Como planear o calendário de provas

0
505

Veja o que levar em consideração na hora de definir quais serão os seus desafios

Hoje em dia, não há um fim de semana sem provas, sendo já habitual encontrarmos duas e três provas só em Lisboa. Qualquer corredor tem os seus desafios e metas, seja a curto ou a longo prazo. Contudo, pensar apenas, não é suficiente para garantir que ele consiga alcançar os seus objetivos e encerrar o período superando as suas expetativas. É de extrema importância que ele faça um planeamento do calendário de provas para não correr o risco de se frustrar ou, pior, acabar lesionado.

Para tornar essa tarefa um pouco mais fácil, eis uma série de dicas que valem tanto para corredores de provas curtas como para os de longa distância.

Tempo de preparação

Seja qual for o desafio que o atleta estiver pensando correr, em primeiro lugar, é essencial que ele leve em consideração o tempo de preparação para cada distância.

Em média, pode-se dizer que para provas de 5 km, é preciso no mínimo 12 semanas; para as de 10 km, 20 semanas; e para as de 21 km, de pelo menos 40 semanas. Estes prazos levam em consideração uma rotina de três treinos por semana e que podem variar de acordo com o atleta. Não adianta inscrever-se numa prova se não tem tempo para se preparar para ela. Claro que esta “regra” não é seguida por muitos corredores do pelotão. Conhecemos quem vá a provas frequentemente ao sábado e domingo e em fins de semana consecutivos.

Escolha das provas

Muitas pessoas escolhem as provas que os amigos vão correr, porém é preciso pensar em outros pontos que vão além da companhia, como o objetivo do atleta e a sua capacidade física. Os iniciados devem

procurar inscrever-se em corridas curtas para adquirir condição física e psicológica, podendo variar o nível de dificuldade de acordo com o percurso.

Já os que querem encarar provas com maior distância, precisam saber se vão ter tempo para fazer treinos longos. E seja qual for a distância, deve optar-se pelas provas de bons organizadores, pois são mais seguras e animadas.

Provas-alvo

Para motivar o corredor, é correto estabelecer algumas provas-alvo em cada semestre, tomando cuidado para que não sejam nem muito fáceis, nem muito rigorosas.

Essas escolhas devem, ainda, estar alinhadas com o objetivo do corredor, como baixar o tempo num determinado percurso ou aumentar a distância.

Quantidade de corridas

Por mais curta que seja a prova, o atleta vai sempre um pouco mais além dos seus limites. Isso gera um choque em todo o organismo, fazendo com que ele precise de um tempo para recuperar, voltar a treinar e preparar-se para outra corrida. Muitos corredores não levam isso em conta e acabam sobrecarregando demasiado o corpo.

Deixar Resposta