África do Sul considera que há “caça às bruxas” contra Caster Semenya

0
1607

O Governo sul-africano afirma que o novo regulamento que vai obrigar as atletas femininas com elevada taxa de testosterona a reduzir os valores, é uma “caça às bruxas” contra Caster Semenya.

“Esta desafortunada e intencionada decisão, é no melhor dos casos, uma caça às bruxas”, afirmou a ministra sul-africana do Desporto, Tokozile Xasa, num comunicado.

A ministra expressou “deceção” e “desgosto” contra a decisão da IAAF que obrigará as atletas com uma elevada produção endógena de testosterona a reduzir os seus níveis – possível mediante medicação – para competir em certas provas e ver reconhecidas as suas marcas.

A ministra perguntou inclusive se a decisão da IAAF não é uma forma de procurar diminuir o domínio das atletas sul-africanas no quadro das medalhas e apelou aos sul-africanos a manifestar a sua oposição a estas novas regras “desenhada para pôr em desvantagem” as suas atletas.

Também assegurou que o Executivo tomará todas as medidas ao seu alcance para contestar a medida, que é vista no país como racista, sexista e deliberada para acabar com a supremacia de Semenya.

A atleta ainda não se pronunciou diretamente sobre a polémica decisão mas compartilhou algumas mensagens na sua conta do Twitter. “Que bonito é permanecer calada enquanto outros esperam que estejas furiosa”, foi uma das publicações.

Semenya é muito popular e querida no seu país, onde é considerada um exemplo e durante o dia, centenas de cidadãos anónimos mostraram o seu apoio e carinho através das redes sociais.

Deixar Resposta