8 de Março-Dia Internacional da Mulher/Mensagem de 12 mulheres que contam como eram as mentalidades quando começaram a correr

0
612

No Dia Internacional da Mulher, recolhemos o depoimento de 12 mulheres atletas: Graça Roldão, Fátima Silva, Sandra Teixeira, Chantal Xhervelle, Maria Céu Nunes, Luzia Dias, Inês Marques, Sara de Brito, Maria Isabel Areias, Liliana Veríssimo, Patrícia Serafim e Cristina Couceiro contam como era no tempo em que começaram a correr e deixam uma mensagem alusiva ao dia.

Comemora-se hoje 8 de Março, o Dia Internacional da Mulher, instituído em 1975 pela ONU. As celebrações já ocorriam desde 1909 em diferentes dias de Fevereiro e Março, a depender do país. A primeira celebração deu-se a 28 de Fevereiro de 1909 nos Estados Unidos.

Portugal é um dos cem países onde o dia é comemorado. Em muitas situações, as mulheres ainda lutam pela igualdade de género. O desporto é um dos setores da sociedade onde a igualdade tarda a chegar.

No caso do atletismo, temos assistido a uma grande evolução. Não há muitos anos, a percentagem de mulheres corredoras raramente ultrapassava os 5 a 10%. Aquelas que se aventuravam a correr nas estradas, ouviam de tudo em pouco. As mentalidades mudaram e agora, já temos muitas provas com mais de 30% de mulheres.

Para comemorar o dia, fizemos um pequeno inquérito a uma dúzia de mulheres atletas.

A mais velha tem 55 anos e a mais nova, 33. A mais antiga a correr fá-lo há 41 anos. A mais recente, fá-lo há seis anos. Apenas duas delas correm há menos de dez anos.

As suas respostas são esclarecedoras sobre como eram os tempos quando começaram a correr.

Uma nota especial para Fátima Silva que faz 50 anos de idade precisamente hoje. Os nossos parabéns!

Inquérito

1 – Clube

2 – Idade

3 – Corre há quantos anos

4 – Distância preferida

5 – Prefere correr em estrada ou trail?

6 – Como vê a mulher no atletismo comparada com quando começou a correr?

7 – Uma pequena mensagem alusiva ao 8 de Março

Graça Roldão

Graça Roldão1 – “Os Tugas”

2 – 55 anos

3 – Corre desde 2006

4 – Preferida, a Meia Maratona mas a mais desafiante, a Maratona!

5 – Vou fazendo quilómetros entre a estrada e o trail porque gosto de ambos. Ritmos, experiências e sensações diferentes…

6 – Muito mais mulheres sem dúvida, em todos os escalões e nas Minis ainda mais, o que é sempre um excelente começo.

7 – Nunca é tarde para começar a correr e cada uma a seu ritmo. O que importa é participar, conviver e desfrutar…

Fátima Silva

foto-3-fatima-silva1 – C.D. Póvoa

2 – 50 anos

3 – Corre desde 1996, só com uma paragem pelo meio aos 40 anos quando nasceu a minha filha Leonor.

4 – A minha distância preferida são os 10 km em estrada, nunca esquecendo que foram as Meias Maratonas e as Maratonas que mais prazer me deram correr.

5 – Atualmente, gosto de participar nas provas de estrada e no Nacionais de Masters.

6 – Vejo um atletismo feminino com mais participantes, também para isso contribuiu as mudanças de mentalidades das pessoas. Antigamente, quando ia treinar, ouvia certas críticas tais como a maneira como vestia, usando as calças de licra, calção curto. Isso não falando, nem pensar em usar calção-cueca, pois era o fim do mundo. Se a minha mãe não tinha trabalho para eu fazer em casa, etc….

Eram outros tempos, os treinos e as provas eram uma maneira de sairmos de casa e estar com os amigos e viajarmos para locais fora das nossas localidades, não tínhamos as condições nem as tecnologias que há agora.

Agora com mais condições, mais pistas, mais conforto de material de treino e de roupas, mais qualidades e acompanhamento de treino, acho que temos menos atletas de alta qualidade… Mas também, não temos os apoios que têm outras modalidades. Continuamos a ser o desporto pobre e temos que continuar a lutar para se mudar estes apoios e mentalidades.

7 – A minha mensagem para todas é a seguinte: Crer é poder e as melhores coisas da vida são aquelas que lutamos para conquistar, ultrapassando os obstáculos e superando os desafios, tudo conseguimos.

Sandra Teixeira

foto-sandrateixeira010120101- Sporting  Clube de Portugal

2- 41 anos

3- Corre há 26 anos

4- Corridas de Meio Fundo (800 m e 1500 m)

5- Em estrada, sem dúvida alguma.

6 – O atletismo passou a fazer parte da vida da mulher e hoje, o conceito de que correr era apenas para homens, já não existe. Cada vez  mais, vemos mais mulheres a correr e a perceber a importância desta atividade em todos os campos da vida.

7- Mulher, um ser guerreiro que pensa com o coração, exemplo de força, coragem, conquistas e determinação.
Enquanto Mulher, que nunca deixes de sonhar e lutar pelos teus ideais, porque ser mulher, é ser especial.
Feliz dia da mulher a todas as mulheres desportistas e nunca se esqueçam de cuidar de vocês, hoje e sempre.

Chantal Xhervellle

Chantal Xhervelle1 – A Natureza Ensina

2 – 52 anos

3 – Corre há 27 anos

4-  Meia Maratona

5 – Prefiro a estrada para competir e o Trail para trabalhar outros músculos que não se usam tanto em estrada. Para além disso, o Trail permite conhecer a natureza maravilhosa de Portugal.

6 – Houve uma grande evolução desde que comecei a correr. Agora, existem muito mais mulheres a participar em eventos e a treinar no dia a dia, à procura duma vida mais saudável.

A indústria também tem ajudado bastante ao criar linhas de vestuário e restante equipamento específico para senhoras.

7 – No dia 8 de Março, celebra-se o Dia Internacional da Mulher, um dia importante para refletir sobre o que já foi feito e o muito que ainda falta fazer para que haja igualdade de género em todas as vertentes da vida.

“A mulher é símbolo de força e determinação, por isso merece respeito. FELIZ DIA DA MULHER”

Maria Céu Nunes

Céu Nunes1 – Associação “Correr Lisboa”

2 – 43 anos

3 – Corre há 41 anos

4 – Prefiro 10 km e Meia Maratona

5 – Prefiro a estrada

6 – Em relação às corridas populares, é facilmente visível assistir a mais mulheres a correr. Começaram a prática desportiva, neste caso as corridas, já com mais idade,  muitas com uma família já formada e que conseguem conciliar as corridas com a família.

Quanto ao atletismo de competição, penso que continua a existir uma grande percentagem de abandono quando chegam à idade adulta, relacionado também com a conciliação da continuação dos estudos.

7 – Desejo que as mulheres se continuem a afirmar neste mundo que não é só dos homens e que mostrem que são tão capazes quanto eles.

Luzia Dias

foto-luzia-dias-11 – Sporting CP

2 – 49 anos

3 – Corre há 31 anos

4 – 10 km e Meia Maratona

5 – Estrada

6 – Mudaram muito as mentes. As meninas eram para estar em casa, nas tarefas domésticas. Chamavam-me “louca””, “não bate bem”, por andar a correr na rua. Hoje, as mentes estão mais abertas, as mulheres são mais felizes.

7 – A mulher é uma guerreira. Tem o dia a dia mais a prática desportiva. Mas assim, a mulher é mais bem-sucedida. Está sempre em forma para superar qualquer problema que surja. A prática desportiva leva a gerir melhor as coisas do dia a dia.

Inês Marques
duratrail2017-ines-marques
1 – We Run
2 – 43 anos
3 – Corre há dez anos, após ter sido mãe. Antes, fez várias modalidades, ginástica acrobática, natação…

4 – Acima dos 20 km.
5 – Trail sem dúvida, natureza, diversidade de percurso…
6 – Quando comecei, era quase exemplar único…lembro-me de correr na rua para treinar e ser considerada ET por todo o bairro…Neste momento, onde ainda vivem os meus pais, e no percurso que fazia antigamente, pela berma da estrada, nasceu uma ciclovia; vejo dezenas de pessoas a usufruírem desse equipamento, desde manhã até à noite. Mudam-se os tempos…
Por outro lado surgem cada vez mais provas para atletas amadores, runners, ou o que quiserem chamar… A adesão é muito grande, e o  sector feminino revela-se!  Alerta às organizações que por vezes, mantém um número de escalões masculinos muito superior ao feminino, e no contexto atual, não faz muito sentido.
7 –  Uma data para lembrar que a Mulher é um pilar da nossa sociedade; seria interessante que este pensamento perpetuasse, numa base diária, na mente de todos os que celebram este dia.

Sara de Brito

foto-1-sara-brito1 – Clube Atletismo da Barreira

2 – 49 anos

3 – Corre há10 anos

4 – 25 – 40 km

5 – Trail

6 – Hoje em dia, as coisas evoluíram bastante e existem muito mais mulheres a praticar a modalidade. O nível competitivo é mais elevado. Existem mais mulheres praticantes e mais mulheres a treinar especificamente, com treinos planeados e orientados por treinadores, o que sem dúvida, é uma mais-valia para a modalidade.

7- Nunca é tarde para alterarmos o nosso estilo de vida, tornando-nos ativas. Calça umas sapatilhas, e vem dar cor aos trilhos e a ti própria!!!

Maria Isabel Areias

Maria Areias em setúbal1 – DAR – Desp. Atlético de Recardães

2 – 35 anos

3 – Corre há 21 anos

4 – 10 km do Triatlo

5 – Adoro a natureza mas agora, dedico-me à estrada

6 – Bem… ao ler esta questão fico logo com um sorriso no rosto, porque felizmente, hoje a mulher que pratica desporto, e neste caso a mulher no atletismo, é aceite pela sociedade, amigos e família. Mas há 21 anos atrás… ouvia-se falar dos momentos de glória da Rosa Mota, mas era apenas isso…depois a mulher devia era estar em casa a ajudar os pais, ou a trabalhar.

7 – Kathrine Switzer foi a primeira mulher a correr a maratona, lembremo-nos deste marco histórico. Tal como esta maratonista, acredito que ainda temos de correr muitas outras maratonas!

Por isso  dia 8 de Março é o Dia da Mulher e devemos festejá-lo. Mas mais do que isso, devemos incentivar outras mulheres a ter o direito e a liberdade de praticar qualquer desporto que nos realize e nos faça sentir bem!

Liliana Veríssimo

Liliana Veríssimo1 – Clube Desportivo Areias de São João

2 – 33 anos

3 – Corre há cerca de 6 anos

4 – 5 km e Meia Maratona

5 – Prefiro correr em estrada, apesar do Trail ser muito bom para preparar a pré-época ou fugir à rotina da estrada.

6 – Vejo que a mulher se tornou um ser mais confiante e que conseguiu sempre demonstrar que tem tão grandes capacidades como os homens, que é exímia na sua capacidade de trabalho, lutar, acreditar e no querer mais. Neste momento, apesar de haver ainda diferenças, temos visto uma grande evolução no respeito como se trata a mulher atleta.

7 – A mensagem que deixo é que, nunca nos devemos achar menos que ninguém, que ao longo dos tempos, temos vindo a demonstrar uma capacidade inata de luta e vontade de conquistas. Por isso, enquanto mulheres, devemos acreditar em nós, no nosso valor e dom e no que isso traz de importante para a sociedade.

Patrícia Serafim

Troia_Patricia_Serafim_20181 – Beja Atlético Clube

2 – 36 anos

3 – Corre há cerca de 10 anos (antes, também praticou outros desportos)

4 – Prefiro a Meia Maratona

5 – Prefiro trail mas faço mais estrada

6 – Vejo mais mulheres no atletismo comparado com uns bons anos atrás. Mas talvez mais no trail do que propriamente a fazer provas de estrada, onde acho que elas andam a desaparecer…

7 – Às mulheres, deixo a mensagem: nesta vida somos umas grandes guerreiras, pois além da nossa casa e família, ainda há tempo para fazemos o que nos dá prazer, que é correr…Viva as mulheres!

Cristina Couceiro

Cristina Couceiro1 – ARSM – Associação Recreativa de S. Miguel

2 – 43 anos

3 – Corre há 8 anos.

4 – Tenho feito provas curtas e provas de ultra distância. A preferência depende muito do que estamos a treinar, se velocidade, se endurance. De qualquer forma, provas além dos 50/60 km não estão nas minhas preferências.

5 – Estrada e Trail, acho que se complementam. De momento, tenho feito apenas provas de Trail, mas gosto de fazer provas de estrada e também treino muitas vezes em estrada. No Trail, a verdade é que já fiz muit@s amig@s e as provas são sempre uma boa oportunidade de @s rever.

6 – Sem ter feito estudos aprofundados e sem ter bases científicas que possam suportar o que vou dizer, parece-me que agora há mais mulheres a correr, a treinar e a procurar bons resultados competitivos, do que quando comecei. Mesmo dentro da minha equipa, o número de mulheres a correr aumentou exponencialmente, o que considero positivo.

7 – Não é uma data que comemore ou que ache particularmente importante, apesar de reconhecer a pertinência do contexto histórico que lhe deu origem.

Haver um Dia da Mulher diz muito sobre o que ainda é necessário percorrer para atingir a igualdade de género.

Deixar Resposta