Centro de Atletismo de Mazarefes/Onde Direção e 100 atletas constituem uma família

0
808

O Centro de Atletismo de Mazarefes está situado no concelho de Viana do Castelo e foi fundado em 1987. Manuel Silva é o presidente do clube que tem 142 sócios e cerca de uma centena de atletas, espalhados pelo mundo fora.

Apenas uma modalidade: atletismo

Na freguesia de Mazarefes, concelho de Viana do Castelo, mora desde Setembro de 1987 um clube dedicado inteiramente ao atletismo. Falamos do Centro de Atletismo de Mazarefes.

O clube surgiu a partir da secção de atletismo de uma associação, entretanto extinta, chamada “Grupo Acção Cultural e Desportiva de Mazarefes”. A partir daí, o grupo que praticava atletismo fundou um clube inteiramente dedicado a essa modalidade.

Manuel Silva é o presidente do CA de Mazarefes que tem 142 sócios que pagam anualmente dez euros de quotas. Tem a sua sede social no mesmo local onde decorrem os treinos.

O clube tem cerca de uma centena de praticantes distribuídos pela pista, estrada, crosse e trail.

Apesar de o atletismo ser a única modalidade, ele está dividido em várias secções. Joel Maltez é o responsável pela competição; Bruno Rodrigues pela equipa de trail running e lazer (denominada de Team Workout 48); Luís Maciel pela formação e Fátima Pereira pela Academia.

Tem nove treinadores: Joel Maltez, Manuel Sousa, Luís Maciel e Manuel Gomes nos escalões dos mais velhos e João Parra, Fátima Pereira, Hélder Coutinho, Joana Barros e Luís Coutinho na Academia (Benjamins, Infantis e Iniciados).

“Fazemos um grande esforço para que eles (atletas) se sintam bem e em família. A família CAM”

Mais apoios, precisam-se!

Foto CAM 1Como sucede na maior parte dos clubes populares, os subsídios quase não chegam para pagar as despesas fixas do clube. “Como há muitos clubes desportivos no concelho, as fatias são sempre muito pequeninas, tanto por parte do poder local como das empresas (que são sempre as mesmas a apoiar toda a gente)”.

O orçamento ronda os 15 mil euros mas já tem chegado aos 20 mil quando os atletas participam em todos os campeonatos. À semelhança dos outros clubes da região, o CAM tem subsídios anuais ordinários da Câmara Municipal de Viana do Castelo e da Junta de Freguesia. Mas apesar da os valores atribuídos terem subido nos últimos anos, os apoios não chegam a 25% do orçamento. A nível privado, Joel Maltez diz-nos que têm tido o apoio de várias empresas que vão dando “prendinhas” e criado alguns protocolos simpáticos. Segundo ele, merecem uma referência a Minhobrinde, Sprintmed, Grupo Quercia, Pedro Bizarro Saúde e Bem-Estar, Reserva Petiscos Ibéricos.

Recorrer à imaginação para compor o orçamento é a solução. “Vamos arranjando formas de angariar fundos, com a cobrança de quotas mensais aos atletas mais jovens, vendendo merchandising do clube, venda de calendários, organização de pequenos sorteios e eventos, etc”.

CENTRO DE ATLETISMO DE MAZAREFES

Logotipo CA MazarefesConcelho: Viana do Castelo

Ano fundação: 1987

Presidente: Manuel Silva

Sócios: 142

Atletas: 100

Técnicos: 9

Orçamento 15/20 mil euros

Ambiente familiar para além dos treinos e provas

O clube não paga qualquer subsídio aos atletas. “Em primeiro lugar, porque não temos verbas que aguentem tal despesa e em segundo lugar, porque são pagos de forma indirecta, oferecendo-lhes as melhores condições para treinarem e competirem”.

Os atletas têm uma pista própria para treinar e balneários. O clube paga todas as inscrições, transportes e equipamentos de competição. Os atletas têm à sua disposição transportes para casa no final do treino e em todas as competições. Têm ainda massagista, nutricionista, fisioterapeuta, osteopata, serviços de psicologia e coaching. Nas competições, têm todas as despesas pagas, descontos em lojas e protocolos de serviços em condições muito especiais.

Joel Maltez dá a devida importância ao “ambiente familiar e divertido à espera deles em todos os treinos, em todos os locais… a toda a hora. O apoio emocional é enorme, acreditamos piamente que um atleta feliz é bem sucedido e não nos referimos apenas ao desporto. Por isso, temos ao seu dispor, para além dos serviços que os mantêm sãos, terapias complementares como reiki, aulas de pilates, balance, yoga, etc”.

Nesta perspetiva, o clube organiza estágios de grupo e de clube, workshops com nutricionistas, fisioterapeutas, mindfullness e até sessões de meditação. “Dá para perceber que estamos em constante “reinventação” e fazemos um grande esforço para que eles (atletas) se sintam bem e em família. A família CAM”.

“Não estamos satisfeitos porque estamos treinados a querer sempre só um pouquinho mais”

Cem páginas para publicar os nomes de atletas em destaque!

Foto CAM 2Quando perguntámos a Joel se o clube estava satisfeito com os resultados dos atletas, deu-nos uma resposta curiosa, reveladora do espírito existente no clube: “O clube não está satisfeito com os resultados. O clube está radiante, está grato por cada esforço, por cada minuto que nos é dedicado, por cada sorriso e por cada gota de suor. Não estamos satisfeitos porque estamos treinados a querer sempre só um pouquinho mais, treinamos para a evolução cuidada e sustentável, tanto a nível de resultados desportivos como na estrutura que os suporta”.

Já quanto a algum atleta a merecer um destaque especial, Joel mostrou-se grato a todos eles. “Podíamos destacar vários nomes de jovens que se destacaram, dos atletas internacionais que por cá passaram, dos recordistas, dos campeões nacionais, mas são tantos que não queremos cometer injustiças esquecendo algum nome ou destacar pelo resultado desportivo (o que é um bom resultado desportivo?). Por vezes, o principal destaque vem daqueles atletas de segunda linha, que estão sempre lá, a dar ‘o litro’ pela equipa; que gritam na bancada até ficarem roucos; que não são propriamente campeões em título, mas estão presentes nas melhores finais; que trabalharam o dia todo de pé e/ou por turnos e acabaram a época perto dos mínimos nacionais ou de um pódio; Os treinadores e monitores que estão cá diariamente de forma gratuita e com uma garra quase inacreditável, colocariam no bolso, qualquer super herói da Marvel; A Direção, que entre a família lá de casa e a do clube, não encontra diferenças no que toca ao tempo e dedicação que lhes dão. Esses são os nossos destaques, os nossos heróis… e são tantos que precisariam de um revista “versão 100 páginas” para publicar tantos nomes. A eles, só aproveitamos para reforçar a gratidão que sentimos”.

Os nossos atletas são felizes cá e isso enche-nos de orgulho e dá-nos força para fazer ainda melhor na próxima época”

Objetivos para esta época

Foto CAM 4Quanto à época 2017/2018, o objetivo passa por participar na segunda divisão na pista coberta e chegar um pouco mais além na pista ao ar livre. “Não é fácil ter um grupo tão completo e estar em ‘todas as frentes’ onde a totalidade dos atletas não recebem qualquer apoio monetário. Mas não queremos ficar por aqui, paralelamente, queremos estar mais presentes nos circuitos de trail, nos pelotões, etc. Queremos acima de tudo evoluir, estamos focados no bem-estar dos nossos atletas (sejam eles de lazer ou competição mais séria) e na sua evolução individual. Claro que com isso, evoluímos também coletivamente e isso foi a ‘prendinha’ que recebemos na última época. Os nossos atletas são felizes cá e isso enche-nos de orgulho e dá-nos força para fazer ainda melhor na próxima época”.

Condições de trabalho a serem melhoradas

Para Joel, a principal dificuldade na prática do atletismo passa pela pista de treinos. “Sempre treinámos numa pista de terra batida (daquelas simplificadas de 200 m), com má iluminação, com uma arrecadação transformada em ginásio e uns balneários ‘minimalistas’. A Câmara Municipal de Viana do Castelo, neste aspeto tem ajudado bastante e acabámos de receber uma prenda que é a repavimentação da nossa pista com sintético (a decorrer). Será uma ajuda fantástica para as disciplinas mais técnicas e um incentivo aos pais que antes não deixavam os filhos ir lá treinar porque apareciam com a roupa toda suja em casa. Desta forma, temos esperança em aumentar o número de praticantes nas camadas jovens. À semelhança de (quase) todo o país, a grande dificuldade prende-se com o inverno, pois o treino é sempre ao relento”.

“Para todos os nossos atletas, enviamos o nosso maior abraço, a nossa maior gratidão e a maior felicidade”

Mazarefes – Nome “difícil” de pronunciar

Sendo um clube já com 30 anos de idade, não faltam estórias no CA Mazarefes. Joel fala-nos da confusão existente com o nome do clube. “Centro de Atletismo de Mazarefes é o nosso nome. CAM é fácil de decorar já… Mazarefes, não. Todos os anos, em variadíssimas competições, os locutores teimam em não acertar no nome, é verdadeiramente incrível. Já nos chamaram tantos diferentes (mafarezes, zamarefes, marefes, mafanzes, etc.) que temos vindo a apontar tudo que nos chamam, ao ponto de a Diana Cerqueira (atleta da velocidade), subir ao pódio nacional com uma t-shirt onde tinha escrito à frente, muitos dos nomes que nos chamaram. E não é que nesse mesmo pódio, o homem voltou a enganar-se no nome!!!! Desta vez ela só teve de apontar para a camisola”.

Mas tem acontecido de tudo um pouco aos atletas do clube. Como treinar de pijama, dormir ao relento, ir à “caça dos gambozinos”, restaurantes inteiros a cantar com o grupo, entrar numa festa de casamento que decorria no hotel em que estavam hospedados “porque tínhamos curiosidade (fome)… e fomos muito bem recebidos”.

“O apoio emocional é enorme, acreditamos piamente que um atleta feliz é bem sucedido e não nos referimos apenas ao desporto”

Atletas espalhados pelo mundo fora

O clube tem treinos espalhados pelo concelho a diferentes dias e horários, conforme os grupos de treino em que estão inseridos. Contudo, há dias em que todos se juntam no mesmo local para treinar (quem tem disponibilidade). Esse ponto de encontro é na pista em Mazarefes, todas as terças, quintas e sextas das 18:45 às 20:30 h. Também há treinos ao sábado ou ao domingo de manhã em locais rotativos (praia, montanha, trilhos, etc.). Joel faz o convite a todos os interessados para uma visita.

A terminar, ele refere o facto de o clube ter atletas por todo o país e pelo mundo fora, em Espanha, França, Inglaterra, Irlanda, Canadá, África do Sul, Alemanha, Bélgica, Eslováquia, Mónaco, Andorra, Itália e Angola. “Para todos eles, enviamos o nosso maior abraço, a nossa maior gratidão e a maior felicidade”.

 

 

 

 

Deixar Resposta