Balanço da época 2019 – Martelo (M): António Vital Silva com Décio Andrade mais perto

0
732

António Vital Silva foi o líder anual pelo quinto ano consecutivo mas a sua vantagem diminuiu de quatro metros e meio em 2018 (sobre Dário Manso) para metro e meio (sobre o jovem Décio Andrade). Com 71,74, Vital Silva ficou aquém dos seus 73,26 de recorde pessoal da época passada, enquanto o jovem madeirense progrediu mais de três metros (67,30-70,42) e tornou-se o quarto português acima dos 70 metros. Mais dois atletas se aproximaram e as médias dos 10 e 20 melhores do ano subiram (60,75 e 52,05) mas continuam aquém dos recordes de 2007 (61,87 e 54,76) – foram, respetivamente, a 3ª e a 5ª de sempre (mas a top’10 foi a melhor desde o recorde).

PÓDIO:

1º ANTÓNIO VITAL SILVA (BENFICA)

São dele as quatro melhores marcas da época e oito das dez melhores, embora aquém do nível de há um ano. Passou quatro vezes os 70 metros, com 71,74 em Leiria e 71,59 no Campeonato de Portugal como melhor.. Foi 6º no Europeu de Seleções, com 68,72.

2º DÉCIO ANDRADE (GD ESTREITO)

No seu último ano como sub’23, progrediu de 67,30 para 70,42 ainda nos Estados Unidos (onde está a estudar), tendo outras duas marcas acima dos 69 metros ainda antes de regressar a Portugal. Foi campeão nacional sub’23 (68,01) e 11º no Europeu da categoria (66,96).

3º MIGUEL CARREIRA (SPORTING)

Só lançou no inverno mas mesmo assim progrediu de 67,08 para 69,80 (5º português de sempre), com 68,78 como segunda marca (2º no Nacional de inverno).

E AINDA…

Revelação em 2018, o ex-júnior Ruben Antunes voltou a progredir bem, de 62,90 para 68,20, com 67,07 como segunda marca e regularidade nos 65/66 metros (foi vice-campeão sub’23). O veterano Dário Manso chegou a 67,27 e ainda foi vice-campeão nacional (65,76) e, acima de 50 metros, há a ainda a referir os progressos de outro veterano, Agostinho Silva, que melhorou de 48,36 para 52,06 no Campeonato de Portugal (5º).

A REVELAÇÃO: DIOGO FREITAS (GD ESTREITO)

De entre os mais jovens, o destaque vai para este madeirense, ainda juvenil, que progrediu de 48,97 para 59,46 com o martelo de 6 kg e chegou a 69,00 com o de 5 kg.

Ranking da época em http://atletismo-estatistica.pt/

Deixar Resposta