Ester Alves é décima no Deserto do Sahará

0
2454

Mais cinco portugueses também completaram a prova

Ester Alves alcançou um brilhante décimo lugar na prova por etapas mais dura do mundo. A 32ª Marathon des Sables teve cerca de 1.200 participantes que enfrentaram o desafio de 250 km em seis etapas, cinco que contaram para a classificação e uma outra solidária, mas obrigatória. Os participantes concentraram-se no dia 8 de Abril, tendo a corrida só começado no dia seguinte e terminado ontem, com a etapa solidária.

Para além de Ester Alves, estiveram presentes cinco portugueses e todos eles conseguiram terminar a prova. Foram eles Duarte Mendonça em 138º, Artur Jorge Pereira em 193º, Carlos Guerreiro em 209º, Jorge Martins em 385º e José Lima em 696º.

No final, classificaram-se 1.094 participantes. O último foi o britânico David Ward com 74h11m19s, a uma média de 3,09 km/h.

foto-4-desertoA única portuguesa em prova foi 11ª na primeira etapa que teve 30,3 km. Foi um início com problemas conforme ela relatou no seu facebook: “Tive problemas de polainas ao primeiro dia. Entrou-me imensa areia nas sapatilhas e tive de correr 30 + 32 km sem protecção nos pés com bastante dificuldade. No final da segunda etapa, a equipa portuguesa ajudou-me a recuperar o ânimo e a construir as novas polainas da SALOMON. Improvisámos e cosi à sola umas calças para que a areia não passasse para os pés. Todos os dias a sola era reforçada com linha, …. uma obra de arte inimaginável com a qual corri os restantes 180 km das etapas”.

Na segunda etapa, Ester caiu para o 27º lugar mas na terceira com 31,6 km, ela subiu ao nono lugar. Na quarta etapa, a mais longa de todas com 86,2 km, Ester passou a décima da geral. Finalmente, na 5ª e última etapa a contar para a classificação, Ester demorou 5 horas nos 42,4 km e manteve o 10º lugar, gastando 33h15m06s no final. Ela foi a 148ª da geral.

“As piores etapas foram as duas primeiras. Por mais que se prepare, nada prepara um atleta para isto. A dureza, as dunas, o calor, a lentidão de ritmo face ao que se está habituada, devido às dunas, areia e o peso nas costas. A aspereza das condições nos acampamentos, onde falta tudo o que é básico”, disse Ester.

A vencedora da prova foi Elizabet Barnes com 23h16m12s, que assim repetiu o triunfo obtido em 2015, seguida de Nathalie Mauclair, que repetiu o 2º lugar de 2016, e de Fernanda Maciel que também repetiu o 3º lugar de 2016.

Em masculinos, o marroquino Rachid El Morabity, que já venceu a prova 4 vezes, voltou a vencer em 19h15m23s, seguido do seu irmão Mohamed El Morabity e do também marroquino Aziz El Akad.

Até agora, os melhores resultados obtidos por portugueses nesta prova foram os dois quartos lugares de Carlos Sá em 2012 e 2014 e o sexto de Susana Simões em 2012.

foto-3-desertoA ultra maratona em números

. Mais de 13.000 participantes desde 1986

. 30% voltam a inscrever-se na prova

. 70% são estrangeiros

. 30% são franceses

. 14% são mulheres

. 45% são veteranos

. 30% participam em equipas

. 10% caminham

. 90% caminham e correm

. 16 anos é a idade do mais jovem

. 79 anos é a idade do mais velho

. 130 voluntários

. 120 mil litros de água

. 120 veículos 4×4 e camiões

. 25 autocarros

. 4 camelos

Deixar Resposta