Onze portugueses já com mínimos para o Mundial de Doha

0
1332

São 11 os atletas portugueses que já alcançaram os mínimos para o Mundial de Doha, a realizar entre setembro (27) e outubro (6), havendo mais três que os atingiram na época passada, antes do período fixado para o efeito (7 setembro de 2018). Uma vez que os mínimos da federação internacional (IAAF) são muito rigorosos (havendo a possibilidade de “repescagens” até um número mínimo de participantes), a federação portuguesa (FPA) manteve-os, como é lógico, apenas dificultando os da maratona, que eram (e continuam a ser…) muito mais acessíveis: passou-os de 2h 16m para 2h 13m (masculino) e de 2h 37 m para 2h 29m 20s (feminino). Na marcha, especialidade na qual a IAAF também “facilita”, a FPA manteve os mínimos, em todo o caso um pouco mais restritos que os de Londres’2017.

Já obtiveram mínimos este inverno, em pista coberta, quatro triplistas e ainda Francisco Belo no peso, os quais se juntaram a Vítor Ricardo Santos (que obteve o mínimo no Europeu de 2018, considerado pela FPA, embora fora do prazo “normal”) e aos marchadores João Vieira, Inês Henriques e Ana Cabecinha e às maratonistas Dulce Félix e Salomé Rocha, que os conseguiram depois de 7 de março (de 2018), data do início do prazo para estas provas.

Eis os atletas já com mínimos (ou marcas melhores):

Atletas já com mínimos:      

400 m 45,30 V. Ricardo Santos SLB 45,14
Triplo 16,95 Pedro Pichardo SLB 17,32pc
Nelson Évora SCP 17,11pc
Peso 20,70 Francisco Belo SLB 20.97pc
20 km M 1.22.30 João Vieira SCP 1.22.06
50 km M 3.59.00 João Vieira SCP 3.51.46
Triplo 14,20 Patrícia Mamona SCP 14,44
Susana Costa AcFR 14,43
20 km M 1.33.30 Inês Henriques CNRM 1.29.13
Ana Cabecinha COP 1.29.41
50 km M 4.30.00 Inês Henriques CNRM 4.09.21
Maratona 2.29.20 Dulce Félix SLB 2.25.24
Salomé Rocha SCP 2.25.27

Atletas com melhor marca que os mínimos em 2018:

Peso 20,70 Tsanko Arnaudov SLB 21,27pc
800 m 2.00,60 Marta Pen SLB 2.00,09
1500 m 4.06,50 Marta Pen SLB 4.03,99
Disco 61,20 Irina Rodrigues SCP 62,37

Há depois mais alguns atletas bem próximos das marcas exigidas, como é o caso de Carlos Nascimento nos 100 m (10,13 em 2018 para 10,10), Cátia Azevedo nos 400 m (51,84 para 51,80) e Evelise Veiga no comprimento (6,61 para 6,72). E é de crer que haja mais algumas fundistas a conseguirem os mínimos nos 10000 m e maratona. Em Londres’2017 estiveram 20 atletas portugueses, número que deverá ser difícil de alcançar em Doha’2019.

Deixar Resposta