Cancelada a corrida mais dura do mundo devido ao coronavirús

0
374

A Barkley Marathons com 160 km não se disputa depois de 34 anos de história

A Barkley Marathons, conhecida como a prova mais dura do mundo e que se disputa desde 1986 no Parque Frozen Head State Park, no estado de Tenesse, nos Estados Unidos, foi cancelada devido à pandemia do coronavírus.

A Barkley é uma prova de resistência de 160 km com 20 mil metros de desnível acumulado, com uma duração máxima de 60 horas. O percurso tem cinco voltas e os atletas ao passar a meio de cada uma, por um local, têm à sua espera Gary Cantrell, fundador e organizador da prova que lhes pergunta: “Segues?” Se a resposta é negativa, toca uma marcha fúnebre com uma corneta.

Não há marcações no percurso e os atletas devem guiar-se unicamente pela sua intuição, sem relógios nem GPS, sendo apenas permitido uma bússola e um mapa. Os participantes devem encontrar livros no percurso e arrancar a página que coincida com o número do seu dorsal para quando finalizarem cada volta, confirmarem que passaram pelos postos de controlo.

Para a maioria dos participantes, o desnível e a dificuldade de navegação tornam a corrida um verdadeiro inferno.

A prova tem apenas um limite de 40 participantes, a maioria deles europeus, e começa entre a madrugada de sexta-feira e o sábado. Não tem hora marcada para começar, a qualquer momento Gary Cantrell pode dar a partida.

Corrida inspirada no assassino de Martin Luther King

O maratonista Gary Cantrell criou a prova recordando a figura de Martin Luther King. Por essa razão, a prova disputa-se no dia em que ele foi assassinado, em 4 de Abril.

O seu assassino, James Earl Ray, fugiu da prisão de Brushy Mountain em 1977 e na sua fuga, correu por todo o parque onde se disputa agora a corrida. Ao fim de dois dias, foi capturado a 15 km da prisão por onde atualmente passam os participantes.

Ao longo das 34 edições, apenas 15 corredores conseguiram acabar a famosa ultra maratona. Em 2017, apenas um triatleta o conseguiu, John Kelly, em 59h30m53s. Em 2018, nenhum atleta conseguiu fazer mais de três voltas. Em 2018, foram admitidas pela primeira vez nove mulheres.

As medidas agora decretadas pelo Governo dos Estados Unidos levaram a Organização a ter de suspender a prova.

.

Deixar Resposta