Benfica (M) e Sporting (F) folgados campeões nacionais de Pista Coberta

0
1591

O Benfica, com inesperada vantagem, e o Sporting; como previsto, sagraram-se campeões nacionais de clubes, em Braga.

No setor masculino, o Benfica marcou larga vantagem – 9 vitoriais contra apenas 4 do Sporting e um total de 100 pontos, a que se acrescentam mais sete pontos de vantagem (para um total de 12) devido ao zero de Edi Maia na vara.

Na 2 jornada, o Sporting ganhou apenas os 800 m, graças ao júnior Nuno Pereira, que derrotou João Fonseca ao sprint (1.53,41- 1.53,89).

Nas restantes provas, destaque para o despique no triplo; no qual Pedro Pichardo abriu a época com 17,32 (e ainda 17,29 e 17,20), contra 16,77 (e 16,61) de Nelson Évora.  Nas barreiras, o brasileiro João Oliveira (7,84 derrotou Rasul Dabo (7,97).

Nos 3.000 m, Rui Pinto foi muito forte na última volta face a Eduardo Mbengani (8.16,91 – 8.20,85). Folgadas, como previsto, as vitórias de Tsanko Arnaudov (19,36) sobre Marco Fortes (18,38) no peso e do Benfica nos 4×400 m, nos quais a equipa, com Ricardo Santos e Raidel Acea (mas sem João Coelho), ficou muito perto do recorde nacional (3.12,89 para 3.12,54) conseguido no campeonato da época passada.

No setor feminino, o Sporting ganhou 9 das 13 provas mas caiu para o 3° lugar nos 3000 m, somando 99 pontos, contra 85 do Benfica , que ganhou duas provas. Neste domingo, o Sporting ganhou largamente o triplo (Patrícia Mamona, novamente acima dos 14 m – 14 01 – contra 13,34 de Lecabela Quaresma), as barreiras (8,24 para Olimpia  Barbosa, contra 6,64 de Fatoumata Balde), a vara (4,10 para Eleonor Tavares, contra 3,65 de Beatriz Batista) e os 4×400 m (3.48,60 – 3.54,46) sempre com benfiquistas como segundas.  No peso, a benfiquista Eliana Bandeira (16 42) voltou a derrotar Jéssica Inchude (16 13), nos 3000 m, Dulce Félix (9.13,40) ganhou naturalmente à júnior Mariana Machado (9.23,73) e a sportinguista Ana Ferreira (9.39,60). Surpresa nos 800 m, com a vitória de Carla Mendes, Juv. Vidigalense (2.08,22) sobre Salomé Afonso (2.08,77).

Quem também festejou foi a juventude Vidigalense, que regressou aos pódios (e logo os dois) derrotando o SC Braga no setor masculino por claros 66,5-56,5 e no feminino por escassos 66-64 pontos.

Classificação por equipas

Masculinoó

1º SL Benfica 100 pontos

2º Sporting CP 88

3º Juv. Vidigalense 66,5

4º SC Braga 56,5

5º CA Seia 43

6º A. Jardim da Serra 40,5

7º Grecas 37,5

8º Maia 35

Femininos

1ª Sporting CP 99

2ª SL Benfica 85

3ª Juv. Vidigalense 66

4ª SC Braga 64

5ª A. Jardim da Serra 45

6ª GA Fátima 42

7ª Grecas 39

8ª ADREP – 27

Clubes algarvios ganham II Divisão

Na II Divisão, realizada antes, as equipas masculina da Casa do Benfica de Faro e feminina do CO Pechão saíram vencedoras. Nos homens, a regressada Casa do Benfica algarvia, há vários anos ausente destes campeonatos ganhou com 10 pontos de vantagem (78-68 pontos) sobre a AC Póvoa do Varzim, com o Gira Sol na terceira posição, com 65 pontos. No setor feminino, foi muito equilibrada a luta entre o Clube Oriental de Pechão e a ACR Srª. Desterro (72,5-71 pontos), com vitória da formação algarvia, que havia sido terceira nas duas épocas anteriores. A UC Eirense fechou o pódio, com 69 pontos. Luta bem equilibrada…

Individualmente, destaque para Mauro Fonseca (Gira Sol) nas barreiras (8,40), Danilo Almeida (CBF) no triplo (14,53) e José Pinho (NA Cucujães) no peso (15,57).

 

 

Deixar Resposta