Crosse curto sem justificação/Lançamentos sem nome adequado

2
380

Este será um fim-de-semana com dois “Campeonatos Nacionais” sem justificação. Um – o de crosse curto – porque há muito já deveria ter sido anulado (já o foi a nível da IAAF). O outro – o de lançamentos longos – porque deveria ter outro nome que não Campeonato Nacional, já que os campeões nacionais de disco, martelo e dardo são encontrados no verão, não fazendo sentido a existência de dois campeões na mesma época.

O Nacional de crosse curto terá as Açoteias como palco, este sábado, mas não contará, mais uma vez, com a generalidade dos melhores atletas nacionais. O Sporting não inscreveu qualquer atleta e o Benfica tem lá os nomes todos (até Rui Silva), restando saber quais atuarão. Como habitualmente, a jornada incluirá os Campeonatos Nacionais Escolares (infantis, iniciados e juvenis), a partir das 9.30 h; os Campeonatos Nacionais Universitários, a realizarem-se conjuntamente com o Nacional de crosse curto (elas às 11 horas, eles às 12.30 h); e os Nacional de Veteranos, a fechar, às 13.10 h, estes certamente os mais animados, já que estão inscritos nada menos de 263 concorrentes.

A distância a percorrer nas várias provas (exceto nas escolares) será de 4200 metros. A ideia inicial do crosse curto era a de trazer para a especialidade alguns meio-fundistas curtos. Tal não aconteceu, a IAAF (que lançara os campeonatos em 1998, em conjunto com os do crosse longo) anulou-os em 2007, mas a federação portuguesa manteve-os, não se percebe com que intenção, tanto mais que apenas uma pequena parte dos melhores fundistas nacionais têm comparecido.

Entretanto, este será também um fim-de-semana dos lançadores, com a realização, em Vagos, do (mal) denominado Campeonato Nacional de Lançamentos Longos (porque não Taça de Portugal, por exemplo?). Lá estarão a quase totalidade dos melhores lançadores nacionais (Tsanko Arnaudov, já a pensar no Mundial de pista coberta, e Francisco Belo, a recuperar de lesão, são as principais ausências), esperando-se um bom conjunto de resultados. Provas a partir das 10 horas de sábado (seniores e juniores) e das 9 horas de domingo (juvenis).

MELHORES MARCAS NACIONAIS DO ANO

MASCULINOS FEMININOS
Filipe Vital Silva (ESP) 55,69 disco Liliana Cá ADNL 57,75
António Vital Silva SLB 70,20 martelo Vânia Silva SCP 60,34
Leandro Ramos SLB 68,75 dardo Sílvia Cruz SCP 47,65

Lá por fora, destaque para a Maratona de Sevilha, sempre com numerosos portugueses entre os 13 mil inscritos, com relevo para Filomena Costa que em 2015 ali conseguiu o excelente tempo de 2h28m00s. Uma curiosidade: o recorde feminino do percurso continua a pertencer a Marisa Barros, com 2.26.03 em 2009. Com várias africanas (nomeadamente etíopes) inscritas, é bem possível que esse recorde venha este ano a cair.

2 Comentários

  1. Assim como o nome revista não faz sentido, deveria ser um blog em nome pessoal, onde se lê opiniões suas e traduções do jornal a marca do M Sequeira.

    • Uns como Paulo Reis sabem fazer crítica construtiva, outros… Bons eram os tempos em que a revista saía em papel e se recebia mensalmente um cheque com três dígitos por se fazer um artigo técnico que ou vinha cheio de erros de português ou era uma cópia de terceiros…

Deixar Resposta