Balanço da época 2019 (Sub’23 M) – Júnior Leandro Ramos com recorde de Portugal

0
160

A grande figura da época no escalão sub’23 foi um júnior: Leandro Ramos, já em foco na época passada (então 2º no nosso pódio), bateu o recorde nacional sub’23 no dardo e superou mesmo o recorde de Portugal. Foi o ponto alto de uma boa época. Os líderes anuais foram melhores que os de 2018 em 14 das 23 provas e, entre os melhores das 21 provas individuais, nada menos de cinco ainda são juniores (eram três há um ano) e apenas quatro deixarão de ser sub’23 em 2020 (no ano passado subiam a seniores nada menos de dez!). Foram 15 os atletas a progredirem no top’10 nacional de sempre de sub’23 (17 em 2018), com destaque para os lançadores: nada menos de três no top’3, cinco no top’6 e sete no top’8. Larga vantagem dos concursos (11) sobre as corridas (apenas 4).

A nível internacional, a presença masculina no Europeu sub’23 foi fraca: apenas Décio Andrade (11º) chegou a uma final (martelo). João Coelho (2º) foi ao pódio dos 400 m no Campeonato do Mediterrâneo.

Coletivamente, o Benfica conquistou (e com larga vantagem sobre o Sporting: 25,5 p.) o 11º título nacional consecutivo e, em pista coberta, já leva 15, tantos quantos os disputados!

PÓDIO:

1º LEANDRO RAMOS (BENFICA)

Ainda júnior, progrediu de 73,61 (já era o 2º português de sempre) para o recorde de Portugal (77,52). Foi 8º na Taça da Europa de Lançamentos, com 72,63.

2º DÉCIO ANDRADE (GD ESTREITO)

Progrediu de 67,30 para 70,42, tornando-se o segundo sub’23 acima dos 70 metros, depois do recordista nacional Vítor Costa (72,32). E foi 6º sub’23 na Taça da Europa de Lançamentos e o melhor português no Europeu da categoria (11º).

3º EMANUEL SOUSA (BENFICA)

Na sua primeira época como sub’23, progrediu de 52,40 até 56,94 e é já o terceiro sub’23 de sempre, a seguir a Edujose Lima (60,83 em 2018) e Jorge Grave (57,38 em 2004).

E AINDA…

Ainda júnior, Gerson Baldé foi revelação (progrediu de 2,02 para 2,17). Bons progressos, ainda, de dois sub’23 de 1ª época, Ruben Antunes no martelo (62,90-68,20) e Manuel Dias no decatlo (de 7256 na prova júnior para 7023 na de seniores), ambos já quartos de sempre entre os sub’23 e com mais dois anos à frente no escalão. José Carlos Pinto foi, juntamente com Leandro Ramos, o melhor nacional na sua prova (800 m).

RECORDES NACIONAIS SUB’23 BATIDOS EM 2019

Dardo           Leandro Ramos (SL Benfica)             77,52       Castellón           26-05-2019

SUBIDAS NO TOP’10 SUB’23 DE SEMPRE

Leandro Ramos SLB dardo 77,52
Décio Andrade GDE martelo 70,42
Emanuel Sousa SLB disco 56,94
Gerson Baldé SCP altura 2,17
Ruben Antunes SCP martelo 68,20
Manuel Dias SLB decatlo 7023
William Reais (Sui) 200 m 21,00
Rodolfo Garcia SCP peso 16,63
Edson Gomes SCP 110 b 14,16
João Pedro Buaró GDE vara 5,12
Mykyta Sudashov SCP disco 53,35
Ilírio Nazaré SCP dardo 65,80
Gonçalo Veloso SLB altura 2,12
10º José Carlos Pinto SLB 800 m 1.47,84
José Neto AJS 110 b 14,21

OS MELHORES SUB’23 DO ANO PROVA A PROVA

110 bar. Edson Gomes 98 SCP 14,16
400 bar. Paulo Soares 00 SLB 52,46
Altura Gerson Baldé 00 SCP 2,17
Vara João Pedro Buaró 01 GDE 5,12
Comp. Yvan Ribeiro 99 (Fra) 7,37
Triplo Pedro Pinheiro 98 SLB 15,44
Peso Otoniel Badjana 98 SLB 17,01
Disco Emanuel Sousa 99 SLB 56,04
Martelo Décio Andrade 97 GDE 70,42
Dardo Leandro Ramos 00 SLB 77,52
Decatlo Manuel Dias 99 SLB 7023
20 km M Paulo Martins 99 SCP 1.30.07
50 km M Não houve
4×100 m Sel. Nac. Sub’23 40,17
4×400 m SL Benfica 3.15,33pc

Nota: indicamos, sucessivamente, prova, atleta, ano de nascimento, clube, marca e lugar no ranking nacional do ano

Deixar Resposta