Asics divulga pesquisa em 12 países acerca dos hábitos dos corredores durante a pandemia

0
390

No mês em que se celebra o Global Running Day, a ASICS anunciou uma série de

iniciativas destinadas a ajudar o mundo da corrida durante e após a pandemia. Além de um estudo global realizado com corredores populares de 12 países para entender e acompanhar as mudanças de comportamento dessas pessoas afetadas pela pandemia, a marca vai apoiar atletas profissionais desamparados.

“A ASICS reafirma o seu compromisso com o desporto ao criar ações globais e locais no combate às consequências da pandemia para a comunidade da corrida. Estamos orgulhosos em anunciar a campanha “Run to Feel”, com diversos projetos que trarão um impacto muito positivo para várias pessoas do segmento”, afirmou Constanza Novillo, Head de Marketing da ASICS América Latina.

De acordo com as primeiras descobertas deste recente estudo realizado pela ASICS, o mundo apaixonou-se pela corrida durante o confinamento. A marca reuniu dados de mais de 14 mil praticantes regulares da corrida.

Os números apontam que mais de um terço dessas pessoas (36%) estão mais ativas agora do que eram antes do início da pandemia do COVID-19 – apesar de a maioria das modalidades terem paralisado.

Durante o mês de Abril, o aplicativo registou aumento de 252% nos registos em todo o mundo, e um aumento de 44% em utilizadores ativos mensais em comparação com o mesmo período do ano passado. O estudo também relatou um aumento global de 62% pessoas saindo para uma corrida semanal. Comparado com o mesmo período do ano passado, houve um aumento de 47,3% (globalmente) no número de pessoas a correr.

A percentagem é maior (81%) entre os que dizem que a corrida desempenha um papel fundamental para espairecer a mente, enquanto dois terços (65%) afirmam que os benefícios mentais da corrida superam outras atividades físicas.

Além disso, para a maioria das pessoas, (78%) o papel do desporto vai ganhar mais relevância nas suas vidas depois da pandemia. E mais da metade (59%), pretendem adaptar novas rotinas de treino iniciados durante o isolamento, à rotina que tinham anteriormente.

Yasuhito Hirota, presidente da ASICS, concorda que a corrida ganhou outros significados: “Para a maioria de nós, o atual momento traz-nos ansiedades, incertezas e restrições. Como provam as descobertas iniciais do nosso estudo, uma corrida tornou-se muito mais do que apenas uma corrida. É uma maneira de as pessoas deixarem de lado os inúmeros desafios mentais dessa pandemia, apesar de estarem fisicamente confinados”.

Os 14.000 praticantes regulares em 12 países que participaram nesta pesquisa têm idades entre 18 e 64 anos e exercitam-se, pelo menos uma vez por semana. Cada país teve mil pessoas a responder, exceto dois: Austrália, Brasil, China, França, Alemanha, Índia, Itália, Japão, Rússia, Espanha, Reino Unido (2.000) e Estados Unidos (2.000).

 

Deixar Resposta