BALANÇO DA ÉPOCA 2017 – DARDO (F)

0
3269

Cláudia Ferreira sucede a Sílvia Cruz

  • Nova recordista júnior lidera ranking que foi encabeçado por Sílvia em 17 das 18 últimas épocas

Sílvia Cruz liderou os rankings nacionais em 17 das últimas 18 épocas, falhando apenas em 2003 (Cristina Ferreira). Este ano, sucedeu-lhe Cláudia Ferreira, que bateu o recorde nacional júnior (que pertencia a Sílvia) com 51,50. Curiosamente, a recordista nacional (com ainda distantes 59,76) recuperou o título nacional que perdera para Cláudia Ferreira em 2016, ganhando com 47,85, contra 46,94 da sua jovem companheira de equipa, e somando o seu 15º título desde 2000.

O nível geral, porém, foi modesto. A média das 10 melhores foi igual à de 2016 (44,43) e ficou a cerca de metro e meio do recorde de 2006 (45,84) – foi a 10ª de sempre. A média das 20 melhores baixou de 40,99 em 2016 para 40,76, a um metro e pouco do recorde (41,85 em 2003), sendo a 9ª de sempre.

O PÓDIO

1ª CLÁUDIA FERREIRA (SPORTING)

Tinha 49,85 como melhor em 2016 e sagrou-se campeã nacional sub’23 com 51,50, novo recorde nacional de juniores (antes: Sílvia Cruz 50,81 em 1999) e marca que a coloca como 5ª portuguesa de sempre. Conseguiu depois 50,26 e 49,49 no Torneio Internacional de Leiria, a fechar a época, durante a qual esteve consistente à volta de 48 metros. Foi 14ª na qualificação do Europeu de juniores, com 47,33.

2ª SÍLVIA CRUZ (SPORTING)

Dividindo-se entre Portugal e Inglaterra, a veterana (36 anos) recordista competiu pouco e conseguiu como melhor 49,97. E foi 10ª no Europeu de Seleções.

3ª MARLENE ARAÚJO (BENFICA)

Progrediu de 43,83 em 2016 para 46,17 a fechar a época, subindo a 11ª de sempre.

E AINDA

Progressos de Jéssica Barreira, de 43,83 para 44,09 (nos Estados Unidos, onde estuda) e de Nanci Sousa, de 42,32 (em 2010!) para 42,47. A veterana Cristina Ferreira (52,52 em 2003) ainda lançou a 43,45 aos 37 anos e foi 3ª no Campeonato de Portugal (e 2ª na I Divisão). Elisabete Silva, que chegou a ser candidata a sucessora de Sílvia Cruz (50,06 como júnior), ficou-se pelos 42,64. Entre as juniores, Mariana Bento, com 41,66, ficou aquém dos 42,67 de há um ano, e Sara Firmino progrediu de 38,37 para 41,52. Ainda acima dos 40 metros, progressos também da sub’23 Catarina Monteiro, de 37,80 (em 2013) para 40,86.

A REVELAÇÃO: BÁRBARA BICA (SPIRIDON GAIA)

Ainda juvenil de 1ª época, lançou o dardo de 600 g a 36,91 e melhorou, com o de 500 g, de 38,60 para 42,68, sagrando-se campeã nacional juvenil e vencedora do Portugal-Espanha deste escalão.

Veja aqui o ranking 2017

… e aqui o ranking mais aprofundado

 

 

 

 

Deixar Resposta