissional, familiar, financeira, etc,…). Arranjar jovens para a corrida é um trabalho árduo e ingrato”.

A falta de uma pista de atletismo também não ajuda. “Não é fundamental, mas é importante, até por questões de segurança”.

“É nosso propósito, a promoção da amizade, confraternização e divulgação da marca ‘Anadia’ e ‘Bairrada’, sempre com o respeito pela natureza e pelo próximo”

Para quando o regresso das provas e em que condições?

Saca Trilhos - OrientaçãoA vida dos portugueses vai regressando pouco a pouco à normalidade, ainda que com regras de comportamento adequadas à situação de pandemia. O futebol regressa já no dia 3 mas, e o atletismo? Qual a opinião de Albano João? “O Saca Trilhos Anadia não vê a curto prazo a abertura para a realização, nas condições anteriores, das provas de atletismo ou trail. Talvez numa fase transitória, seja permitida a organização de provas, mas com menos atletas e adequar as partidas, percursos, abastecimentos, etc…, às condições de afastamento social. Por exemplo, na Orientação, as partidas são feitas em sistema de contra relógio e com corredores por escalões. Talvez se possa optar por este princípio no trail, mas com as respetivas adaptações. Pensamos que a Orientação pode regressar mais rapidamente à competição pois já tem implementado este tipo de metodologia”.

Quanto à hipótese de correr-se com máscara, Albano é claro: “A solução de correr com máscara, como algumas marcas desportivas já estão a desenvolver e a sugerir, não vimos grande aplicabilidade. No antes e pós prova sim, agora durante a corrida, achamos que não é aplicável”.

Primeiro troféu coletivo do Saca Trilhos Anadia

Saca Trilhos Anadia - Orientação 1Não há estórias caricatas mas há outras a merecerem uma referência como a passada no “Penacova Trail do Centro”. Num dia de grande temporal e com as classificações dos atletas do clube a ficarem longe do desejado, o clube vinha-se embora quando a Organização chamou as equipas para a cerimónia da entrega dos prémios coletivos. Para surpresa dos seus atletas, o Saca Trilhos Anadia ficou em terceiro lugar, obtendo assim o seu primeiro troféu coletivo.

Quando o autocarro dos caminheiros se meteu num “beco sem saída”

Esta estória passou-se com o grupo de caminheiros que se dirigia de autocarro para a serra da Lousã, com o objetivo de fazerem o PR2 que liga o castelo da Lousã ao Talasnal. “Ao chegarmos ao castelo, o GPS do condutor indica-nos um caminho mais curto. Resultado, a estrada era tão estreita que o autocarro nem ia para a frente nem para trás. Com muita calma, estratégia e paciência, lá se conseguiu fazer marcha atrás, sem que se tivesse ‘esmurrado’ a viatura”.

Preocupações sociais

A terminar, Albano João quis salientar os princípios que regem a atuação do clube. “É nosso propósito, a promoção da amizade, confraternização e divulgação da marca ‘Anadia’ e ‘Bairrada’, sempre com o respeito pela natureza e pelo próximo. Neste sentido, temos a preocupação na integração, na sociedade, das pessoas mais desfavorecidas e mais necessitadas”.

Deixar Resposta