Norte-americana de 103 anos ainda corre

0
835

A norte-americana Julia Hawkins bateu mais um recorde na sua curta carreira de corredora amadora. Aos 103 anos de idade, ela tornou-se a mulher mais velha a participar oficialmente numa competição nos Estados Unidos, ao disputar as provas de 50 e 100 metros nos Jogos Nacionais Masters, em Albuquerque.

Julia começou a correr quando tinha cem anos depois de perceber que estava muito velha para pedalar, paixão que tem há muito tempo.

“A primeira vez, fui para olhar e tentar. Eram 50 metros. Foi muito divertido e logo me apaixonei pela corrida.”

Aos 101 anos de idade, Julia colocou pela primeira vez o seu nome num recorde. Ela correu os 100 metros em 39,62, estabelecendo o melhor tempo no seu escalão, ganhando assim a alcunha de “Hurricane”, ou “Furacão”.

Este ano, o tempo não foi tão bom. Ela demorou mais seis segundos que o recorde de há dois anos atrás. Quando lhe perguntaram sobre o resultado, ela afirmou divertidamente que era normal, afinal dois anos na sua idade fazem muita diferença.

Quanto ao seu apelido, “Hurricane”, Julia diz que não gosta tanto. Ela descreveu-se na realidade com uma flor de pessoa, pois as flores não fazem mal como os furacões.

Julia usa sempre uma flor no seu cabelo, até mesmo quando está a correr. “Preferia que me chamassem “Flor” e não “Furacão”, disse.

Na sua vida,  Julia leva o exercício a sério. Todos os dias, ela sai para passear com o seu cão pelas ruas de Baton Rouge e regar as suas plantas. Mas diz que não treina com tanta frequência, pois sente que  tem poucos créditos de corrida para gastar, e quer usá-los bem.

Nos seus tempos livres, ela lê. Gosta de histórias que emocionam e tem vários bonsais, que a deixam ocupada por um bom tempo. Também sai quase todos os dias para almoçar com as suas amigas.

“Mantenha-se em forma se puder. Tenha muita paixão pela vida e procure sempre pelos momentos mágicos. Isso foi algo que fiz em toda a minha vida. Pense nos momentos mágicos da sua vida, como a música, pessoas que você ama, o pôr do sol, os pássaros. Todos esses, são momentos mágicos e são de graça para todos. Por isso, fique sempre atento a eles”, aconselhou numa entrevista ao New York Times.

 

Deixar Resposta