Benfica (masc.) e Sporting (fem.) largamente favoritos no Nacional de Clubes

0
168

A época nacional terá este sábado a sua última competição – Campeonatos Nacionais das I, II e III Divisões -, com os clubes distribuídos por seis pistas (Guimarães, Vagos, Lisboa – Universitário, Lagoa, Ribeira Brava e Ponta Delgada), segundo a sua localização geográfica, pelo que não haverá despiques diretos. Neste campo, quase se poderão considerar duas as exceções: Benfica e Sporting decidirão os títulos em Lisboa; os clubes da Madeira terão um curioso “despique particular” na Ribeira Brava.

Como tem acontecido nos últimos anos (ou, desta feita, ainda mais nitidamente), Benfica, no setor masculino, e Sporting, no feminino, são largamente favoritos. Será o 11º título consecutivo tanto do Benfica como do Sporting, embora as “leoas” tenham já 24 vitórias nos últimos 25 anos.

No setor masculino, o Benfica é francamente favorito em 13 das 18 provas previstas (não haverá 5000 m e estafetas) e o Sporting só tem praticamente assegurada a prova de marcha (João Vieira). Prevêem-se bons despiques nos 100 m (José Pedro Lopes ou Francisco Curvelo vs Dorian Keletela ou Carlos Nascimento), 800 m (José Carlos Pinto vs Nuno Pereira), disco (Emanuel Sousa vs Edujose Lima) e martelo (António Vital Silva vs Ruben Antunes). O meio-fundista Paulo Rosário, que dominou no meio-fundo curto em pista coberta e ainda não competiu ao ar livre, deverá ser importante baixa no Sporting.

No setor feminino, o Sporting não deverá ter problemas em ganhar 12 das 18 provas. Serão exceções, os 100 e 200 m (a cubana Arialis Martinez é favorita), duas das corridas de meio-fundo (a benfiquista Marta Pen e a bracarense Mariana Machado), os 2000 m obstáculos (Joana Soares, J. Serra) e, eventualmente, a marcha (a bracarense Vitória Oliveira poderá pôr em causa o favoritismo de Vera Santos).

Mais equilibrada, será a luta pelos terceiros lugares no pódio que foram conseguidos pela equipa masculina do SC Braga (desde 2018) e pela formação feminina da J. Vidigalense (desde 2017), esta desde 2012, sempre 2ª ou 3ª classificada. Ambas, continuam principais candidatas a esses lugares de honra. No setor masculino, a J. Vidigalense (que competirá em Lisboa) tentará manter o 4º posto dos últimos dois anos, mas terá a oposição de duas equipas madeirenses, Água de Pena e Jardim da Serra. Completam o lote, o Grecas (de regresso à I Divisão após 2013) e a estreante Casa do Benfica de Faro. Na competição feminina, o SC Braga, 4º em 2018 e 2019, parece este ano algo enfraquecido, havendo nada menos de três equipas madeirenses (Estreito, J. Serra e Ág. Pena) candidatas ao lugar. O Grecas é um dos sete clubes que estão na I Divisão em ambos os sexos.

Na II Divisão, sem os campeões de 2019 (a Casa do Benfica de Faro subiu à I Divisão, o Srª Desterro não chegou a participar no apuramento), o Maia AC, primeira equipa apurada em ambos os sexos, tentará a (difícil) “dobradinha”.

As provas decorrerão, nas pistas do Continente, entre as 9.20 h e as 12.10 h e entre as 16.30 h e a 20 horas.

Espera-se que, a nível individual, seja possível, nesta derradeira competição da época, alterar um pouco a lista das melhores marcas do ano. De momento, comparando com os rankings de 2019, são melhores os líderes de apenas 4 provas masculinas (igualdade na vara) e 6 femininas. Desta atribulada época não se poderia esperar muito mais…                     MELHORES DO ANO

José Pedro Lopes* SLB 10,49 100 m Lorène Bazolo SCP 11,48
Frederico Curvelo* SLB 21,29 200 m Lorène Bazolo SCP 23,80
V. Ricardo Santos* SLB 46,99 400 m Cátia Azevedo SCP 52,70
Isaac Nader SLB 1.47,93 800 m Marta Pen SLB 2.05,60pc
Paulo Rosário SCP 3.42,41pc 1500 m Marta Pen SLB 4.06,94pc
Paulo Rosário SCP 8.01,93pc 3000 m Mariana Machado SCB 9.02,56pc
André Pereira SLB 5.28,50 2000 ob.** Joana Soares AJS 6.09,59
André Pereira SLB 8.40,70 3000 ob. Joana Soares AJS 10.03,29
João Oliveira SLB 14,00 110 /100 b. Olímpia Barbosa SCP 13,87
Diogo Mestre SLB 51,90 400 bar. Vera Barbosa SCP 57,65
Paulo Conceição SLB 2,28pc altura Anabela Neto SCP 1,86pc
Diogo Ferreira SLB 5,50pc vara Marta Onofre SCP 4,33pc
Ivo Tavares SLB 7,88pc comp. Evelise Veiga SCP 6,64
Pedro Pichardo SLB 17,17 triplo Patrícia Mamona SCP 14,33pc
Francisco Belo SLB 20,94pc peso Auriol Dongmo SCP 19,53
Emanuel Sousa SLB 58,30 disco Irina Rodrigues SCP 62,93
António Vital Silva SLB 70,82 martelo Vânia Silva SCP 63,04
Leandro Ramos SLB 76,72 dardo Cláudia Ferreira SCP 53,27
João Vieira SCP 11.33,61 3000 m M Ana Cabecinha COP 12.34,10pc
SL Benfica SLB 3.15,09 4×400 m Sporting CP SCP 3.37,70pc

* O luso-suíço William Reais tem 10,42, 20,59 e  46,45

** Sem vala

Nota 1: ainda não se correram os 5000 m e os 4×100 m

Atletas estrangeiros filiados em Portugal com melhores marcas: 100 m (M) – Dorian Keletela SCP 10,46; 400 bar. (M) – Lucírio Garrido SLB 50,76; 100/200 m (F) – Arialis Martinez SLB 11,43/23,74; martelo (F) – Valeria Chiliquinga ADCL 65,53

Melhores marcas ao ar livre:                                                                                       Masculinos: 1500 m – Isaac Nader SLB 3.45,59; 3000 m – Samuel Barata SLB 8.06,30; altura – Victor Korst SLB 2,25; vara – Diogo Ferreira SLB e João Pedro Buaró GDE 5,10; comp. – Ivo Tavares SLB 7,55; peso – Tsanko Arnaudov SLB 20,77                                      Femininos: 800 m – Salomé Afonso SCP 2.07,45; 1500 m – Marta Pen SLB 4.15,57; 3000 m – Mariana Machado SCB 9.13,60; altura – Anabela Neto SCP 1,80; vara – Marta Onofre SCP 4,00; triplo – Patrícia Mamona SCP 14,26; 3000 m marcha – Ana Cabecinha COP 12.43,41

 

 

 

 

 

 

Deixar Resposta