Balanço da época 2020 – 100 metros (F): Lorène Bazolo contra… estrangeiras

0
118

As principais provas nacionais foram dominadas por atletas estrangeiras ou naturalizadas. Nos principais despiques, a cubana Arialis Martinez (casada com Pedro Pichardo) derrotou a naturalizada Lorène Bazolo no Meeting de Lisboa (11,43-11,49) mas perdeu com ela na I Divisão (11,39-11,42 ventosos). A brasileira Tamiris de Liz ficou mais distante: 11,64 como melhor.

PÓDIO:

1ª LORÈNE BAZOLO (SPORTING)

Continuou (pelo 5º ano consecutivo) a dominar o ranking nacional, embora, aos 37 anos, já não faça os mesmos tempos: conseguiu 11,49 e 11,52 (e 11,39 ventosos) contra um recorde pessoal de 11,30 em 2016.

2ª ROSALINA SANTOS (SPORTING)

Depois de um recorde pessoal de 11,60 em 2018 e de uma época de 2019 em branco, regressou bem, sendo vice-campeã de Portugal com 11,72 (e 11,62 ventosos na eliminatória) e 11,77 no Meeting de Lisboa.

3ª BEATRIZ ANDRADE (SPORTING)

Atleta-sensação em 2018 (11,82 como juvenil), ficou agora próximo, sagrando-se campeã nacional de juniores com 11,89, tendo ainda 11,99 e 12,03.

E AINDA…

Sofia Duarte, que conseguiu 11,85 em 2019, chegou agora a 11,93 e fechou o pódio do Campeonato de Portugal com 12,01. Catarina Lourenço, excelente em 2019 (11,89), não esteve tão bem esta época (12,04). Referência ainda para Inês Cruz, que progrediu de 12,65 para 12,31.

MELHORES PROGRESSÕES: ÍRIS SILVA (AA MAFRA) e LEONOR FERREIRA (MARATONA)

Íris Silva progrediu de 12,25 para 12,04 ao ser vice-campeã nacional júnior, tendo ainda marcas de 12,10, 12,18 e 12,19. Leonor Ferreira, ainda juvenil de 1º ano, progrediu de 12,45 para 12,25 (com outra marca de 12,29).

Ranking da época em http://atletismo-estatistica.pt/

Nota: face à escassez de provas, optámos este ano por salientar, prova a prova, as melhores progressões em vez das revelações, embora mantendo o foco essencialmente nos mais jovens.

Deixar Resposta