Nacional de Clubes/Benfica domina no dia do regresso de Marcos Chuva (7,67)

0
1661

Como era esperado, o Benfica dominou o segundo dia do apuramento do Nacional de Clubes, em Pombal, apenas não ganhando uma das 13 provas masculinas (João Fonseca foi desclassificado nos 800 m) e três das 13 femininas. Uma curiosidade: nos despiques diretos Benfica-Sporting, os “leões” tiveram vantagem 7-6 no setor feminino e o Benfica 8-5 no masculino. Os benfiquistas partiram em vantagem, já que sabiam as marcas da véspera dos seus adversários, embora neste apuramento o interesse está apenas em ficar entre os oito apurados para a I Divisão e as duas equipas tinham isso como adquirido. O SC Braga foi a segunda melhor equipa do segundo dia, como se esperava. Resta agora aguardar pela classificação oficial, que deverá ser divulgada esta segunda-feira e determinará a composição das I e II Divisões (8 equipas cada) para as finais de Braga, a 17 e 18 de fevereiro.

A grande curiosidade da tarde foi o regresso de Marcos Chuva, que concluiu uma suspensão de um ano devido a falhas na divulgação do paradeiro para efeitos de controlo anti-doping. O benfiquista ganhou o salto em comprimento com 7,67 (e outro ensaio a 7,65). Outro regresso à pista coberta foi o de Dulce Félix, folgada vencedora dos 3000 m em 9.25,29, naturalmente longe da sua valia. Duas surpresas: os 7,44 da júnior (de 1º ano) Delphine Nkansa, ainda belga, nos 60 m, a escassos dois centésimos do recorde nacional júnior de Lucrécia Jardim… que ela poderá atacar quando se naturalizar; e os 16,38 de Eliana Bandeira no peso, melhor que os 15,46 de Jéssica Inchude, que se limitou a dois ensaios (só um deles válido). A atleta do Benfica bateu o recorde pessoal em pista coberta (15,73), saltando para terceira de sempre, e tem 16,63 como melhor ao ar livre.

No setor masculino, nota ainda para as marcas de Diogo Antunes nos 60 m (6,78), Mauro Pereira nos 400 m (48,5 manuais) e Tsanko Arnaudov no peso (19,23). Uma outra curiosidade: na altura tanto Gerson Baldé como Francisco Barreto passaram 2,06 mas o sportinguista (Baldé) fê-lo à primeira. E, no triplo, tanto Sporting (Tiago Pereira) como Benfica (Paulo Conceição) apresentaram dois especialistas de salto em altura, embora aquele (15,98) se tenha dedicado bem mais ao triplo que este (14,35)…

Eis as melhores marcas deste apuramento, prova a prova:

MASCULINOS FEMININOS
Carlos Nascimento SCP 6,75 100 m Delphine Nkansa SLB 7,44
Mauro Pereira SLB 48,5m 400 m Cátia Azevedo SCP 54,06
Sandy Martins SCP 1.52,35 800 m Beatriz Rodrigues SCP 2.15,93
Isaac Nader SLB 3.53,54 1500 m Joana Soares AJS 4.32,93
Alexandre Figueiredo SLB 8.20,35 3000 m Dulce Félix SLB 9.25,29
Abdel Larrinaga SLB 8,06 60 bar. Olímpia Barbosa SCP 8,47
Gerson Baldé SCP 2,06 altura Anabela Neto SCP 1,82
Francisco Barreto SLB 2,06
Edi Maia SCP 5,25 vara Beatriz Batista SLB 3,65
Marcos Chuva SLB 7,67 comp. Evelise Veiga SCP 6,26
Tiago Pereira SCP 15,98 triplo Patrícia Mamona SCP 14,09
Tsanko Arnaudov SLB 19,23 peso Eliana Bandeira SLB 16,38
Miguel Rodrigues SLB 20.24,65 5/3 Km M Ana Cabecinha COP 13.08,66
SL Benfica SLB 3.17,90 4×400 m Sporting CP SCP 3.53,27

Deixar Resposta