Ex-campeão mundial Dai Greene: “Atletismo perdeu a oportunidade para brilhar após bloqueio”

0
152

Dai Greene, ex-campeão mundial dos 400 m barreiras, acredita que o atletismo “perdeu uma janela de oportunidade” durante a interrupção das provas devido à pandemia do coronavírus.

O galês, de 34 anos, aponta para a maneira como o futebol foi capaz de recomeçar de forma relativamente rápida após o bloqueio. Na sua opinião, o atletismo também poderia ter encontrado uma audiência de massas na televisão.

“Infelizmente, acho que o atletismo perdeu uma janela de oportunidade para se mostrar quando outros desportos estão limitados”, disse Greene à BBC East Midlands Today.

“O atletismo é sem contato, há muitas provas em que há distanciamento social. Mas infelizmente, o nosso desporto foi deixado para trás. Recentemente, tivemos o cancelamento de algumas competições maiores e a única competição real que temos no Reino Unido é o campeonato britânico”.

“Eu posso entender as reservas das pessoas sobre a realização de competições, mas seria ótimo se pudéssemos ter mais atletismo na TV, já que não há muito no momento.”Se o futebol pode fazer isso, certamente outros desportos também podem.”

“Sem corridas, sem dinheiro”

Greene admite que a falta de eventos competitivos devido ao impacto do coronavírus causou preocupações financeiras à maioria dos atletas.

“É difícil, eu ganho quase todo o meu dinheiro com corridas e corridas não são algo que possamos fazer no momento”, disse Greene.

“Eu sei que não sou a única pessoa que está nesse tipo de situação, mas tem sido difícil e será difícil nos próximos seis meses”.

Em 2011, Dai Greene sagrou-se campeão europeu, da Commonwealth e do mundo nos 400 m barreiras. Ele esperava competir este mês pela Grã-Bretanha nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que foram adiadas para 2021.

“Tenho 34 anos agora, tive um bom ano de treinos e deveria estar em Tóquio competindo nos Jogos Olímpicos”, afirmou Greene.

“É uma pílula difícil de engolir, mas, ao mesmo tempo, sinto que a maioria dos atletas sabe que foi a decisão certa em adiá-los.”

“É simplesmente desanimador, mas, considerando tudo o que está acontecendo no mundo no momento, é compreensível”.

 

Deixar Resposta