Évora campeão e Tsanko recordista foram os melhores da época na Pista Coberta

0
2692

A época masculina de pista coberta foi bem positiva, não só pelo comportamento de Nelson Évora (campeão) e Tsanko Arnaudov (recordista) no Europeu de Belgrado, mas pelo seu nível geral, bem superior ao da época passada: entre os líderes do ano em cada especialidade, 8 fizeram melhor que em 2016, contra apenas 5 que fizeram pior (igualdade nas barreiras). Em profundidade (10º atleta do ano), houve agora 9 marcas melhores contra apenas 4 piores (igualdade na altura).

Para além de Évora e Tsanko, houve mais quatro atletas (masculinos) no Europeu e dois outros velocistas não puderam deslocar-se por lesão (Diogo Antunes e Carlos Nascimento).

Em termos coletivos, a época ficou marcada pelo título máximo conseguido pelo Sporting, que ganhara 17 vezes seguidas entre 1996 e 2011, mas vira o Benfica superiorizar-se nos últimos cinco anos. O equilíbrio foi grande, mas a lesão de Marcos Chuva fez a balança pender para o lado sportinguista. Sem ela, o Benfica ganharia por… um ponto! Nos escalões jovens, o Benfica mantém larga superioridade: 13º título consecutivo em sub’23, 7º em juniores e 2º em juvenis.

PÓDIO

1º NELSON ÉVORA (SPORTING)

Foi figura em foco no defeso, devido à transferência do Benfica para o Sporting (e do seu treinador de sempre, João Ganço para Ivan Pedroso), e voltou a sê-lo na pista, ao recuperar os índices de 2015 e… o título europeu, com aquela que é a sua 5ª marca de sempre em pista coberta (17,20m), a um centímetro da que lhe deu o título de há dois anos. E, pelo terceiro ano consecutivo, lidera o pódio de pista coberta da Revista Atletismo.

2º TSANKO ARNAUDOV (BENFICA)

Depois de lançar a 20,53m em Pombal, chegou ao Europeu e bateu (por dois centímetros) o seu sensacional recorde nacional (absoluto) de há dois anos, com um lançamento a 21,08… que “só” lhe deu o 4º lugar.

3º FRANCISCO BELO (BENFICA)

Melhorou no peso de 19,58 ao ar livre, em 2016, para 20,35m, tornando-se o terceiro português acima dos 20 metros. Foi no CAR do Jamor, de manhã, e confirmou na parte da tarde desse dia, no Meeting de Pombal, com 20,04. E, entretanto, ao ar livre, fez sensação no disco ao bater o recorde nacional…

… E AINDA

Ancuiam Lopes (Sporting) progrediu de 6,78 para 6,71s nos 60 m e de 22,38 para 21,50s nos 200 m (tem 21,41 ao ar livre) num setor de velocidade em foco, mas muito marcado pelas lesões. Paulo Gonçalves (Benfica) passou três vezes 2,20m e fez inúmeras tentativas (algumas delas quase sucedidas) para ultrapassar o seu recorde nacional de 2,24. Miguel Marques (J. Vidigalense) melhorou de 7,50 para 7,73m no comprimento (7,57 ao ar livre) e de 15,14 para 15,55m no triplo. Marcos Chuva (Benfica) estava a fazer uma boa época (7,91m) quando se lesionou. E depois fez três nulos na qualificação do Europeu…

A CONFIRMAÇÃO: MAURO PEREIRA (BENFICA)

O júnior Mauro Pereira, atleta do Gira Sol em 2016, já havia dados nas vistas, sendo mesmo considerado Revelação do Ano, em 2016, pela Revista Atletismo, depois do seu 2º lugar nos 200 metros do Campeonato de Portugal, apenas com 18 anos. Esta época, ingressado no Benfica, voltou a registar bons progressos nos 200 metros, de 21,71 (ao ar livre) para 21,66s (recorde nacional de juniores), e, com 48,31s aos 400 m (2º júnior de sempre), aproximou-se dos 48,24 que tem ao ar livre.

A REVELAÇÃO: IVO TAVARES (CAMPISMO)

Ivo Tavares (Campismo) chegou aos 6,96m no comprimento na época passada, ao ar livre e com uma ajuda do vento no limite (+1,9 m/s). Esta época, com 21 anos de idade, o atleta de Chaves, que estuda na Faculdade de Desporto do Porto, começou com 7,19 em dezembro, foi vice-campeão nacional com 7,31 e ganhou o Nacional Universitário com 7,39. Foi a grande revelação.

OS PÓDIOS ANUAIS DA REVISTA ATLETISMO
1996 1º Carlos Calado 2º Nuno Fernandes 3º Carlos Silva
1997 1º Fernando Alves 2º Carlos Calado 3º Mário Barbosa
1998 1º Carlos Calado 2º Rui Silva 3º Mário Aníbal
1999 1º Rui Silva 2º Carlos Calado 3º Rui Palma
2000 1º Rui Silva 2º Mário Aníbal 3º Jonas Mattes
2001 1º Rui Silva 2º Carlos Calado 3º Ricardo Alves
2002 1º Rui Silva 2º Carlos Calado 3º Rafael Gonçalves
2003 1º Rui Silva 2º Luís Sá 3º Carlos Calado
2004 1º Rui Silva 2º Francis Obikwelu 3º Nelson Évora
2005 1º Gaspar Araújo 2º Francis Obikwelu 3º Paulo Ferreira
2006 1º Nelson Évora 2º Rafael Gonçalves 3º João Vieira
2007 1º Nelson Évora 2º João Vieira 3º Arnaldo Abrantes
2008 1º Nelson Évora 2º Marco Fortes 3º Paulo Gonçalves
2009 1º Rui Silva 2º Marco Fortes 3º Arnaldo Abrantes
2010 1º Marco Fortes 2º Bruno Albuquerque 3º Marcos Caldeira
2011 1º Francis Obikwelu 2º Marco Fortes 3º Rui Silva
2012 1º Marco Fortes 2º Edi Maia 3º Marcos Chuva
2013 1º Marco Fortes 2º Hélio Gomes 3º Rasul Dabo
2014 1º Edi Maia 2º Marco Fortes 3º Rasul Dabo
2015 1º Nelson Évora 2º João Almeida 3º Yazaldes Nascimento
2016 1º Nelson Évora 2º Paulo Conceição 3º Samuel Remédios

 

PROGRESSÂO NO TOP’10 NACIONAL
Tsanko Arnaudov SLB peso 21,08
Francisco Belo SLB peso 20,35
Miguel Carvalho SLB 5km M 19.57,83
Miguel Marques JV comp. 7,73
Ancuiam Lopes SCP 60 m 6,71
Ancuiam Lopes SCP 200 m 21,5
João Fontela JV 60 bar. 7,99

 

OS MELHORES DO ANO PROVA A PROVA
60 m Diogo Antunes SLB 6,69
200 m David Lima SLB 21,47
400 m Vítor Ricardo Santos SLB 47,85
800 m Miguel Moreira SLB 1.51,03
1500 m Emanuel Rolim SLB 3.43,17
3000 m Emanuel Rolim SLB 8.04,49
60 bar. Rasul Dabo SCP 7,88
Altura Paulo Conceição SLB 2,2
Vara Diogo Ferreira SLB 5,54
Comp. Marcos Chuva SLB 7,91
Triplo Nelson Évora SCP 17,2
Peso Tsanko Arnaudov SLB 21,08
Heptatlo Tiago Boucela GREC 5085
5000 mM João Vieira SCP 19.32,08
4×400 m SL Benfica SLB 3.16,91

 

RECORDES NACIONAIS DE PISTA COBERTA BATIDOS EM 2016/17
ABSOLUTOS
Peso Tsanko Arnaudov (Benfica) 21,08 Belgrado 05-03-2017
SUB-23
4×200 m SL Benfica 1.29.91 Pombal 26-02-2017
JUNIORES
200 m Mauro Pereira (Benfica) 21,66 Pombal 12-02-2017
JUVENIS
300 m Tomás Gonçalves (AA Ch Caparica) 35,21 Pombal 04-02-2017
INICIADOS
Quádruplo Diogo Andrade (CF Oliv. Douro) 15,48 Braga 18-12-2016

 

Ver rankings 2016/17 em http://atletismo-estatistica.pt/anuais/absolutos-p-cob-2017-m/

Amanhã: balanço feminino da época de pista coberta

Deixar Resposta