Carlos Nascimento e Bazolo foram os melhores na 1ª jornada do Campeonato de Portugal

0
210

Houve um pouco de tudo na jornada inaugural do Campeonato de Portugal, em Leiria. Carlos Nascimento, com a sua segunda marca de sempre aos 100 metros (10,26), e Lorène Bazolo, com a melhor marca nacional do ano na mesma distância (11,51), terão sido os atletas mais em evidência. Mas haverá ainda a salientar os 72,65 de Tiago Aperta no dardo.

De resto, houve de tudo. Desde o título de campeão nacional de 1500 m (masculinos) conquistado pelo vencedor da série secundária (na principal correu-se taticamente e o vencedor nem ao pódio foi!) à desclassificação das duas únicas equipas presentes nos 4×100 m masculinos e à ausência de Pedro Pichardo e Nelson Évora no triplo. João Vieira (18º título de pista na marcha) e Vânia Silva (17º no martelo), esses, somam e seguem.

Vejamos, prova a prova, o que de mais relevante se passou.

Provas masculinas:

100 metros: Carlos Nascimento (Sporting) confirmou o favoritismo e o seu excelente momento de forma, ao conseguir o seu segundo melhor tempo de sempre (10,26/v:+1,8 m/s) depois dos recentes 10,13 em Braga. Muito bem, igualmente, Diogo Antunes (Benfica), que obteve 10,31, a quatro centésimos do seu recorde pessoal. José Pedro Lopes (Benfica) fechou o pódio, com 10,42. Yazaldes Nascimento (Sporting) faltou à final.

400 metros: Quinto título consecutivo de Vítor Ricardo Santos (Benfica), folgado (e esperado) vencedor em 47,36. Mauro Pereira (Benfica) foi segundo, com 48,15.

1500 metros: Luís Monteiro (Sporting) ganhou a série B em 3.53,98. E a série principal foi tão tática/lenta, que o vencedor, Paulo Rosário (Sporting), com 3.58,72, nem ao pódio dos campeonatos foi! Ele derrotou Hugo Rocha (Benfica) mas de nada valeu. Houve cinco atletas mais rápidos na série anterior!…

5000 metros: O queniano David Kiplangat (Sporting) ganhou com 13.43,31 mas não conta. O título nacional foi discutido entre Samuel Barata (Benfica), que repetiu a vitória do ano passado (agora em 14.04,96), e Bruno Albuquerque (Sporting), segundo com 14.05,10.

Vara: Edi Maia (Sporting) falhou os 5,25 (acabou 3º com 5,15) e Rubem Miranda (Sporting) foi o único a resistir a Diogo Ferreira (Benfica). Mas este “limpou” a 5,15, 5,25, 5,35 e 5,45 e, já campeão, falhou depois os 5,55. Rubem passou 5,35 (mas já tinha um derrube anterior) e depois foi eliminado a 5,50.

Triplo: Nem Pedro Pichardo (esteve dois dias antes na Liga de Diamante) nem Nelson Évora, com um ligeiro “toque”. Um dos esperados momentos altos do campeonato foi-se. E o título acabou por ir para Carlos Veiga (Sporting), único acima dos 16 metros (16,03/v:+1,2). Tiago Pereira, castigado pelo Benfica mas “convocado” pela Federação, foi segundo, com 15,90.

Peso: Quarto título consecutivo para Tsanko Arnaudov (Benfica), embora longe dos 20,79 de há um ano. Lançou a 19,60 no 3º ensaio, ultrapassando Francisco Belo (Benfica), que conseguira 19,36 no 2º ensaio. Marco Fortes (Sporting) regressou aos 19 metros, com 19,05 a fechar o concurso.

Dardo: Tiago Aperta (Sporting) abriu com bons 72,65 e ficou com a prova ganha, até porque Leandro Ramos, a caminho do Mundial de Juniores, esteve ausente. Tiago, que ganhou o seu sétimo título, conseguiu ainda 68,35. Segundo lugar sem surpresas para Mário Marques (SC Braga), com um recorde pessoal de 65,36 (antes: 64,84). Joshua Egbeama (Benfica) foi terceiro, igualmente com recorde pessoal – 61,94 (61,51).

10000 m marcha: João Vieira (Sporting) soma e segue. Foi o seu 18º título de pista e o 26º no total. Embora, desta feita, sem a vantagem habitual. Gastou 41.54,2, contra 42.07,4 de Miguel Carvalho (Benfica) e 42.10,8 de Pedro Isidro (Benfica).

4×100 metros: Apenas J. Vidigalense e Grecas presentes (para os “grandes”, os títulos nacionais são de somenos…) e ambas desclassificadas! Não há campeão!

Decatlo: Excelente prova está a fazer Samuel Remédios (J. Vidigalense), que soma 3980 pontos no final da 1ª jornada, mais 87 pontos que aquando do seu decatlo-recorde (7378 p), na Taça da Europa da época passada. Melhorou em quatro das cinco provas: 100 m – 11,01/10,91; comprimento – 7,16/7,17; peso – 13,08/13,23; altura – 1,92/1,99. Apenas nos 400 m (50,75/50,99) ficou aquém.

Provas femininas:

foto-lorene-bazolo100 metros: Pódio de atletas naturalizadas. Vitória esperada (terceira consecutiva) de Lorène Bazolo (Sporting), com o melhor tempo nacional do ano (11,51/v:+0,5 m/s), seguida de Rosalina Santos (Sporting), com um recorde pessoal de 11,69 (tanto na eliminatória como na final!) que a coloca como nona portuguesa de sempre. Adriana Alves (GA Fátima) fechou o pódio (11,84).

400 metros: Quarto título (e consecutivo) de Cátia Azevedo (Sporting), com 52,99, a nove centésimos do recorde dos campeonatos de Lucrécia Jardim, em 1996. Filipa Martins (Sporting) aproximou-se a 15 centésimos do seu melhor, com 54,55, e Marta Pen (Benfica) preferiu ser terceira nos 400 m a campeã nos 1500 m…

1500 metros: Triunfo da romena Claudia Bobocea (Sporting), em 4.17,57, mas correndo extra. O título foi conquistado por Neide Dias (Benfica), com um recorde pessoal de 4.20,21, seguida de Carla Mendes (J. Vidigalense), com 4.21,89, e de… Sara Moreira (Sporting), ainda bem longe do que vale (4.22,56).

3000 m obstáculos: Bom despique entre Emília Pisoeiro (RD Águeda), vencedora com 10.09,87, e Joana Soares (J. Serra), campeã nos últimos três anos e agora segunda com 10.11,12. Dois bons recordes pessoais que as colocam, respetivamente, como 10ª e 11ª portuguesas de sempre. Outra atleta madeirense fechou o pódio: Daniel Sousa (Estreito), com 10.29,74.

Altura: Quinto título (consecutivo) de Anabela Neto (Sporting), natural vencedora com 1,77, mais três centímetros que Ana Oliveira (GA Fátima). Bem longe (1,64) as restantes…

Comprimento: Terceiro título consecutivo para Evelise Veiga (Sporting), embora aquém da sua valia: 6,08 (v:-1,6) como melhor e outro salto válido a 5,95. Ana Oliveira (GA Fátima), com 5,93, garantiu o 2º lugar por um centímetro, face a Lucinda Gomes (Sporting).

Disco: Bom despique entre Irina Rodrigues (Sporting), campeã pela nona vez (8ª consecutiva), e Liliana Cá (AD Novas Luzes). Esta chegou a 55,78 no 2º ensaio (quatro nulos a seguir) e só foi ultrapassada no 5º ensaio, quando Irina lançou 56,75. Só teve um outro ensaio válido, a 48,01. Jéssica Inchude (Sporting) fechou o pódio, com 46,71.

Martelo: 17º título de Vânia Silva (Sporting), dos quais 14 consecutivos – um recorde! E passou duas vezes os 60 m (60,34 e 60,42), ganhando com quase oito metros de vantagem (a equatoriana Valeria Chiliquinga, 58,34, participou extra). Andreia Venade (SC Braga) foi natural segunda (52,83).

10000 m marcha: Ana Cabecinha (CO Pechão) já levava oito títulos, mas Inês Henriques (CN Rio Maior) foi desta feita superior e conquistou o quinto. Gastou 43.19,3 contra 43.51,8 da algarvia.  Só mais de três minutos depois chegou a terceira, Edna Barros (CO Pechão).

4×100 metros: Título para a Juv. Vidigalense, com 49,53, face ao Grecas (52,68). Só duas equipas…

Heptatlo: Catarina Fernandes (Sporting) lidera no final da 1ª jornada, com 2957 pontos, embora tenha ficado aquém do seu melhor nas quatro provas realizadas, relativamente ao seu recorde pessoal.

Deixar Resposta