Manutenção na I Liga é objetivo no Europeu de Seleções

3
773

A manutenção entre as 12 seleções da I Liga será o objetivo da equipa nacional no Europeu de Seleções que se realizará entre sexta-feira e domingo em Sandnes, na Noruega, uma vez que uma alteração aos regulamentos levará a que sejam nada menos de cinco as seleções que descem à II Liga e apenas uma ascenderá à Superliga. Na origem desta mudança, está a passagem da Superliga de 12 para apenas 8 seleções a partir da próxima edição, em 2021. Este ano, tanto na Superliga como nas I e II Liga descerão as cinco últimas seleções e apenas subirá a vencedora.

Na I Liga, a ausência da Rússia (que foi despromovida da Superliga devido à suspensão que já se verificava há dois anos) levará a que apenas estarão 11 seleções em disputa, descendo as quatro últimas (8ª a 11ª).

Uma vez que a vitória na I Liga é tarefa demasiado difícil, Portugal terá como principal objetivo evitar um dos quatro últimos lugares. Nas últimas edições, a seleção foi sucessivamente 5ª, 8ª, 5ª e 6ª, pelo que apenas haverá que evitar repetir a classificação de 2014. Em 2017, na última edição, Portugal foi 5º, sendo depois relegado para 6º em função da posterior desclassificação (doping) de Hélio Gomes, por sinal um dos reforços da equipa deste ano.

Portugal defrontará as seleções da Bielorrússia e Holanda, despromovidas da Superliga, Turquia (4ª na I Liga em 2017), Noruega (5ª), Roménia (7ª), Irlanda (8ª) e Bélgica (9ª) e ainda as promovidas da II Liga Hungria (1ª), Eslováquia (2ª) e Lituânia (3ª).

Recorde-se que, há dois anos, saíram vencedores das respetivas provas, Diogo Ferreira (vara), Tsanko Arnaudov (peso) e Irina Rodrigues (disco), que estarão novamente na seleção, e ainda Patrícia Mamona (triplo), baixa de vulto de última hora, por lesão, sendo substituída por Evelise Veiga.

A Noruega, que alinhará em casa, contará com várias das principais vedetas desta competição: o recente recordista europeu de 400 m barreiras, Karsten Warholm, e os três irmãos Ingebrigtsen: Jakob (correrá os 1500 m), Henrik (3000 m) e Filip (5000 m).

Na 1ª jornada (6ª feira), disputar-se-ão as finais de martelo (M) e disco (F) e as eliminatórias de velocidade (100, 200 e 400 m) e barreiras (110/100 e 400 m). Todas as restantes finais serão realizadas sábado e domingo. Nas estafetas, haverá duas séries. Nos concursos, os atletas terão apenas direito a quatro ensaios e nos saltos em altura e com vara deixarão a prova ao 4º derrube no conjunto das alturas tentadas.

Alemanha favorita na Superliga

Entretanto, em Bygdoszcz, na Polónia, realizar-se-á a Superliga. A Alemanha, três vezes vencedora desde que a competição passou de Taça da Europa a Europeu de Seleções (a Rússia ganhou as restantes quatro) e três vezes segunda classificada, é novamente favorita. Defrontará (por ordem da classificação de há dois anos) Polónia (2ª), França (3ª), Grã-Bretanha (4ª), Espanha (5ª), Itália (6ª), Rep. Checa (7ª), Ucrânia (8ª), Grécia (9ª) e as promovidas Suécia (vencedora da I Liga), Finlândia (2ª) e Suíça (3ª).

3 Comentários

    • Caro Fernando,
      Não encontramos em lado algum a transmissão da competição.
      Cumprimentos,
      Manuel Sequeira

Deixar Resposta