Guilherme Almeida e Beatriz Rios os melhores no Nacional de Juvenis

2
1328

Nuns Campeonatos Nacionais de Juvenis (este fim-de-semana, em Pombal) inferiores aos de 2018, mas com alguns pontos positivos, salientaram-se em especial Guilherme Almeida, campeão do heptatlo e comprimento, e Beatriz Rios, vencedora dos 3000 m (e 2ª nos 1500 m), sem esquecer a tri-campeã Carla Rodrigues (800 m, vara e pentatlo). Relativamente a 2018, o campeonato masculino equivaleu-se: 6 marcas vencedoras melhores, 7 piores; 7 terceiras melhores, 6 piores. Quanto ao feminino, foi bem pior: apenas 3 das 13 marcas vencedoras e 5 das 13 terceiras foram este ano melhores (deixaram de realizar-se os 200 m e os 4×200 foram substituídos pelos 4×300 m). Houve oito campeões (4 de cada sexo) e um total de 25 presenças no pódio (em 72) de atletas que ainda são juvenis de 1º ano. Três atletas mantiveram os títulos conquistados em 2018: Guilherme Almeida (heptatlo), Ana Costa (300 m) e Inês Borba (1500 m).

OS MELHORES:

Masculinos: GUILHERME ALMEIDA (ESC. MOVIMENTO)

Há três semanas, em Braga, mantivera o título nacional do heptatlo conquistado na época passada, melhorando de 4424 para 4671 pontos e subindo a segundo juvenil de sempre (embora a prova seja de implantação recente). Este fim-de-semana juntou-lhe o título do comprimento, com a boa marca de 6,83 (7º juvenil de sempre). Tinha 6,28 em pista coberta e 6,66 ao ar livre na época passada.

Femininos: BEATRIZ RIOS (AMIGOS DA MONTANHA)

Já se notabilizara na época passada, como iniciada, ao bater o recorde nacional de 1500 m obstáculos. E está a confirmar esta época, a sua primeira como juvenil, ao ganhar os 3000 m destacadíssima (34 segundos!) em 9.54,13, marca que a coloca como quinta juvenil de sempre. Foi ainda segunda nos 1500 m.

RECORDES DOS CAMPEONATOS

Embora esta tenha sido apenas a quinta edição do Nacional de Juvenis em pista coberta – e, portanto, com recordes de uma forma geral ainda acessíveis – há a salientar a queda de quatro recordes dos campeonatos:

3000 m (M): Fábio Simões (RD Águeda)     8.49,09

(antes: Etson Barros, CO Pechão, 8.49,94 – 2018)

Comp. (M): Guilherme Almeida (E. Movimento)     6,83

(antes: Ailton Fernandes, SL Benfica, 6,82 – 2016)

5000 m M (M): Pedro Dias (CO Pechão)      22.49,84

(antes: Rodrigo Marques, CO Pechão, 23.03,13 – 2016)

Peso/3kg (F): Débora Quaresma (Sporting CP)        14,03

(antes: Marisa Carvalho, SL Benfica, 14,00 – 2016)

CLUBES

Não houve novidades: o Benfica foi campeão masculino pela terceira vez em cinco anos de campeonatos (antes: 2016 e 2017), recuperando o título que na época passada foi do CF Oliveira do Douro; e o Sporting foi campeão feminino pela segunda vez, depois da vitória de 2018, agora com o CF Oliveira do Douro em 2º lugar. A Juventude Vidigalense continua a somar pódios: foram o terceiro masculino e o quinto feminino (campeã em 2017).  Só o Benfica tem mais pódios coletivos: nove ao todo (em 10 possíveis).

2 Comentários

  1. Boa Tarde
    Obrigado pela divulgação dos resultados.
    Existe um erro nos resultados divulgados pela FPA e por consequência nos resultados deste artigo.
    O Guilherme Almeida fez 4671 pontos no heptatlo e não 4571 pontos como referido, e assim subiu a 2º melhor de sempre na disciplina. Para comprovar isto mesmo peço-lhe que consulte os resultados do Nacional de Juvenis de Provas Combinadas.
    Obrigado e continuação de bom trabalho.

    • Senhor Gonçalo,
      Muito obrigado pela sua chamada de atenção. Já retificámos o texto.
      Cumprimentos,
      Manuel Sequeira

Deixar Resposta