Ana Cabecinha 2ª e Pedro Isidro 8º na Taça da Europa de Marcha

0
3031

Boa presença portuguesa na Taça da Europa de Marcha, em Podebrady (Eslováquia), com as melhores posições individuais de sempre nos 20 km femininos (Ana Cabecinha 2ª), 50 km masculinos (Pedro Isidro 8º) e 10 km juniores femininos (Inês Reis 8ª) e a melhor posição coletiva neste escalão (4º).

A nota principal vai naturalmente para Ana Cabecinha, que confirmou ser candidata à vitória. Foi 2ª com 1h29m44s, igualando a melhor classificação de sempre de Susana Feitor (2ª em 2005), tendo sido apenas batida pela italiana Antonella Palmisano, que já lhe havia ganho nos Jogos do Rio (4ª-6ª) e agora gastou 1h27m57s. A espanhola Laura Garcia-Caro fechou o pódio, com 1h29m57s.

Muito bem esteve igualmente Mara Ribeiro, que voltou a bater o seu recorde pessoal (de 1.37.33 para 1.35.45), mínimo para o Europeu de Sub’23 e que a confirma como 9ª portuguesa de sempre. Inês Henriques, desta vez (uma raridade!) foi desclassificada e daí Portugal ter ficado fora da classificação coletiva, na qual teria bastado um seu 14º lugar (tempo inferior a bem acessíveis 1.34.24) para Portugal ser segundo, apenas batido pela Espanha, que somou 18 (inacessíveis) pontos e à frente da Itália (que fez 34 e somaria 35).

Também Pedro Isidro esteve em foco, ao conseguir a melhor posição portuguesa de sempre nos 50 km (8º lugar), à frente dos décimos postos de Pedro Martins em 2003 e Augusto Cardoso em 2009. O benfiquista conseguiu 3h56m38s, a sua terceira marca de sempre (tem 3.55.44 como melhor), mínimo para o Mundial de Londres. Triunfou o ucraniano Ivan Banzeruk, em 3h48m15s e, coletivamente, verificou-se a única não vitória espanhola (em cinco provas!), já que a Ucrânia foi a melhor das apenas quatro seleções pontuadas.

Na sua 12ª presença (é totalista!), João Vieira foi 14º nos 20 km, conseguindo o objetivo-mínimo para o Mundial de Londres, com 1h22m42s. O mesmo não poderá dizer Miguel Carvalho, 22º com 1h23m30s, aquém da marca pedida (1h23m00) mas com um recorde pessoal (tinha 1h25m40s) que o coloca já como quinto português de sempre. Triunfou o alemão Christopher Linke, em 1h19m28s.

Apenas em juniores femininos, Portugal se classificou coletivamente (eram precisos dois atletas na meta) e fê-lo com um muito agradável quarto lugar, igualando a melhor posição de sempre, alcançada em 2000. Nesse ano, Vera Santos fora 8ª (com 47m22s), melhor posição nacional de sempre, agora igualada por Inês Reis, que gastou 48m48s, recorde pessoal por quase dois minutos (!) e mínimo para o Europeu de Juniores. Muito bom igualmente o 10º de Carolina Costa, cujo tempo (49m15s) confirma mínimo para o Europeu (já tinha 49m01s). Já, no setor masculino, Rodrigo Marques esteve muito mal: foi 36º (em 38 concorrentes) com 50m11s, bem longe do que vale.

Em suma: uma presença, embora diminuta em número, bastante agradável, embora haja que levar em linha de conta a ausência quase total dos marchadores russos.  Uma das raras admissões (como atletas neutros) foi a de Yana Smerdova, vencedora destacada da prova de juniores.

 

 

 

Deixar Resposta