Curiosidades do Nacional de Sub’23

0
2623

– O Benfica foi campeão masculino pela 14ª vez em 14 campeonatos já realizados, enquanto o Sporting foi segundo pela sétima vez e a J. Vidigalense terceira pela oitava vez. Nos últimos nove anos repetiu-se este pódio seis vezes!

– O Sporting foi campeão feminino pela quarta vez (todas nos últimos seis anos), aproximando-se dos cinco títulos do Benfica. A J. Vidigalense igualou o segundo lugar (a sua melhor classificação) de 2015 e o Benfica foi terceiro pela quarta vez. Pódio idêntico a este apenas em 2015.

– O Benfica conquistou 10 dos 15 títulos masculinos (incluindo o das provas combinadas, integrado no Campeonato de Portugal), contra 2 do Sporting. No setor feminino, o Sporting ganhou cinco, Juv. Vidigalense e CO Pechão três cada e Benfica dois.

– Enquanto no setor masculino este campeonato superou largamente o da época passada em termos de marcas vencedoras (11 melhores, apenas 3 piores e uma igual), no feminino este ano foi bem pior (3-12). Já em relação aos terceiros lugares (a fechar os pódios), houve equilíbrio, mas também foi melhor o masculino (vantagem de 2018 por 8-6, uma igual) que o feminino (vantagem de 2017 por 8-7).

– Foi batido o recorde nacional (masculino) de 4×200 m (pelo Benfica) e mais três recordes dos campeonatos: 800 m por José Carlos Pinto, com 1.50,34 (era de Fábio Gonçalves, 1.50,96 desde 2009); comprimento por Evelise Veiga, com 6,32 (era de Shaina Mags, com 6,26 desde 2014); 3000 m marcha por Edna Barros, com 12.58,36 (era da mesma, com 13.00,47 desde 2016). As marcas de José Carlos Pinto e Evelise Veiga são também as melhores nacionais deste ano.

– Três atletas conseguiram os seus terceiros títulos (consecutivos) na mesma prova: Catarina Fernandes (que ainda será sub’23 mais dois anos!) na altura; Evelise Veiga no comprimento e no triplo; e Edna Barros na marcha (estas duas passarão a seniores). Repetiram os títulos da época passada Ivo Tavares no comprimento, Pedro Pinheiro no triplo (ainda será sub’23 mais duas épocas), Marisa Carvalho nas barreiras (ainda é júnior) e Jéssica Inchude no peso.

– Houve nada menos de sete campeões (em nove provas) ainda juniores: João Coelho (200 e 400 m), Isaac Nader (3000 m), Joana Carlos (60 m), Fatoumata Diallo (200 e 400 m), Beatriz Rodrigues (800 m), Marisa Carvalho (barreiras) e Bárbara Silva (pentatlo). Nos pódios houve mais 6 juniores masculinos (3 segundos e 3 terceiros) e 10 femininos (5+5).

Deixar Resposta