BALANÇO DA ÉPOCA DE 2017 (M)

0
3951

Medalhas de Nelson Évora em ano de recuperação

  • Três recordes de Portugal (Diogo Ferreira na vara, Tsanko Arnaudov no peso e Francisco Belo no disco) e rankings com ligeira melhoria

 

2017 foi um ano positivo no setor masculino (e no feminino também, como veremos noutro artigo), com as medalhas de Nelson Évora no Europeu de pista coberta (ouro) e no Mundial de ar livre (bronze), os recordes nacionais da vara, peso e disco e uma melhoria no nível geral dos rankings, embora ainda bem longe dos do final do século passado/início deste…

Depois de analisarmos a época prova a prova, chegou a altura de um balanço geral. Balanço que é positivo desde logo porque os rankings melhoraram. Das 23 marcas líderes do ano, apenas cinco foram piores que em 2016 – 5000 m (se não considerarmos Hélio Gomes, que deverá ver a sua marca anulada), altura, 20 km marcha e as duas estafetas. E as médias (pontuadas segundo a tabela IAAF 2008) tiveram uma subida de 959,3 para 965,6 pontos (top’10 de cada uma das 19 provas consideradas) e de 902,1 para 907,1 pontos (top’20). A média das 10 melhores é a 7ª de sempre mas ainda longe da do ano 2000 (975,5 p.). A dos top’20 é a melhor desde 2004 mas ainda a oitava de sempre e longe do recorde de 915,4 pontos em 2000. Para esse atraso, muito contribui a quebra nas corridas (exceto as de 100 e 200 m), já que nos saltos e lançamentos temos estado perto das melhores pontuações de sempre. Este ano, as médias de 100 m, 200 m e peso foram as melhores de sempre.

A nível clubístico, o Benfica renovou (pelo 7º ano consecutivo) o título masculino de pista, mas perdeu para o Sporting o de pista coberta (a lesão de Marcos Chuva foi fatal ao Benfica num despique muito equilibrado). No setor de meio-fundo, houve divisão de títulos: o Benfica ganhou na estrada e o Sporting no corta-mato. Nos escalões jovens masculinos (sub’23, juniores, juvenis), o Benfica fez mais uma vez o pleno, tanto ao ar livre como em pista coberta.

PÓDIO

1º NELSON ÉVORA (SPORTING)

Embora sem atingir as marcas de outras épocas e, nomeadamente, as de 2015 (17,52 como melhor), ano do seu regresso a alto nível após vários problemas físicos, esteve a muito bom nível nos dois grandes momentos: sagrou-se campeão europeu de pista coberta (com 17,20) e foi terceiro no Mundial de Londres (com 17,19). E assim juntou mais duas medalhas ao seu fabuloso palmarés…

2º TSANKO ARNAUDOV (BENFICA)

Mais dois recordes nacionais do peso, com 21,08 em pista coberta e sensacionais 21,56 ao ar livre, sendo regular acima dos 20 metros e meio. E foi quarto no Europeu de pista coberta.

3º FRANCISCO BELO (BENFICA)

Surpreendentes progressos tanto no peso (de 19,58 para 20,86) como no disco (de 56,15 para 62,01!), batendo o recorde nacional nesta última especialidade. E fechou a época ganhando nas Universíadas.

MENÇÕES HONROSAS

O pódio deveria ter quatro lugares para lá podermos incluir também Diogo Ferreira, que bateu o recorde da vara, com 5,71, e ganhou no Europeu de Seleções e nas Universíadas. Em grande plano esteve também David Lima, com grandes progressos nos 100 m (10,29-10,05) e 200 m (20,62-20,30) que o colocam como segundo de sempre, apenas superado por… Francis Obikwelu. António Vital Silva no martelo, Samuel Remédios no decatlo e Emanuel Rolim nos 1500 m, entre outros, também progrediram bem.

A REVELAÇÃO: LEANDRO RAMOS (GIRA SOL)

Ainda juvenil, já lançou o dardo de 800 g a 63,65 e, no de 700 g, com 67,39, tornou-se o segundo juvenil de sempre, atrás de Tiago Aperta (69,84). Promete…

POSITIVO

+ As medalhas (ouro e bronze) de Nelson Évora no Europeu de pista coberta e Mundial de ar livre.

+ Os recordes nacionais de Diogo Ferreira (vara), Tsanko Arnaudov (peso) e Francisco Belo (disco)

+ A melhoria (embora ainda longe dos melhores anos) do nível geral dos rankings das várias provas

+ O 5º lugar de Portugal no Europeu de Seleções, atendendo às várias baixas sofridas

+ A presença global no Europeu de pista coberta, a segunda melhor de sempre

+ O 2º lugar do Sporting na Taça dos Clubes Campeões Europeus de corta-mato, apesar da presença decisiva de um atleta argelino (que foi 2º), “alugado” apenas para essa competição.

NEGATIVO

– A não classificação nas Taças da Europa de marcha (apesar de alguns bons resultados individuais) e de 10.000 m

– A fraquíssima presença no Europeu de corta-mato

– A anulação (à última hora) do Meeting de Stº António

RECORDES NACIONAIS BATIDOS EM 2017

Disco            Francisco Belo (Benfica)                  61,55       Leiria-CNL          25-02-2017

Peso              Tsanko Arnaudov (Benfica)         21,08pc       Belgrado-SER     05-03-2017

Disco            Francisco Belo (Benfica)                  61,68       Vagos                11-06-2017

Disco            Francisco Belo (Benfica)                  62,01       Vagos                11-06-2017

Vara              Diogo Ferreira (Benfica)                    5,71       Lisboa-I            17-06-2017

Peso              Tsanko Arnaudov (Benfica)             21,56       Vaasa-FIN          24-06-2017

Nota: Vítor Ricardo Santos obteve 32,88 aos 300 m em Potchefstroom, África do Sul (a 1351 m de altitude), marca apenas conhecida muito recentemente e que supera o recorde nacional. Mas não será reconhecida como tal, pois o atleta não fez controlo antidoping na altura.

SUB’23
4×100 m SL Benfica 41,17 Pombal 01-07-2017
 (clubes) (José Lopes-Rafael Jorge-Ricardo Pereira-João Esteves)
JUNIORES
300 m Mauro Pereira (Benfica) 33,99 Lisboa-I 01-05-2017
JUVENIS
Triplo Júlio Almeida (Benfica) 15,03 Torres Vedras 18-06-2017
2000 ob. Etson Barros (CO Pechão) 5.57,32 Abrantes 25-06-2017

 

ALTERAÇÕES NO TOP-10 NACIONAL DE SEMPRE

1º         vara                      Diogo Ferreira (Benfica)                                        5,71

1º         peso                     Tsanko Arnaudov (Benfica)                                  21,56

1º         disco                    Francisco Belo (Benfica)                                       62,01

2º         100 m                   David Lima (Benfica)                                           10,05

2º         200 m                   David Lima (Benfica)                                           20,30

3º         peso                     Francisco Belo (Benfica)                                       20,85

3º         martelo                 António Vital Silva (Benfica)                                 71,48

4º         decatlo                 Samuel Remédios (Benfica)                                   7378

5º         1500 m                 Emanuel Rolim (Benfica)                                   3.37,16

5º         20 km M              Miguel Carvalho (Benfica)                                   1.23.30

6º         100 m                   Diogo Antunes (Benfica)                                      10,27

6º         martelo                 Miguel Carreira (Sporting)                                    65,66

8º         disco                    Edujose Lima (Sporting)                                       55,86

9º         triplo                    Ricardo Jaquité (SC Braga)                                   16,12

10º       vara                      Samuel Remédios (Benfica)                                   5,10

MÉDIAS ANO A ANO (tabela IAAF 2008)

10 MARCAS MASCULINAS

                        Corrid.          Saltos              Lanç.               Total

2008                   996,1           949,0               870,5               955,5

2009                 1007,2           953,7               879,2               964,5

2010                 1003,2           955,0               872,0               961,0

2011                   996,6           963,0               867,0               958,2

2012                   991,3           963,5               871,5               956.6

2013                   990,3           976,7               877,0               960,3

2014                 1000,3           985,0               875,0               967,2

2015                   994,6           993,7               869,2               964,9

2016                   986,8           985,5               871,0               859,3

2017                   995,8           985,0               878,2               965,6

Melhor             1030,8           993,7               879,2               975,5

Ano                  (2000)           (2015)             (2009)             (2000)

20 MARCAS MASCULINAS

                        Corrid.          Saltos              Lanç.               Total

2008                   940,9           896,7               780,5               892,8

2009                   957,2           899,5               801,5               907,0

2010                   950,4           900,2               790,7               901,1

2011                   946,2           899,5               787,0               897,8

2012                   942,3           906,2               787,5               897,4

2013                   941,7           913,2               794,5               900,4

2014                   949,2           925,0               793,0               906,7

2015                   946,9           931,0               788,7               905,9 

2016                   942,9           921,2               791,0               902,1

2017                   949,4           920,2               798,5               907,1

Melhor               983,8           931,0               801,5               915,4

Ano                  (1992)           (2015)             (2009)             (2000)

Nota: não se consideram as provas de 10000 m, marcha e decatlo, devido à sua escassa profundidade

OS PÓDIOS ANUAIS DA REVISTA ATLETISMO

1998      1º António Pinto                  2º Rui Silva                          3º Carlos Silva

1999      1º António Pinto                  2º Rui Silva                          3º Luís Novo

2000      1º António Pinto                  2º Mário Aníbal                    3º Carlos Calado

2001      1º Carlos Calado                  2º Rui Silva                         3º Mário Aníbal

2002      1º Francis Obikwelu            2º Rui Silva                          3º João Vieira

2003      1º Rui Silva                        2º Alberto Chaíça                  3º João Vieira

2004      1º Francis Obikwelu            2º Rui Silva                           3º Alberto Chaíça

2005      1º Rui Silva                        2º Francis Obikwelu               3º Paulo Bernardo

2006      1º Francis Obikwelu            2º Nelson Évora                     3º João Vieira

2007      1º Nelson Évora                  2º Rafael Gonçalves               3º Arnaldo Abrantes

2008      1º Nelson Évora                   2º António Pereira                3º Marco Fortes

2009      1º Nelson Évora                   2º Marco Fortes                    3º José Moreira

2010      1º João Vieira                       2º Marco Fortes                   3º Francis Obikwelu

2011      1º Marco Fortes                   2º Nelson Évora                    3º Marcos Chuva

2012      1º Marco Fortes                   2º João Vieira                       3º João Almeida

2013      1º João Vieira                     2º Marcos Chuva                   3º Rasul Dabo

2014      1º Vítor Ricardo Santos       2º Yazaldes Nascimento         3º Marco Fortes

2015      1º Nelson Évora                  2º Yazaldes Nascimento         3º Tsanko Arnaudov

2016      1º Tsanko Arnaudov            2º Nelson Évora                     3º Paulo Conceição

2017      1º Nelson Évora                   2º Tsanko Arnaudov              3º Francisco Belo

Deixar Resposta