Disco: Ainda apenas a nível nacional…

0
91

O lançamento do disco tem sido das provas mais atrasadas em termos de desenvolvimento. Apenas uma presença olímpica… em Paris’1924 (António Martins foi 31º); apenas uma presença em Europeus, em Berna’1954 (Manuel da Silva foi 18º); nenhuma em Mundiais; ausência nos top mundiais e europeus do ano. Exceção foi o 5º lugar de Francisco Belo nas Universíadas de 2017.

António Cardoso passou os 40 metros (41,00) em 1928; Manuel da Silva foi o primeiro acima dos 45 metros (45,51) em 1954; Manuel Goulão passou os 50 metros (50,05) em 1964, recorde que durou quase 21 anos, só sendo batido por Paulo Santos em 1985, com 51,70. Ao longo de quatro anos, Paulo Santos bateu o recorde mais 10 vezes, até o fixar em 56,22 em 1988. Seguiu-se, nove anos depois, Paulo Bernardo, que começou com 57,04 em 1997 e terminou, oito anos e oito recordes depois, com 60,61 em 2005. Em 2012 e 2013, Jorge Grave melhorou para 60,89 e 61,00, respetivamente, e em 2017, Francisco Belo surpreendeu com três recordes: 61,55, 61,68 e 62,01, os dois últimos no mesmo dia.

José Galvão, que nunca chegou a recordista nacional, continua a ser o mais internacional no disco, com 23 presenças entre 1956 e 1974, uma mais que Jorge Grave, entre 2006 e 2015. E Manuel da Silva é quem tem mais títulos nacionais – 12 entre 1941 e 1955.

Nos escalões jovens, tal como no peso, distinguiu-se António Vital Silva, recordista nacional de iniciado a júnior e que conseguiu terceiros lugares no Mundial de Juvenis e no FOJE, ambos em 2005. Mas acabou por apostar mais no martelo.

RECORDES NACIONAIS
Absolutos Francisco Belo SL Benfica 62,01 2017
Sub’23 Jorge Grave Quintajense FC 57,28 2004
Juniores (1,75 kg) António Vital Silva SL Benfica 59,19 2007
Juniores (2 kg) Edujose Lima Campismo SJ Mad. 53,15 2015
Juvenis (1,5 kg) António Vital Silva FC Porto 59,57 2005
Iniciados (1 kg) António Vital Silva FC Porto 65,82 2003
Infantis (750 g) Décio Andrade GD Estreito 52,64 2010
OS + CAMPEÕES DE PORTUGAL
Manuel da Silva 12 (1941-1955)
Herculano Mendes 9 (1931-1940)
Paulo Bernardo 9 (1995-2005)
Paulo Santos 7 (1984-1994)
OS + INTERNACIONAIS
José Galvão 23 (1956-1974)
Jorge Grave 22 (2006-2015)
Paulo Bernardo 18 (1995-2005)
Manuel Goulão 15 (1959-1967)
Manuel da Silva 13 (1945-1958)
RECORDES DOS CAMPEONATOS NACIONAIS
Absolutos Francisco Belo SL Benfica 62,01 2017
Sub’23 Paulo Santos Sporting CP 54,28 1987
Juniores (1,75 kg) António Vital Silva SL Benfica 56,08 2007
Juvenis (1,5 kg) António Vital Silva FC Porto 57,84 2005
PRINCIPAIS CLASSIFICAÇÕES NAS GRANDES COMPETIÇÕES
JO 1 31º António Martins 32,40 Paris 1924
CM 0
CE 1 18º Manuel da Silva 42,99 Berna 1954
Nota: a seguir à competição (J. Olímpicos, C. Mundo, C. Europa), indica-se o número de

atletas portugueses presentes no conjunto de todas as edições, as classificações no top’16

(JO. CM) ou top’8 (CE), os melhores tempos nacionais na prova e os locais e anos dessas

classificações.

PORTUGUESES NA TAÇA DA EUROPA/EUROPEU DE SELEÇÕES
Mais presenças:
Paulo Bernardo 10 (1996-2005)
Jorge Grave 9 (2006-2015)
Melhor marca: Paulo Bernardo 59,05 (2001)
Melhores classificações:
Na Superliga: 11º Jorge Grave 2009-11
Na I Liga 3º Paulo Bernardo 25/06/1905
PORTUGUESES NOUTRAS COMPETIÇÕES
Campeonato do Mundo de Juniores:
António Vital Silva 2005
Campeonato da Europa de Juniores:
Hugo Caldeira 2003
FOJE (Festival Olímpico da Juventude Europeia)
António Vital Silva 2005
Ricardo Freitas 2009
Juan Rosete 1995
Hugo Caldeira 2001
Jogos Mundiais Universitários/Universíadas
Francisco Belo 2017
A seguir: martelo

(Este artigo ficará igualmente arquivado no site www.atletismo-estatistica.pt)

 

 
 
   
 
 

Deixar Resposta