Fraca presença no Europeu de Juniores

0
2280

Apesar de alguns pontos positivos (sextos lugares de Filipe Vitorino nos 10000 m e de Marisa Carvalho nos 100 m barreiras e recorde nacional da seleção feminina de 4×100 m), a presença portuguesa no Europeu de juniores de Grosseto (Itália) foi das mais fracas de sempre nesta competição. As escassas duas presenças em lugares de finalista (dois sextos lugares) representam seis pontos, a terceira pior pontuação das últimas 16 edições, desde 1987 (há 30 anos), apenas superior às de 1997 (3 pontos) e 2015 (0 pontos). Portugal foi apenas 34º nesta pontuação, entre 36 países pontuados (e cerca de 45 presentes, embora vários com apenas um ou dois atletas). E dos 31 atletas presentes (um recorde), apenas Marisa Carvalho se classificou nitidamente na primeira metade da classificação, havendo depois mais quatro atletas classificados precisamente a meio. E a maioria dos restantes ficaram no último terço.

Olhando para o mapa das presenças portuguesas, verifica-se que se conseguiram medalhas (6 de ouro, 7 de prata, 5 de bronze) em 11 das edições do Europeu, mas a última já foi em 2009. O pior é que o número de finalistas (8 primeiros) também tem vindo a diminuir…

PORTUGUESES NOS EUROPEUS DE JUNIORES

ATLETAS, MEDALHAS, FINALISTAS E PONTOS

ANO LOCAL PAÍS ATLETAS OURO PRATA BRONZE FINAL. PTS.
1964 Varsóvia POL
1966 Odessa URS
1968 Leipzig RDA
1970 Paris FRA 6 (4+2)
1973 Duisburgo RFA 3 (3+0)
1975 Atenas GRE
1977 Donetz URS 5 (4+1)
1979 Bydgoszcs POL 7 (6+1) 1 1 6
1981 Utrecht HOL 9 (7+2) 1 1
1983 Viena AUT 11 (8+3) 1 4
1985 Cottbus RDA 12 (8+4) 1 5
1987 Birmingham GBR 12 (6+6) 1 1 7 30
1989 Varazdin POL 22 (10+12) 1 9 33
1991 Salónica GRE 13 (6+7) 1 1 4 15
1993 S. Sebastian ESP 20 (14+6) 2 9 35
1995 Nyiregyhasa HUN 10 (5+5) 1 7 23
1997 Ljubliana SLV 14 (8+6) 2 3
1999 Riga LET 22 (11+11) 7 25
2001 Grosseto ITA 13 (7+6) 2 1 6 28
2003 Tampere FIN 10 (6+4) 2 1 5 23
2005 Kaunas LIT 17 (8+9) 1 4 15
2007 Hengelo HOL 11 (6+5) 1 1 4 19
2009 Novi Sad SER 17 (10+7) 1 2 11
2011 Tallin EST 20 (12+8) 7 21
2013 Rieti ITA 19 (9+10) 4 11
2015 Eskilstuna SUE 20 (15+5)
2017 Grosseto ITA 31 (14+17) 2 6

Cinco recordes dos campeonatos

A Grã-Bretanha foi o país mais pontuado (8-7-6-…-3-2-1 pontos para os oito primeiros), somando 188 pontos, contra 162,5 da Alemanha e 140,5 da França. A Grã-Bretanha teve 19 medalhas e repartiu com a Alemanha o maior número de títulos (5). Houve 30 países medalhados.

A nível individual, destaque para a queda de dois recordes mundiais de juniores e de mais três recordes dos campeonatos. O alemão Niklas Kaul, com 8435 pontos no decatlo, bateu o recorde mundial, tal como a estafeta feminina de 4×100 m do seu país, com 43,27. Conseguiram ainda recordes dos campeonatos o bielorusso Maksim Nedasekau, com 2,33 na altura; o sueco Armand Duplantis, com 5,65 na vara; e o ucraniano Hlib Piskunov, com 81,75 no martelo/6 kg.

Mas a vedeta dos campeonatos foi o holandês Jacob Ingebrigtsen, ainda juvenil (16 anos), que em quatro dias correu eliminatórias e finais de 1500 m e 3000 m obstáculos e ainda a final direta de 5000 m, ganhando os obstáculos (8.50,00) e os 5000 m (14.41,67) e só falhando os 1500 m (8º). Resta saber se, a este ritmo, chegará a sénior…

Deixar Resposta