50% dos homens admitem ter sintomas depressivos na época natalícia

0
1515

 De: Joana Neves de Sousa

O Natal é um período festivo, conhecido por reunir as famílias à volta da mesa, mas de acordo com um estudo recente feito pela Samaritans, uma ONG britânica, metade dos homens admite sentir-se deprimido ou triste durante a época. Os especialistas sugerem que a solidão, a insegurança, a perda de entes queridos, as lembranças de infância e a falta de bom convívio familiar, são os principais motivos para essa vulnerabilidade, onde os homens assumem um lugar de destaque.

Hélder Flor, especialista em Medicina Tradicional Chinesa, dá o seu parecer: “é nesta quadra que o stress atinge o seu pico, mas o problema já vem de trás, apenas se revela com a pressão emocional, ligada a variadas pressões sociais”. A acupuntura pode ser a resposta para este problema, atuando como um estímulo localizado, que promove o equilíbrio hormonal. Afinal, são elementos hormonais como a endorfina, serotonina, melatonina ou adrenalina, que se responsabilizam pelas sensações: sono, alegria, angústia ou tristeza.

Neste campo, são os homens que se destacam pela tendência a serem mais fechados e menos crentes nos benefícios terapêuticos, mas o problema não fica pelo sexo masculino. No ano passado, os portugueses consumiram quase 11,8 milhões de medicamentos para combater a depressão, ansiedade e outros problemas de saúde mental. A procura de uma solução rápida leva a que estes não estudem outras opções mais naturais para o organismo. Com a chegada a dezembro, período onde existe uma maior tendência ao isolamento e, onde as dificuldades financeiras se realçam, esta condição pode agravar-se.

Para o especialista, o quadro pode ser prevenido e controlado, com técnicas alternativas aos fármacos, como a introdução da Medicina Tradicional Chinesa, com a acupuntura como um aliado para a saúde, mas também com algumas técnicas pessoais:

1)      Faça mais exercício: a prática de atividades físicas liberta serotonina, a enzima da felicidade e prazer.

2)      Acupuntura: cada vez mais existe um recurso às terapêuticas tradicionais como esta. De acordo com um estudo da Universidade de Hong Kong publicado no Journal of Alternative and Complementary Medicine, a acupuntura reduziu mais rápida e eficazmente os sintomas depressivos comparativamente com a administração de fluoxetina – um celebre fármaco. Marque a sua consulta e observe os resultados.

3)      Contrarie os maus hábitos: O corpo leva quase um mês a deixar um hábito, seja uma rotina de sedentarismo, uma alimentação com níveis altos de açúcar, ou mesmo o isolamento. Inscreva-se num novo hobbie, faça caminhadas ou até voluntariado.

4)      Evite locais de confusão: mantenha-se longe de tudo o que pode despoletar uma maior crise de ansiedade. Em vez disso, procure criar os seus próprios presentes de natal em casa ou compre online.

5)  Repense a sua alimentação: O seu estado emocional também é influenciado pela alimentação. Ao escolher os ingredientes e nutrientes adequados, poderá estimular a produção de serotonina, dopamina ou noradrenalina, que funcionam como tranquilizantes naturais que podem motivar a boa disposição e energia. Salmão, atum, leguminosas e frutas no geral podem fazer parte deste plano.

 

 

Deixar Resposta