Mais uma desistência de Sara Moreira em dobradinha etíope na Maratona de Paris

0
121

A Etiópia dominou a 43ª Maratona de Paris de 2019 ao vencer em masculinos e femininos. Os etíopes repetiram assim o ano de 2010 e conseguiram uma dobradinha pela segunda vez na história da competição, que é a sétima mais antiga da Europa. A primeira edição, ainda só masculina, foi em 1976.

Com apenas 2º C à partida, o frio foi um adversário difícil mas não impediu que os africanos dominassem mais uma vez a prova. Ambos os vencedores comentaram a baixa temperatura, nada habitual para eles. Vencedora da prova feminina, Gelete Burka enfatizou a dificuldade de enfrentar a situação. “O tempo é difícil. Aqui é zero graus, é muito frio para mim. Quando eu estou respirando, é muito complicado. De qualquer forma, eu estou muito feliz por ter vencido. É muito difícil. Está congelando aqui”.

maratona parisApesar das dificuldades, Burka fez uma grande prova. A cerca de um quilómetro da meta, a etíope acelerou para assumir a liderança e assim se manteve até ao final. Com um sorriso no rosto, Geleth Burka cortou a meta em 2h22m44s.

Em destaque, esteve também a francesa Clémence Calvin, autorizada a competir à última hora devido à polémica com uma suposta recusa a um controlo antidoping em Marrocos, ao ser quarta com um novo recorde nacional que pertencia a Christelle Daunay com 2h24m22s.

Sara Moreira participou na prova mas desistiu depois dos 26 km. Foi a quinta vez consecutiva que Sara desistiu numa maratona. Desde 2015 em Nova York que ela não completa uma maratona.

Em masculinos, venceu Abrha Milaw em 2h07m03s, impedindo assim o queniano Paul Lonyangata de vencer pelo terceiro ano consecutivo.

A menos de 6 km da meta, ainda havia um grupo de seis atletas na liderança. Aos 39 km, Abrha Milaw, vencedor da última maratona dos Alpes Marítimos, desferiu um ataque e isolou-se.

Destaque ainda para o espanhol Martin Fiz que bateu o velho recorde espanhol do escalão + 55 anos, ao terminar em 2h27m45s. O anterior recorde pertencia a Manuel Rosales desde 1992 com 2h32m26s.

97,8% dos que iniciaram a prova, conseguiram cortar a meta. Já abriram as inscrições para 2020.

Resultados

Masculinos 

1. Abrha Milaw (Etiópia) 2:07:05
2. Asefa Mangitsu (Eiópia) 2:07:25
3. Paul Lonyangata (Quénia) 2:07:29
4. Morris Gachaga (Quénia) 2:07:46
5. Barselius Kipyego (Quénia) 2:07:58
6. Polat Arikan (Turquia) 2:08:14
7. Yitayal Atnafu (Etiópia) 2:08:31
Femininos

1. Gelete Burka (Etiópia) 2:22:47
2. Azmera Gebru (Etiópia) 2:22:52
3. Azmera Abreha (Etiópia) 2:23:35
4. Clemence Calvin (França) 2:23:41
5. Sally Chepyego (Quénia) 2:23:54
6. Pascalia Kipkoech (Quénia) 2:26:05
7. Zefrie Limeneh (Etiópia) 2:26:49

Deixar Resposta