Benfica (M) mais perto do título e Sporting (F) cada vez mais superior

0
2170

O Nacional da I Divisão, que este sábado se iniciou em Braga, parece estar decidido em termos de campeões. Já o estava à partida no setor feminino, tal a superioridade do Sporting, confirmada com nove vitórias nas 11 provas disputadas (só perdeu três pontos relativamente ao máximo possível). Cedo passou a estar no masculino com a lesão do sportinguista Miguel Marques no comprimento, logo no ensaio inicial. E nem mesmo o quinto lugar do benfiquista José Carlos Pinto nos 1500 m compensou, tanto mais que o Benfica ganhou 6-4 nos despiques diretos com o Sporting e a jornada deste domingo é-lhe ainda mais favorável. O Benfica terminou a jornada com cinco pontos de vantagem.

Superioridade do Benfica

No setor masculino, nas provas que ofereciam mais dúvidas quanto aos vencedores, o Benfica ganhou a vara e o dardo, enquanto o Sporting venceu a estafeta 4×100 metros. Na vara, Edi Maia ficou-se pelos 5,00, falhando depois os 5,20, enquanto Diogo Ferreira passou 5,40 e tentou depois o recorde nacional a 5,72. No dardo, o júnior Leandro Ramos lançou a 71,00 no 2º ensaio e Tiago Aperta apenas se pode aproximar, com 69,71 no terceiro lançamento. De resto, o Benfica ganhou mais três provas em que era favorito: nos 400 m, Ricardo Santos (46,27) não deu hipóteses ao argelino Soufianne Bouhadda, do Sporting (47,21), numa prova na qual Bernardo Pereira (J. Serra) bateu o recorde pessoal com 48,46; no peso, Tsanko Arnaudov ganhou com 20,03, apesar de Marco Fortes ter conseguido o melhor deste ano, com 19,10 (destaque ainda para os 16,25 de Adriano Lopes, do SC Braga); e nos 5000 m, decididos ao sprint, Samuel Barata (13.57,30) ganhou a Bruno Albuquerque (13.57,76).

O Sporting levou a melhor em quatro provas: nos 100 m (v:+1,3), Carlos Nascimento (10,31) não deu hipóteses a Diogo Antunes (10,47); nos 1500 m, prova muito tática, Paulo Rosário ganhou com 4.08,38, à frente de Nuno Pereira, Estreito (4.08,60), numa corrida em que o “oitocentista” do Benfica José C. Pinto, sem experiência na distância, foi apenas quinto (4.09,17); nos 5000 m marcha, o “eterno” João Vieira (19.44,96) ganhou largamente a Miguel Carvalho (20.33,02); e nos 4×100 m, o Sporting, com 40,29, deixou o Benfica à distância (40,78). Só uma prova não teve nenhum dos dois clubes (Benfica ou Sporting) como vencedor: no comprimento, Samuel Remédios (J. Vidigalense) chegou a 7,31 (v:+2,1) e 7,30 (+1,4) e deixou o 2º lugar ao favorito Ivo Tavares (Benfica), que chegou apenas a 7,26, enquanto Miguel Marques se lesionou logo no primeiro ensaio.

Na luta pelo terceiro lugar, a J. Vidigalense soma 50 pontos, contra 47 do SC Braga, estando tudo em aberto. A equipa de Leiria vence 6-4 nos despiques diretos e foi apenas sétima no peso, enquanto os minhotos falharam na vara (último lugar). Equilibrada está também a luta pelo 5º lugar, entre CA Seia (35 p.), Estreito (33 p.) e Jardim da Serra (32 p.), enquanto o Srª Desterro (23 p.) já não deve fugir ao último lugar.

Sporting imparável

No setor feminino, o Sporting confirmou ampla vantagem, somando 85 pontos (em 88 possíveis), mais 27 que a segunda equipa, a Juventude Vidigalense. A luta pelo segundo lugar está acesa, com o Benfica a dois pontos e o SC Braga a oito.

O Sporting só fraquejou nos obstáculos, com Lília Martins “apenas” terceira (11.16,14), longe da vencedora, Joana Soares (J. Serra), com 10.30,10. O 2º lugar de Salomé Afonso nos 1500 m (4.26,61) é natural, face a Mariana Machado (SC Braga), vencedora com 4.24,53. De resto, apenas no comprimento a sportinguista Evelise Veiga (1ª com 6,13) teve réplica, de Lecabela Quaresma, que, com 6,12, ficou a um centímetro do seu recorde pessoal. Nas restantes provas, aconteceram vitórias mais ou menos folgadas das sportinguistas, com destaque para Lorène Bazolo, que obteve a melhor marca do ano nos 100 m, com 11,44 (v:+2,0).

Eis as restantes vencedoras: 400 m – Cátia Azevedo 52,72; 5000 m – Sara Moreira 16.00,12; altura – Anabela Neto 1,76; disco – Irina Rodrigues 58,38; martelo – Vânia Silva 60,69; 4×100 m – Sporting 45,49. Nestas provas, destaque ainda para Rafaela Vitorino (SC Braga), com 1,74 na altura, e para Lecabela Quaresma (J. Vidigalense), que passou 1,72 e foi para o salto em comprimento.

Na luta coletiva pelo 2º lugar, a J. Vidigalense, com dois segundos lugares e nada menos de sete terceiros, apenas falhou nos 5000 m (7º) e obstáculos (desistência). Soma 58 pontos, contra 56 do Benfica e 50 do SC Braga. O Benfica, que não contou com Marta Pen nem com a cubana Yariagnis Arguelles, que esteve na I Divisão da pista coberta (e, provavelmente não deveria ter estado…), foi cinco vezes segundo mas, ao invés, foi quatro vezes apenas sexto (2) ou sétimo (2). E o SC Braga ocupou todas as posições, desde o 1º lugar (1500 m) ao último (400 m)! O Jardim da Serra segue na 5ª posição (44 p.), seguido do Estreito (39), Grecas (34) e Marítimo (27).

II Divisão: NA Cucujães e Srª Desterro lideram

Antes da I Divisão, realizaram-se as primeiras jornadas das III e II Divisões. Nesta, lideram NA Cucujães (masc.) e Srª Desterro (fem.). Na competição masculina, o NA Cucujães, que participou na III Divisão há um ano, lidera com 52 pontos, mais um que o Campismo, campeão da II Divisão em 2017, e mais dois que o Maia AC, 7º nas três últimas épocas. Tudo em aberto, pois. No setor feminino, o Srª Desterro, que competiu na I Divisão desde 2013 mas foi último em 2017, lidera com 64 pontos, mais três que o GA Fátima, 5º e 4º nos dois últimos anos, únicos em que participou, e mais nove que o UC Eirense, vice-campeão da II Divisão em 2016 e 2017.

Individualmente, as melhores marcas pertenceram a José Pinho (NA Cucujães), com 15,80 no peso; à veterana (39 anos) Sónia Alves (Srª Desterro), com 52,53 no martelo; e a três atletas do GA Fátima, Adriana Alves nos 100 m (11,84), Ana Oliveira na altura (1,75) e Vanessa Rocha no comprimento (5,68).

III Divisão: Ilha Verde e Salesianos na frente

Na III Divisão, a equipa açoriana da Juv. Ilha Verde, campeã em 2016 e 2017, lidera o setor masculino com 57 pontos, mais dois que a AC Póvoa do Varzim e que a estreante AD Novas Luzes. Na competição feminina, a estreante formação da Fundação Salesianos (embora sucessora direta do CA Salesianos de Manique, que esteve na II Divisão em 2014) lidera com 61 pontos, mais folgados oito que as equipas do CF Oliveira do Douro e ADR Água de Pena.

Destaques individuais para André Prazeres (JOMA), com 10,59 nos 100 m (v:+0,2); Sérgio Silva (J. Ilha Verde), com 48,06 nos 400 m; Catarina Lourenço (F. Salesianos), com 12,11 nos 100 m; e Ângela Silva (ADR Água de Pena), com 48,99 no martelo.

Deixar Resposta