História apagada: saiba quem perde com possível anulação de recordes mundiais

0
2768

Proposta da Federação Europeia ainda precisa ser votada pelas Federações Nacionais

Caso seja aprovada em assembleia da IAAF), a proposta de anulação de recordes mundiais anteriores a 2005 vai mexer (e muito) com as listas dos melhores da história. Algumas das maiores lendas do atletismo mundial perderão os seus recordes mundiais. Eis a lista dos atletas que serão afetados.

Florence Griffith-Joyner (EUA)

100m – 10s49 – 16/7/1988
200m – 21s34 – 29/9/1988

Dona de três ouros olímpicos dos Jogos de Seul 1988, Florence Griffith-Joyner é recordista dos 100 m e 200 m feminino. A sua morte precoce aos 38 anos, em vez de atenuar as suspeitas, tornou-se mais um capítulo de desconfiança do uso de substâncias proibidas.

As dúvidas deram-se pela ascensão meteórica das marcas da velocista às vésperas dos Jogos de Seul, assim como pelo fim abrupto da sua carreira e pela longevidade das duas marcas, muito distantes das gerações que a sucederam. Nos 100 m, por exemplo, Flo-Jo tinha 10s96 como melhor marca antes dos Jogos Olímpicos. Ao longo da competição, elaa baixou para 10s60 e, depois, para 10s48, marca reinante desde então.

A americana Carmelita Jeter, com 10s64, foi quem chegou mais perto de  de quebrar esta barreira nos 100 m. Nos Jogos do Rio, por exemplo, a campeã Elaine Thompson fez 10s71.

Sergey Bubka – (Ucrânia)

Salto à vara – 6,14 m – 31/7/1994

Bubka foi rei absoluto durante anos na casa dos seis metros. Depois de retirado, continuou ligado à modalidade como embaixador e vice-presidente da IAAF – foi derrotado por Sebastian Coe na eleição para presidente em 2015.

Javier Sotomayor (Cuba)

Salto em altura — 2,45m – 27/7/1993

foto-sotomayorUma das lendas do desporto cubano, Javier Sotomayor perderá os seus recordes em pista coberta e ao ar livre. Campeão olímpico em 1992 e vice em 2000, o especialista no salto em altura ostenta ainda no currículo, dois títulos mundiais (1993 e 1997), além de vice em outras duas edições.

Nos Jogos Pan-Americanos, competição na qual se sagrou vencedor três vezes, veio também a maior mancha de sua carreira: no evento de 1999, em Winnipeg, um exame antidoping positivo para cocaína. O cubano, no entanto, sempre negou o consumo da droga e afirmou ter sido vítima de sabotagem. A argumentação de sua defesa surtiu efeito, tanto que foi autorizado a competir nos Jogos de 2000 e subiu ao pódio.

Hicham El Guerrouj (Marrocos)

1500 m masculino – 3m26s – 14/7/1998
1 milha masculino – 3m43s16 – 7/7/1999
2000 m masculino – 4m44s79 – 7/7/1999
1500 m (pista coberta) masculino – 3m31s18 – 2/2/1997
1 milha (pista coberta) masculino 3m48s45 – 12/02/1997

Um dos mais prejudicados será Hicham El Guerrouj, que acumula cinco recordes mundiais entre eventos ao ar livre e em pista coberta. O meio-fundista marroquino foi campeão olímpico dos 1.500 m e 5.000 m em Atenas 2004, sendo ainda prata nos 1.500 m em Sydney 2000.

Kenenisa Bekele (Etiópia)

5000 m – masculino – 12m37s35 – 13/6/1998

foto-kenenisa-bekele_Outro meio-fundista que perderá o status é Kenenisa Bekele, maior nome da dobradinha 5.000 m e 10.000 m antes da ascensão de Mo Farah. Dono de três ouros e uma prata olímpica, além de cinco títulos mundiais – quatro deles na maior distância -, o etíope perderá o recorde dos 5.000 m por uma questão de meses. A marca histórica foi obtida em Maio de 2004. Se serve de consolo, pelo menos pelo critério de tempo, ele poderá manter o recorde dos 10.000 m, obtido em Agosto de 2005.

Michael Johnson

Estafeta 4 x 400m – masculino – EUA – 2m54s29 – 22/8/1993

O velocista americano retirou-se como detentor de três recordes mundiais. O primeiro foi superado pelo jamaicano Usain Bolt nos 200. No ano passado, viu ao vivo o sul-africano Wayde van Niekerk bater o recorde dos 400m. Agora, fora da pista, ele sofrerá com a anulação do recorde da estafeta 4×400 m dos Estados Unidos, obtido no Mundial de 1993. O quarteto campeão contava ainda com Harry Reynolds, Andrew Valmon e Quincy Watts.

Todos os recordes em pista ao ar livre que podem ser anulados

Masculinos

1000 m – Noah Ngeny (Quénia) – 2m11s96 – 5/9/1999
1500 m – Hicham El Guerrouj (Marrocos) – 3m26s – 14/7/1998
1 milha – Hicham El Guerrouj (Marrocos) – 3m43s16 – 7/7/1999
2000 m – Hicham El Guerrouj (Marrocos) – 4m44s79 – 7/7/1999
3000 m – Daniel Komen (Quénia) – 7m20s67 – 1/7/1996
5000 m – Kenenisa Bekele (Etiópia) – 12m37s35 – 13/6/1998
3000 m obstáculos – Saif Saaeed Shaheen (Qatar) – 7m53s63 – 3/9/2004
400 m barreiras – Kevin Young (EUA) – 46s78 – 6/8/1992
100 km – Takahiro Sunada (Japão) – 6h13m33 – 21/6/1998
Salto em altura – Javier Sotomayor (Cuba) – 2,45m – 27/7/1993
Salto à vara – Sergey Bubka (Ucrânia) – 6,14m – 31/7/1994
Salto em comprimento – Mike Powell (EUA) – 8,95m – 30/8/1991
Triplo Salto – Jonathan Edwards (Grã-Bretanha) – 18,29 – 7/8/1995
Lançamento do peso – Randy Barnes (EUA) – 23,12 – 20/5/1990
Lançamento do disco – Jurgen Schult (Alemanha) – 74,08m – 6/6/1986
Lançamento do martelo – Yuriy Sedykh (Polónia) – 86,74 – 30/8/1986
Lançamento do dardo – Jan Zelezny (República Checa) – 98,48m – 25/5/1996
Estafeta 4 x 400m – EUA – 2m54s29 – 22/8/1993

Femininos

100 m – Florence Griffith-Joyner (EUA) – 10s49 – 16/7/1988
200 m – Florence Griffith-Joyner (EUA) – 21s34 – 29/9/1988
400 m – Marita Koch (Alemanha) – 47s60 – 6/10/1985
800 m – Jarmila Kratochvílová (Rep. Checa) – 1m53s28 – 26/7/1983
1000 m – Svetlana Masterkova (Rússia) – 2m28s98 – 23/8/1996
1 milha – Svetlana Masterkova (Rússia) – 4m12s56 – 14/8/1996
2000 m – Sonia O’Sullivan (Irlanda) – 5m25s36 – 8/7/1994
3000 m – Junxia Wang (China) – 8m06s11 – 13/9/1993
20000 m – Tegla Loroupe (Quénia) – 1h05m26s6 – 3/9/2000
25000 m – Tegla Loroupe (Quénia) – 1h27m05s9 – 21/9/2002
30000 m – Tegla Loroupe (Quénia) – 1h45m50 – 6/6/2003
400 m barreiras – Yuliya Pechenkina (Rússia) – 52s34 – 8/8/2003
Maratona – Paula Radcliffe (Grã-Bretanha) – 2h15m25 – 13/4/2003
100 km – Tomoe Abe (Japão) – 6h33m11 – 25/6/2000
Salto em altura – Stefka Kostadinova (Bulgária) – 2,09m – 30/8/1987
Salto em comprimento – Galina Chistyakova (URSS) – 7,52m – 11/6/1988
Triplo Salto – Inessa Kravets (Ucrânia) – 15,50m – 10/8/1995
Lançamento do peso – Natalya Lisovskaya (URSS) – 22,63m – 7/6/1987
Lançamento do disco – Gabriele Reinsch (República Democrática Alemã) – 76,80m – 9/7/1988
Heptatlo – Jackie Joyner-Kersee (EUA) – 7291 pontos – 24/9/1988
10000 m marcha – Nadezhda Ryashkina (URSS) – 41m56s23 – 24/7/1990
20000 m marcha – Olimpiada Ivanova (Rússia) – 1h26m52s3 – 6/9/2001
Estafeta 4 x 200m – Estados Unidos – 1m27s46 – 29/4/2000
Estafeta 4 x 400m – URSS – 3m15s17 – 1/10/1988
Estafeta 4 x 800m – URSS – 7m50s17 – 5/8/1984

 

Deixar Resposta