Irina Rodrigues (62,93 no disco) e Victor Korst (2,25 na altura) em grande plano

0
353

A sportinguista Irina Rodrigues conseguiu este sábado a sua quarta marca de sempre (62,93) e a melhor desde 2016 no decorrer da prova de disco denominada “Guerra dos Sexos”, que a Federação organizou em Leiria (Centro Nacional de Lançamentos). Ficou a pouco mais de um metro do seu recorde pessoal (63,96), que data de 2016 e que a colocam como segunda portuguesa de sempre, a seguir à recordista Teresa Machado (65,40 em 1998).

Irina Rodrigues obteve a marca no 5º ensaio e voltou a passar os 60 metros no 6º ensaio, com 61,09. Antes da paragem devido ao coronavírus, Irina já lançara a 62,81 no Nacional de Inverno de lançamentos.

Liliana Cá, com 58,23 a abrir o concurso, liderou até ao 5º ensaio de Irina. Seguiram-se-lhes Jéssica Inchude, com 45,83, e a júnior Eva Gonçalves, com 44,81, novo recorde pessoal (antes: 44,14 em 2019).

Mais fraco o setor masculino. O benfiquista Francisco Belo fez a sua primeira prova de disco da época a ganhou com 56,46, ainda aquém dos 58,30 do agora ausente Emanuel Sousa no Nacional de Lançamentos. Seguiram-se Edujose Lima (55,21), o irlandês Marco Pons (50,79) e Mykyta Sudashov (46,96).

Tal como acontecera há dias na prova de lançamento do peso, as mulheres ganharam (e destacadamente) a “Guerra dos Sexos”.

Entretanto, em Lisboa, nas Provas de Preparação organizadas pela AAL, o benfiquista Victor Korst esteve em grande evidência, ao bater por duas vezes o seu recorde pessoal (2,20 em… 2015), com 2,22 e 2,25, marca apenas foi superada este ano por Paulo Conceição, com um recorde nacional de 2,28. Korst tentou depois os 2,29, não ficando longe do êxito.

Deixar Resposta