Liliana Cá com prata e velocistas em bom plano

1
2147

(Foto FPA)

Liliana Cá conquistou esta quinta-feira uma inesperada medalha de prata na prova de disco dos Jogos do Mediterrâneo, em Tarragona (Espanha), numa prova em que Irina Rodrigues foi quarta. O dia ficou ainda marcado pelas boas marcas dos velocistas.

A primeira medalha portuguesa do atletismo foi conquistada por Liliana Cá, que conseguiu três excelentes lançamentos a 58,08 (2º ensaio), 60,05 (3º) e 59,31 (4º), aproximando-se a um metro do seu recorde pessoal (61,02). Já Irina Rodrigues ficou aquém da sua valia, sendo 4ª com 57,71. A prova foi ganha pela favoritíssima Sandra Perkovic (Croácia), com 66,46 no primeiro ensaio, único válido.

Na velocidade, o destaque vai para os 21,04 de Rafael Jorge nas eliminatórias de 200 metros, e para os 10,41 e 10,43 de Diogo Antunes (4º) e José Pedro Lopes (5º) na final de 100 metros. Esta, corrida com um vento de -0,6 m/s, foi ganha pelo turco Jack Ali Harvey em 10,10 e Diogo Antunes ficou a escassos quatro centésimos do pódio. Nas eliminatórias de 200 m, Rafael Jorge, ainda sub’23, bateu o recorde pessoal de 21,14 (em 2017, em Salamanca) para 21,04 (vento: +1,3) mas ficou fora da final por um lugar. Quem conseguiu lugar na prova decisiva foi David Lima, que correu em 21,01, embora com vento a +2,6 m/s. Na prova feminina, Filipa Martins foi sexta na sua eliminatória, com 24,70.

Nas outras finais deste 2º dia, Cátia Azevedo foi 5ª nos 400 m, com 52,63 (ganhou a cipriota Elesi Artymata, com 51,19); Vítor Ricardo Santos foi 7º nos 400 m, com 46,64 (triunfou o italiano Davide Re, em 45,26); e Eleonor Tavares e Marta Onofre foram 7ª na vara, com 4,11 à segunda tentativa (falharam depois 4,21), em prova ganha pela francesa Ninan Romarin, com 4,46. A última prova do dia, os 3000 m obstáculos, foi ganha por Luiza Gega (Albânia), em 9.27,73.

Na 3ª jornada, esta sexta-feira, estarão em ação quatro portugueses no atletismo: Patrícia Mamona e Susana Costa na final direta do triplo (às 19.00 h portuguesas); David Lima na final de 200 m (19.15 h); e Inês Monteiro na final de 5000 m (20.15 h).

1 Comentário

  1. Convém dizer que com os 46,64, mínimos B, o Vítor Ricardo Santos carimbou o seu passaporte para os Europeus, umas vez que apesar de já ter feito várias vezes os mínimos B (46,70) ainda não os tinha feito no período estipulado pela FPA (“As MQ B podem ser obtidas entre 25 de maio e 29 de julho de 2018”).

Deixar Resposta