Balanço da época 2020 – altura (M): A melhor época de sempre

0
97

Foi a melhor época de sempre do salto em altura, com recordes de Portugal (Paulo Conceição), recordes nacionais sub’23 (Gerson Baldé), três atletas a 2,23 ou mais, nove a 2,07 ou mais, 10 marcas acima de 2,19, a melhor média de sempre do top’10. Excelente.

PÓDIO:

1º PAULO CONCEIÇÃO (BENFICA)

Logo em fevereiro, no Luxemburgo, bateu por duas vezes no mesmo concurso o seu recorde de Portugal, de 2,24 (em 2016), primeiro passando 2,25 e depois 2,28. Uma semana depois conseguiu 2,25 em Pombal mas a seguir lesionou-se com gravidade e terminou a época. Uma pena. Foi a 7ª vez nos últimos 8 anos que liderou o ranking nacional.

2º GERSON BALDÉ (BENFICA)

Com 2,17 em 2019, enquanto júnior, progrediu agora até 2,23 (recorde nacional sub’23), mas tem outras marcas de 2,21, 2,20 (duas) e 2,19 (outras duas). Excelente. Foi campeão de Portugal (pista coberta e ar livre) e ganhou na I Divisão.

3º VICTOR KORST (BENFICA)

Passara 2,20 enquanto júnior, em 2015, mas várias lesões tornaram a sua carreira muito irregular. Voltou este ano a plano de muita evidência com 2,21 em pista coberta e 2,25 ao ar livre mas voltou a competir muito pouco e a sua terceira marca é de “apenas” 2,15.

E AINDA…

Tiago Pereira, que passou 2,21 em 2015 mas tem privilegiado o triplo, fez algumas provas e passou 2,14, sendo vice-campeão nacional e ganhando a I Divisão de pista coberta. Nelson Pinto melhorou de 2,09 em 2019 para 2,10 e passou três vezes esta altura em pista coberta (foi vice-campeão nacional). Diogo Oliveira igualou os 2,07 da época passada e sagrou-se campeão nacional de juniores (pista coberta e ar livre). Já de Gonçalo Veloso, também júnior, esperava-se melhor que os 2,09 conseguidos (chegara a 2,12 em 2019).

MELHORES PROGRESSÕES: FRANCISCO BARRETO (SC BRAGA) e JOÃO DUARTE (MAIA AC)

São dois os atletas escolhidos, face à dificuldade em optar. E já nem se consideram os três do pódio… Com perto dos 24 anos, ambos progrediram bem. Francisco Barreto de 2,08 (em 2018) para 2,11, marca que fez duas vezes (uma delas para ser vice-campeão de Portugal), tendo ainda uma outra de 2,10. João Duarte passara 2,01 em 2018 e conseguiu duas vezes 2,07 em pista coberta e uma vez 2,08 ao ar livre. Ranking da época em http://atletismo-estatistica.pt/

Deixar Resposta