Isinbayeva reage a novo documentário no canal alemão ARD sobre doping russo

0
2350

A ex-saltadora russa Yelena Isinbayeva, bicampeã olímpica e recordista mundial do salto à vara, reagiu à divulgação de um novo documentário da televisão pública alemã “ARD” que denunciou o doping de Estado na Rússia.

“Porque é que os delatores não entram em contacto com as autoridades em vez de filmar material com uma câmera escondida para depois vendê-lo? Por que não vão ao Ministério do Desporto ou à agência antidoping para denunciar as violações?”, escreveu a russa no Instagram.

Presidente do comité de controle da Agência Antidoping Russa (Rusada), Isinbayeva questiona o porquê de o desporto russo enfrentar novamente acusações coletivas sobre a sua limpeza e diz não haver provas.

“Sou contra o doping, contra aquelas pessoas que violam as regras antidoping, mas também sou contra aqueles que sem evidência ou motivo, põem em dúvida a existência de um desporto limpo e de atletas limpos na Rússia”, afirmou.

A bicampeã olímpica denunciou em particular que os atletas honestos sejam denegridos por aqueles atletas que fracassaram no desporto e que “querem ganhar dinheiro” com essas denúncias sobre o doping em massa na Rússia, que ela reitera serem infundadas.

Impedida de tentar  uma quarta medalha olímpica no Rio de Janeiro, devido à desclassificação de toda a equipa russa, Isinbayeva lembrou que ela nunca recorreu a substâncias proibidas, “ao contrário de outros atletas ocidentais”. “Para nós, a nossa saúde e a nossa reputação são mais importantes do que medalhas sujas'”, insistiu.

No novo documentário emitido pela “ARD” no último domingo, o meio-fundista russo Andrei Dmitriev denunciou que muitos treinadores suspensos por envolvimento no doping, continuam a trabalhar secretamente para a federação russa. Além disso, disse que entre 70 e 80% dos atletas russos consomem substâncias proibidas.

Entretanto, o presidente da IAAF, Sebastian Coe, confirmou que a Rússia não poderá participar de forma alguma como equipa nacional no Europeu de Pista Coberta em Belgrado, em Março. Com isso, 12 atletas russos já solicitaram competir sob bandeira neutra, entre eles o campeão olímpico no salto em altura em Pequim 2008, Ivan Ukhov.

Presidente do Comité Paralímpico Internacional não garante a Rússia nos Jogos Paralímpicos de Inverno em 2018

Também o presidente do Comité Paralímpico Internacional (IPC) afirmou não poder garantir que os atletas russos sejam autorizados a participar nos Jogos Paralímpicos de Inverno, devido a questões de doping.

“Não sei, e não acredito que alguém saiba”, afirmou Philip Craven em entrevista à BBC, quando questionado sobre a possibilidade de os atletas russos participarem nos Jogos Paralímpicos de Inverno Pyeongchang2018, que decorrerão na Coreia do Sul entre 09 e 18 de Março.

O presidente do IPC disse ainda que não espera pedidos de desculpa das autoridades desportivas russas, mas sim ação vontade de resolver o problema.

 

Deixar Resposta