Miranda do Corvo recebeu Volta Pedestre ao Minho com 90 participantes

0
213

Hélder Pinto e Ana Paula Santos foram este ano os anfitriões da 33ª Volta Pedestre ao Minho, este ano disputada entre 5 e 8 na região de Miranda do Corvo.

Para quem não está dentro da história da Volta, estranhará como sendo ela do Minho, se disputou este ano em Miranda do Corvo. A origem da Volta está naturalmente no Minho, tendo as primeiras edições sido realizadas durante nove dias, com etapas de manhã e à tarde. Houve depois um hiato e quando se voltou a realizar, passou a um novo formato, de quatro dias a partir da primeira 5ª feira de Setembro. E em vez de continuar a ser sempre no Minho, decidiu-se visitar uma região diferente em cada ano, mediante proposta de qualquer membro da Volta.

Foto Volta ao MInho 2019Foram quatro dias muito animados, com momentos para todos mais tarde recordarem. Hélder Pinto e Ana Paula, tudo fizeram para que a Volta fosse um êxito. Conseguiram-no conforme ficou demonstrado na prolongada salva de palmas no almoço/despedida.

Os participantes foram brindados com seis etapas, entre os 10 e os 12,5 km. Quem optou pelas caminhadas, teve entre 5 e 7,5 km. O programa do último dia foi alterado, sendo a etapa de 15 km substituída por uma caminhada entre o castelo da Lousã e a aldeia de Talasnal e regresso ao local de partida.

Percursos muito duros

Quanto aos percursos, houve uma ou outra situação com atletas perdidos por terem falhado as marcações mas venha a primeira Volta ao Minho onde ninguém se perca. A nossa única crítica tem a ver com a dureza e perigosidade de vários percursos, mesmo os das caminhadas. Boa parte da família da Volta já está na casa dos 70 anos ou quase a chegar lá. E pouco habituado a correr em trails, a exigir outro tipo de esforço como andar-se agarrado a cordas. Este é um importante pormenor a ter em conta em futuras edições.

Muito convívio

Volta ao Minho 2019 - grupoNão sendo as etapas competitivas, predomina o companheirismo e a entreajuda nas etapas, com a maior parte dos participantes a optar por correr em pequenos grupos.

Merece ainda destaque a visita ao Parque Biológico da Serra da Lousã, em Miranda do Corvo, uma agradável surpresa e que recomendamos a todos aqueles que visitem a região.

No total, tivemos 90 inscritos, com a maioria a participar desde o primeiro dia. Joaquim Viana foi o mais velho, com 78 anos mas a vender saúde. Se a maioria é sexagenária/septagenária, merece uma referência a participação das netas de Armando Silva, Marinho Beto e João Marques. Mas a grande “vedeta” deste ano foi Fernando Fachadas que ao fim de 12 anos de ausência, apareceu de surpresa na manhã de sábado e por lá andou até domingo.

Póvoa do Varzim em 2020

Não foi fácil arranjar alguém quem organizasse a Volta do próximo ano. Mas João Marques deu o passo em frente e será assim, um regresso à Póvoa do Varzim. Para 2021, Joaquim Martins ofereceu-se, pelo que durante dois anos, a Volta está assegurada.

Deixar Resposta