Balanço da época 2018 – Triplo (F): Patrícia, Susana e a surpresa Lecabela

0
1916

As duas melhores portuguesas de sempre, Patrícia Mamona e Susana Costa, não estiveram muito felizes (em especial a recordista nacional) mas, a seguir, acima de 13 metros, houve nada menos de cinco atletas a progredirem, com relevo para a surpreendente Lecabela Quaresma, que esteve no Europeu no heptatlo e… triplo. O nível do ranking foi, naturalmente, o melhor de sempre e por boa margem: passou de 13,00 em 2013 para 13,38 (top’10) e de 12,48 em 2013 para 12,75 (top’20) – as maiores progressões de sempre!

PÓDIO:

1ª PATRÍCIA MAMONA (SPORTING)

Operada a um joelho no inverno, acabou por nunca atingir o seu nível habitual, embora mantendo a liderança, pelo 10º ano nos últimos 11 (Susana Costa foi primeira em 2013). Com 14,65 como melhor em 2016, ficou-se agora pelos 14,19, uma vez em França e outra na I Divisão, em Braga. Foi 6ª nos Jogos do Mediterrâneo (13,79) e ficou fora da final no Europeu (apenas 13,92, a sua terceira marca da época).

2ª SUSANA COSTA (AC. F. RIBEIRO)

Não conseguiu chegar ao nível de 2017 (14,35 como melhor), mas qualificou-se para a final do Europeu, com 14,17, sendo depois 11ª na final, com 13,97. Outra marca acima de 14 metros: 14,01 em França. Foi 2ª no Campeonato Ibero-Americano (13,76) e 5ª nos Jogos do Mediterrâneo (13,81).

3ª LECABELA QUARESMA (J. VIDIGALENSE)

Grande e surpreendente progressão, de 13,21, em 2011, para 13,90, com outra marca de 13,87 na qualificação do Europeu de Berlim. Foi 4ª nos Jogos do Mediterrâneo (13,04) e no Campeonato Ibero-Americano (13,24 ventosos).

E AINDA…

Evelise Veiga progrediu bem, de 13,29 para 13,65 e foi 2ª no Campeonato do Mediterrâneo sub’23. Idem para Ana M. Oliveira, de 13,07 para 13,52, e para Lucinda Gomes, de 12,72 (já de 2012) para 13,14. Shaina Mags também melhorou, de 13,27 para 13,37.

A REVELAÇÃO: PATRÍCIA RODRIGUES (BENFICA)

Ainda júnior, progrediu de 11,75 (em pista coberta, em 2017) para 12,48 – nada menos de 73 cm. Mas a sua segunda marca (e melhor de ar livre) foi de 12,19.

Ranking da época: http://atletismo-estatistica.pt/anuais/absolutos-2018-f-2/

 

Deixar Resposta