9 Benefícios do Tomate – Para Que Serve e Propriedades

0
3856

São inúmeros os benefícios dos tomates para a saúde. Mas não os guarde no frigorífico!

Portugal é o terceiro maior produtor de tomates da União Europeia, sendo responsável pela produção de 9,1% dos tomates produzidos nos Estados-membros. O país que mais produz é a Itália, seguida pela Espanha.

Os italianos e os espanhóis foram, em conjunto, responsáveis por quase dois terços dos tomates produzidos na União Europeia em 2016. Itália foi responsável por 35,5% e Espanha por 28,2%. Seguem-se Portugal com 9,1%, a Grécia com 5,5% e a Holanda com 4,8%.

O tomate é um dos alimentos mais amplamente consumidos em diversas culturas. A sua versatilidade e o seu sabor, bem como a facilidade do seu cultivo, tornaram-no num dos vegetais mais populares em muitos países. Significativamente, o tomate é um dos principais elementos da chamada “dieta mediterrânea“, sempre elogiada pela sua capacidade de promover a longevidade e sobretudo, de evitar doenças cardiovasculares.

Grande parte desse sucesso deve-se, sem dúvida, aos benefícios do tomate para a saúde. Inúmeras pesquisas demonstram como o tomate é riquíssimo em substâncias que previnem uma longa lista de doenças, além de ser um alimento saudável de modo geral: as suas propriedades beneficiam muito quem procura perder peso e podem até mesmo, ajudar no ganho da massa muscular.

Selecionamos nove benefícios do tomate, para melhor entender para que serve este fruto para a sua saúde e boa forma.

1. Carotenoides e Antioxidantes

O tomate é um alimento carregado com uma poderosa bateria de antioxidantes. Entre esses, os mais importantes são os quatro principais carotenoides: alfacaroteno, betacaroteno, luteína e licopeno. Esses quatro antioxidantes trabalham em sinergia uns com os outros, de modo que a presença dos quatro, torna o tomate um antioxidante poderosíssimo.

O papel dos antioxidantes na redução dos níveis de radicais livres é importantíssimo, de modo que um dos principais benefícios do tomate é combater os efeitos dos radicais livres, entre os quais encontram-se muitas doenças crónicas e degenerativas, além de aspetos indesejados do envelhecimento. O grande papel do tomate na prevenção do cancro deve-se sem dúvida aos seus poderosos antioxidantes, sobretudo ao licopeno.

2. Perda de Peso

Um tomate médio tem cerca de 20 calorias. Esse valor, baixíssimo se considerado o tamanho dos tomates, torna-o um dos alimentos mais apropriados para promover a perda de peso. De facto, muitas dietas são planeadas com grandes quantidades de tomate, uma vez que consumir uma maior quantidade desse alimento volumoso e de baixo nível energético, diminui o consumo de outros alimentos, em geral bem mais calóricos. O ideal para esse objetivo é comer os tomates antes de cada refeição.

A grande concentração de fibras do tomate também serve para que a sensação de saciedade seja maior após o seu consumo, de modo a evitar o excesso de comida nas horas seguintes. Tão importante quanto isso é, porém, o sabor do tomate: ele induz a escolhas saudáveis para quem cozinha as próprias refeições, uma vez que o seu baixo valor calórico vem acompanhado de um raro sabor adocicado.

3. Vitaminas e Minerais

Os tomates são dotados de uma grande variedade e concentração de vitaminas e minerais. As suas propriedades destacam-se pelos altos volumes de vitamina A e de vitamina C, responsáveis por muitos benefícios do tomate à saúde, como o combate aos radicais livres e o aumento da imunidade.

Entre os minerais, o tomate contém ainda os benefícios do magnésio, que atua nos músculos e nos ossos, favorecendo um metabolismo energético mais eficiente. De todos os minerais, porém, o mais significativo no tomate é o potássio. Essa importância torna-se ainda maior se considerarmos que a maior parte das pessoas não consome os níveis recomendados desse mineral. Os efeitos benéficos do potássio são extremamente amplos, uma vez que é importante para a transmissão nervosa, para a contração muscular e para o equilíbrio de fluidos e do metabolismo.

4. Prevenção e Alívio da Hipertensão

O sucesso do tomate na dieta mediterrânea tem as suas razões. As altas concentrações de potássio do tomate tornam-no um poderoso alimento na prevenção da hipertensão, uma vez que esse mineral atua em favor da dilatação dos vasos sanguíneos. Incluir níveis saudáveis de potássio na dieta é, sem dúvida, uma alteração extremamente benéfica para o controle ou redução dos níveis de pressão arterial, configurando-se mais um dos benefícios do tomate.

5. Colesterol e Doenças Cardiovasculares

O consumo regular de tomates tem sido cada vez mais relacionado à redução dos níveis de colesterol LDL (o colesterol “mau”) e nos níveis de triglicerídeos. Uma vez que esses elementos têm um papel importantíssimo no desenvolvimento de doenças cardiovasculares, o tomate demonstra de modo definitivo as suas propriedades para a prevenção dessas doenças.

Outras substâncias presentes no tomate, como o ácido fólico e a niacina, também estão amplamente relacionadas à redução do risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

6. Pele, Dentes e Cabelo

Os benefícios do tomate para a estética são diretamente influentes na saúde da pele, dos dentes e do cabelo. Os seus benefícios para a saúde dessas partes do corpo humano fizeram do tomate uma das principais matérias-primas para produtos estéticos, sobretudo os destinados a combater os efeitos do envelhecimento. Além disso, uma vez que a pele e o cabelo são extremamente sensíveis a deficiências nutricionais, o consumo regular de tomates é um meio extremamente eficaz de mantê-los em boa aparência e, sobretudo, saudáveis.

7. Massa Muscular

Os benefícios do tomate para o aumento da massa muscular estão sendo cada vez mais claramente expostos pela ciência. O equilíbrio nutricional para que serve o tomate é necessário para o crescimento da massa muscular, que também é estimulado diretamente pelo tomate.

A tomatidina, uma molécula obtida pelo corpo humano através do consumo de tomates, possui propriedades que inibem a atrofia muscular, estimulando a síntese proteica e, portanto, o crescimento dos músculos. Essa substância é mais concentrada nos tomates ainda verdes, que são assim especialmente recomendados para os praticantes do culturismo. É possível, porém, obtê-la também nos tomates maduros.

Além disso, há estudos que têm apontado que o consumo do sumo de tomate após treinos de resistência muscular, favorece a recuperação dos músculos de modo extremamente eficiente, de modo a os atletas poderem obter, a longo prazo, melhores resultados.

8. Cálculos Renais

A influência do tomate sobre os cálculos renais é complexa, mas em geral positiva. O tomate possui propriedades desintoxicantes que influenciam positivamente o funcionamento dos rins, além de promover efeitos diuréticos que aumentam o volume de líquido eliminado pelo corpo. Uma vez que mais líquidos passam pelos rins, há uma menor hipótese de desenvolvimentos dos cálculos renais.

As altas concentrações de minerais, porém, podem nesse caso tornar-se um ponto negativo. Sobretudo o potássio, pode tornar-se um dos principais componentes dos cálculos, de modo que se recomenda um consumo moderado às pessoas que já têm um histórico de cálculos renais.

9. Ação Anti-inflamatória

A capacidade do tomate em diminuir as inflamações no corpo é uma de suas principais propriedades para a prevenção de doenças crónicas. A ação anti-inflamatória dá-se pela redução dos níveis da proteína TNF-Alpha, cujos altos níveis são relacionados a doenças crónicas e degenerativas como a doença de Alzheimer, o cancro, a osteoporose e diversas doenças cardiovasculares.

Considerações

Poucos alimentos são tão versáteis como o tomate, que pode ser consumido cru ou em complexas formas preparadas, como nos populares molhos. O mais interessante nisso tudo, porém, é que o tomate também é um dos poucos alimentos cujas propriedades podem ser realçadas pelo cozimento.

O aquecimento dos tomates provoca alguma perda nos níveis de vitamina C, mas realça a absorção de inúmeras das suas substâncias benéficas. O mesmo efeito é obtido com o acréscimo de gorduras saudáveis, como as presentes no azeite ou em vegetais como o abacate.

Finalmente, é importante lembrar que os tomates estão entre os vegetais mais contaminados por produtos tóxicos durante o cultivo, de modo que os benefícios do tomate podem muitas vezes vir acompanhados por uma carga de veneno. Recomenda-se procurar conhecer a procedência dos tomates, dando preferência aos de origem orgânica.

Não guarde os tomates no frigorífico

É científico: guardar tomates no frigorífico é um disparate. Os frutos perdem sabor que nunca mais voltam a recuperar, mesmo depois de uns dias em cima da bancada da cozinha. Cientistas da Universidade da Florida analisaram os genes dos tomates durante três e sete dias, a uma temperatura de 5 graus Celsius e em três fases – antes, durante e depois da refrigeração.
No fim, descobriram que os tomates são extremamente sensíveis ao frio e que as temperaturas baixas reduzem a atividade de centenas de genes produtores de enzimas, as responsáveis pelo sabor e aroma do fruto. O estudo foi publicado na revista Proceedings of National Academy os Sciences.
Provas cegas, concluíram ainda que mesmo depois de uns dias fora do frigorífico, os tomates não recuperam o sabor original. O ideal é mantê-los numa fruteira em cima da bancada e consumi-los no espaço de uma semana. Saiba como armazenar outros alimentos.

 

 

Deixar Resposta