Como ajustar os treinos se as suas provas foram adiadas?

0
817

Após inúmeras suspensões e adiamentos de provas, um pouco por todos os países,  devido à pandemia do coronavirús, algumas questões podem surgir como por exemplo, o ajuste do ciclo de treinos face aos condicionalismos atuais e como o atleta se preparar para a próxima prova. No meio de tantas dúvidas, o importante é não parar e ajustar o seu treino de forma inteligente.

Encerre o ciclo atual e inicie um novo

Durante esta fase de suspensões e adiamentos das provas, enquanto não há uma prova-alvo definida, o importante é seguir em frente, continuar a treinar e criar novos desafios.

Claro que é difícil saber exatamente como prosseguir diante deste cenário, mas o melhor para o corredor neste momento é encerrar o ciclo de treino que vinha seguindo, planear e definir, junto do seu treinador, se o tiver, o início de um novo ciclo para uma futura prova.

Manter o mesmo ciclo de treinos por mais quatro ou seis meses, pode ocasionar ao atleta exaustão física e mental, aumento do risco de lesão ou, no melhor dos cenários, que ainda é longe do ideal, a condição física pode chegar a um nível em que o atleta terá dificuldade em evoluir, podendo ocasionar ainda grandes frustrações.

O final de um ciclo é o momento de maior exigência e consequentemente, impacto no sistema imunológico do atleta. Por este motivo é necessário não parar a atividade física, desde que se siga as recomendações das autoridades de saúde locais para evitar a propagação do vírus.

Muitos atletas podem ter mais dificuldades em entender e aceitar essa conclusão do ciclo de treinos sem que tenha feito a prova. Porém, não deixar de treinar e manter-se conectado com outros corredores, são atitudes de muita importância.

Diminua o volume e intensidade

A intensidade e o volume são duas variáveis importantes nos treinos que se modificam de acordo com a distância de cada prova. Ao longo da periodização, a tendência é que ambos aumentem para preparar o seu corpo para a prova. Com os adiamentos das corridas, é importante que tanto o volume como a intensidade diminuam para preservar o atleta.

No seu novo ciclo, o atleta pode começar com duas semanas de recuperação e considere reduzir para 25% ou 50% no volume de treinos. Seguidamente, comece o seu novo ciclo de treino com os períodos de base. O aumento de volume e intensidade acontecerá aos poucos. É importante lembrar que o atleta deve manter a regularidade para manter a cabeça boa e a imunidade em dia.

Mantenha-se motivado

Olhar positivamente para a situação pode ser um bom método de motivação. Comece por procurar uma nova prova-alvo, caso a sua tenha sido alterada, aproveite o início do seu novo ciclo e utilize tudo o que aprendeu no anterior como trampolim para conquistar resultados ainda melhores.

Apesar de tudo isso, há que observar o lado positivo, o atleta pode iniciar o seu próximo ciclo de treino num nível de volume mais alto do que se tivesse corrido a maratona porque não precisará de muitas semanas de recuperação ou mesmo de parar os treinos para recuperar, além de não perder o hábito e a forma física consistentes. Tal, permite que o atleta construa uma base ainda maior de condicionamento aeróbico antes do seu próximo plano de prova.

Deixar Resposta