Nelson Évora o melhor da época pelo 5º ano consecutivo

0
1317

Pelo 5º ano consecutivo (e pela oitava vez desde 2006), Nelson Évora foi o melhor atleta nacional da época de pista coberta, graças à sua medalha de prata no Europeu de Glasgow. Francisco Belo (sucedendo a Tsanko Arnaudov), quarto no Europeu e quase a atingir os 21 metros no peso, foi o segundo da época e o ex-cubano Raidel Acea, novo recordista nacional de 400 metros, fecha o nosso pódio.

Foi uma época positiva, tal como a anterior, beneficiando da reabertura da pista de Braga e da maior utilização da do CAR do Jamor. Das 13 provas consideradas (os 200 metros este ano quase não se realizaram), houve oito líderes do ano melhores contra apenas cinco piores (na vara, triplo, peso, heptatlo e marcha). Já ao nível dos 10º do ano houve equilíbrio (6 melhores, 7 piores), voltando a haver vantagem de 2019 no que se refere aos 20º: 7 melhores e 5 piores (heptatlo sem atletas suficientes).

Houve 11 subidas no top’10 nacional de sempre, entre as quais a de Pedro Pichardo, melhor do ano no triplo (17,32) mas com apenas uma prova realizada (Nacional de Clubes). Para além dos três atletas do nosso pódio do ano (e da confirmação João Coelho e revelação Gerson Baldé – ver adiante), há a salientar os progressos (7,64-7,86) de Ivo Tavares no comprimento, prova na qual repartiu a liderança com o regressado Marcos Chuva; e Manuel Dias no heptatlo (4769-5300 pontos), entre outros.

Para além do recorde dos 400 m, poderia ter caído o dos 4×400 m, prova na qual a equipa do Benfica, sem João Coelho (Mauro Pereira-José Tavares-Raidel Acea-V. Ricardo Santos) fez 3.12,89, a escassos 45 centésimos do recorde da mesma equipa, mas com Coelho em vez de Tavares, na época passada.

Nos escalões jovens, destaque para os recordes juniores no salto em altura de Gerson Baldé, com 2,14 e 2,15 (antes: Carlos Pereira, 2,13 em 2006), e iniciados de Sisínio Ambriz nos 60 m, com 7,14 e 7,07 (antes: Lionel Delgado, 7,14), e no comprimento, com 6,89 e 7,09 (antes: Fábio Martins, 6,64), e de Francisco Silva nos 800 m, com 1.59,80 (antes: Filipe Pedro, 2.00,12, desde… 1995).

Coletivamente, o Benfica confirmou o título da época passada e a Juventude Vidigalense regressou ao pódio (3º lugar). Nos escalões jovens, Benfica (sub’23 e juvenis) e Sporting (juniores) foram folgados campeões.

PÓDIO

1º NELSON ÉVORA (SPORTING)

Embora sem repetir o título de 2017 (Nazim Babayev, do Azerbeijão, com 17,29, foi uma surpresa), Nelson Évora voltou a estar ao melhor nível (atual) nas grandes competições, chegando aos 17,11 (a sua melhor marca anterior era de 16,77 na I Divisão).

2º FRANCISCO BELO (BENFICA)

Melhorou por duas vezes as suas melhores marcas de ar livre (20,86 em 2017 e 2018), chegando a 20,90 em Istambul e a 20,97 no Europeu de Glasgow, onde foi quarto. Deixou longe (20,21 como melhor) o seu companheiro de equipa Tsanko Arnaudov, até aqui superior.

3º RAIDEL ACEA (BENFICA)

Embora já com 45,18 ao ar livre em 2015, ainda cubano, não se esperava que ultrapassasse Vítor Ricardo Santos (47,14 em 2018; 47,44 agora) na luta pelo recorde nacional, face aos seus (apenas) 47,30 da época passada, ao ar livre. Mas fez 47,02 e 46,74 nas duas únicas provas que correu, melhorando o já antigo recorde nacional de Carlos Silva (46,80 em 1998).

A CONFIRMAÇÃO: JOÃO COELHO (BENFICA)

Fez sensação há um ano, ao conseguir 48,21 ainda júnior e com apenas cinco meses de treino. Confirmou na época de ar livre (47,24) e este inverno, melhorando para 47,48 e sendo já o quinto português de sempre. O recorde nacional sub’23 (46,87 de Carlos Silva) não está longe. Foi 2º no novo Campeonato do Mediterrâneo Sub’23.

A REVELAÇÃO: GERSON BALDÉ (SPORTING)

Este jovem (júnior) algarvio de Albufeira progrediu de 2,02 ao ar livre, na época passada (em representação da AA Bela Vista), para 2,07, 2,08, 2,14 e 2,15, batendo o recorde nacional de juniores e prometendo bem mais. Foi a grande revelação da época.

OS PÓDIOS ANUAIS DA REVISTA ATLETISMO

1996      1º Carlos Calado                  2º Nuno Fernandes              3º Carlos Silva

1997      1º Fernando Alves               2º Carlos Calado                  3º Mário Barbosa

1998      1º Carlos Calado                  2º Rui Silva                          3º Mário Aníbal

1999      1º Rui Silva                          2º Carlos Calado                  3º Rui Palma

2000      1º Rui Silva                          2º Mário Aníbal                    3º Jonas Mattes

2001      1º Rui Silva                          2º Carlos Calado                  3º Ricardo Alves

2002      1º Rui Silva                          2º Carlos Calado                  3º Rafael Gonçalves

2003      1º Rui Silva                          2º Luís Sá                             3º Carlos Calado

2004      1º Rui Silva                          2º Francis Obikwelu             3º Nelson Évora

2005      1º Gaspar Araújo                 2º Francis Obikwelu             3º Paulo Ferreira

2006      1º Nelson Évora                   2º Rafael Gonçalves             3º João Vieira

2007      1º Nelson Évora                   2º João Vieira                       3º Arnaldo Abrantes

2008      1º Nelson Évora                   2º Marco Fortes                    3º Paulo Gonçalves

2009      1º Rui Silva                          2º Marco Fortes                    3º Arnaldo Abrantes

2010      1º Marco Fortes                   2º Bruno Albuquerque         3º Marcos Caldeira

2011      1º Francis Obikwelu            2º Marco Fortes                    3º Rui Silva

2012      1º Marco Fortes                   2º Edi Maia                          3º Marcos Chuva

2013      1º Marco Fortes                   2º Hélio Gomes                    3º Rasul Dabo

2014      1º Edi Maia                          2º Marco Fortes                    3º Rasul Dabo

2015      1º Nelson Évora                   2º João Almeida                   3º Yazaldes Nascimento

2016      1º Nelson Évora                   2º Paulo Conceição              3º Samuel Remédios

2017      1º Nelson Évora                   2º Tsanko Arnaudov            3º Francisco Belo

2018      1º Nelson Évora                   2º Tsanko Arnaudov            3º Samuel Remédios

2019      1º Nelson Évora                   2º Francisco Belo                 3º Raidel Acea

RECORDES NACIONAIS DE PISTA COBERTA BATIDOS EM 2018/19

ABSOLUTOS

400 m           Raidel Acea (SL Benfica)                   46,74          Madrid            08-02-2019

SUB’23

4×400 m       SL Benfica                                    3.15,33          Pombal            03-03-2019

(Paulo Soares-José C. Pinto-João Coelho-Mauro Pereira)

JUNIORES

Altura           Gerson Baldé (Sporting CP)             2,14          Braga              24-02-2019

Altura           Gerson Baldé (Sporting CP)             2,15          Pombal            03-03-2019

INICIADOS

60 m             Sisínio Ambriz (SL Benfica)         7,14 (=)          CAR Jamor     19-01-2019

Comp.           Sisínio Ambriz (SL Benfica)              6,89          Madrid            09-02-2019

Comp.           Sisínio Ambriz (SL Benfica)               7,09          CAR Jamor     16-02-2019

60 m             Sisínio Ambriz (SL Benfica)               7,07          CAR Jamor     23-02-2019

800 m           Francisco Silva (EA Rosa Oliveir  1.59,80          Braga              02-03-2019

MELHORES DO ANO PROVA A PROVA       

  

60 m Carlos Nascimento SCP 6,69
200 m André Marques SCP 22,17
400 m Raidel Acea SLB 46,74
800 m José Carlos Pinto SLB 1.49,22
1500 m Paulo Rosário SCP 3.43,37
3000 m Eduardo Mbengani SCP 8.06,15
60 bar. Rasul Dabo SCP 7,77
altura Victor Korst SLB 2,15
Tiago Pereira SCP 2,15
Paulo Conceição SLB 2,15
Gerson Baldé SCP 2,15
vara Diogo Ferreira SLB 5,5
comp. Marcos Chuva SLB 7,86
Ivo Tavares SLB 7,86
triplo Pedro Pichardo SLB 17,32
peso Francisco Belo SLB 20,97
hept/pent Manuel Dias SLB 5300
5/3 km M João Vieira SCP 19.47,38
4×400 m SL Benfica SLB 3.12,89

            Atleta estrangeiro com melhor marca: 60 bar. – João Oliveira BRA (SLB) 7,71

Rankings completos: http://atletismo-estatistica.pt/anuais/absolutos-p-cob-2019-m-word/

SUBIDAS NO TOP’10 NACIONAL DE SEMPRE

1º   Raidel Acea              SLB       400 m         46,74

2º   Pedro Pichardo         SLB       triplo           17,32

2º   Francisco Belo          SLB       peso            20,97

5º   João Coelho              SLB       400 m         47,48

5º   Gerson Baldé           SCP       altura           2,15

5º   Ivo Tavares               SLB       comp.         7,86

5º   Manuel Dias             SLB       heptatlo       5300

6º   Ícaro Miranda           SLB       vara            5,40

6º   Abdel Larrinaga       SLB       heptatlo       5274

10º José C. Pinto            SLB       800 m         1.49,22

10º Adriano Lopes         SCB      peso             16,47

SUBIDAS NO TOP’5 SUB’23 DE SEMPRE

3º   João Coelho              SLB       400 m         47,48

3º   Gerson Baldé           SCP       altura           2,15

4º   Manuel Dias             SLB       heptatlo       5300

5º   José C. Pinto            SLB       800 m          1.49,22

SUBIDAS NO TOP’5 JÚNIOR DE SEMPRE

1º   Gerson Baldé           SCP       altura           2,15

2º   Edgar Campre          SLB       heptatlo       5234

3º   Nuno Pereira            SCP       1500 m       3.48,22

4º   Nuno Pereira            SCP       800 m         1.50,22

4º   Gonçalo Veloso        SLB       altura           2,10 4º   André Pimenta         JV          comp.         7,33

SUBIDAS NO TOP’5 JUVENIL DE SEMPRE

2º   Sisínio Ambriz          SLB       comp.         7,09

2º   Guilherme Almeida  EM        heptatlo       4671

5º   João Oliveira            AF         heptatlo     4431

Amanhã: balanço da época feminina de pista coberta

Deixar Resposta