BALANÇO DA ÉPOCA 2017 – 5000 METROS (M)

0
2011

Hélio Gomes com excelente estreia, mas…

  • Nível geral continua muito fraco

Hélio Gomes foi a sensação da época, ao conseguir, em estreia na distância, 13.35,00, marca que na última década apenas Rui Silva (13.25,94 em 2011) superou. Já dera excelentes indicações ao sagrar-se campeão nacional de estrada. Mas uma posterior análise antidoping positiva poderá deitar tudo a perder… A confirmar-se esse cenário, passará Samuel Barata a líder do ano, com 13.58,29, a mais fraca marca do nº 1 nacional desde… 1971!

O nível geral da especialidade voltou a cair, depois de 2016 ter sido o melhor dos últimos cinco anos. A média do top’10 foi de 14.17,23 e a do top’20 de 14.31,45. Pior, desde 1973 (top’10) e 1976 (top’20) apenas 2011, 2014 e 2015! Se Hélio Gomes vier a ser desclassificado, as médias (14.23,77 e 14.35,32) passarão a ser as piores dos últimos 45 (desde 1973) e 43 anos (desde 1975)… As melhores médias de sempre datam de 1987 e são quase um minuto melhores que as atuais (13.26,96 e 13.36,74), o que significa que, em média, os atuais atletas correm quase um minuto mais lento que os de há 30 anos.

O PÓDIO

1º HÉLIO GOMES (SPORTING)

Os seus 13.35,00 de Huelva, em meados de junho, foram uma excelente estreia. Resta saber se serão validados (aguarda-se decisão dos órgãos disciplinares), face à análise antidoping positiva na sequência de uma prova de 3000 m dias antes, na Bélgica. O atleta foi suspenso cerca de um mês depois, não voltando a competir.

2º SAMUEL BARATA (BENFICA)

Embora sem bater o seu recorde pessoal (13.56,43 em 2016), fez um bom conjunto de provas: 13.58,29 na Bélgica, 4º no Europeu de Seleções (14.06,61), título nacional (14.13,68) e vitória na I Divisão (14.22,03).

3º RUI PINTO (BENFICA)

O (folgado) campeão nacional de corta-mato bateu por três centésimos (13.59,45) o seu recorde pessoal (foi 17º no Meeting de Huelva) e depois fechou o pódio no Campeonato de Portugal (14.19,43).

E AINDA…

Apenas mais uma referência, para Eduardo Mbengani que, embora longe do que já fez (13.35,29 em 2010), foi o melhor português no Meeting do Benfica (3º com 14.14,08) e foi vice-campeão de Portugal (14.15,14).

A REVELAÇÃO: CRISTIANO PEREIRA (CP MANGUALDE)

Outra estreia auspiciosa na distância foi a de Cristiano Pereira (21 anos), que ganhou destacado no Campeonato do Mundo IPC, em Londres, no escalão T20 (deficientes intelectuais), com 14.29,80.

Veja aqui o ranking 2017

e aqui o ranking mais aprofundado

Deixar Resposta