Os três maiores erros dos corredores

0
1670

Algumas tendências no treino ajudam a explicar o sucesso dos melhores corredores, mas também o fracasso daqueles que não conseguem atingir os seus próprios objetivos.

Quais são então as três principais razões para que os corredores não consigam atingir os seus objetivos?

1- Lesão

É difícil encontrar um corredor que nunca tenha tido uma só lesão causada pela corrida. Estudos indicam que 80% dos corredores têm pelo menos uma lesão ao longo da época. Se falarmos em maratonistas, essa estatística piora e muito, 20% das pessoas que se inscrevem numa maratona, nunca chegam a começá-la por se lesionarem durante os treinos.

Se obter os seus resultados de maneira saudável já é desafiador, imagine ter que deixar de treinar por estar lesionado!

Mas não é fácil evitar as lesões. Elas convivem com o corredor a todo o momento mas se ele treinar de forma correta, pode virtualmente eliminar o risco de sofrer lesões.

2- Treino de baixa qualidade

Muitos corredores não conseguem atingir os seus objetivos pois realizam um treino de baixa qualidade e pouco específico para as suas provas alvo.

Treino específico, é o treino que tem como objetivo gerar as adaptações fisiológicas necessárias para que o seu corpo esteja preparado para a sua prova alvo. Eles devem acontecer entre 4/6 semanas antes do seu objetivo principal da temporada. O problema é que para conseguir realizar os treinos específicos com qualidade, o corredor deve fazer um treino preparatório antes, o chamado treino de base, e muitos falham em realizar uma boa base.

Se o corredor conseguir realizar os seus treinos específicos com qualidade, ele conseguirá provavelmente competir melhor pois estará com uma preparação física mais evoluída.

Outro fator que interfere na performance é a execução correta dos treinos. Mesmo quem tem um treinador, falha muitas vezes em tentar executar o treino de maneira correta. Como numa sessão de séries em que a primeira foi forte demais e teve que interromper a série a meio do caminho. Ou num treino de endurance, onde resolveu acelerar para treinar com um colega que tinha um treino totalmente diferente do seu, ou ainda quando resolveu acelerar o ritmo pois foi ultrapassado por um desconhecido a meio do seu treino.

Por experiência, os atletas que conseguem executar o treino proposto de maneira mais fiel ao recomendado, evoluem mais e assim conseguem os melhores resultados.

3- Muito stresse

Boa parte da população tem muitas tarefas no dia a dia. Trabalho, família, treino, trânsito, filhos, cão, igreja, etc. Vamo-nos desdobrando para conseguir fazer o máximo de coisas possíveis. Cada uma das nossas tarefas gera um pouco de stresse na nossa vida e o nosso corpo só consegue tolerar uma certa quantidade de stresse.

Uma vez que esse limite é ultrapassado, a nossa performance fica prejudicada. Muitas vezes, esse excesso de stresse resulta em baixa imunidade com as consequentes doenças.

Se uma área da nossa vida está exigindo demasiado de nós, certamente que alguma das outras tarefas terá de ser sacrificada para compensar. Então, quem fica muitas vezes para trás é o treino.

Os corredores que se mantém por mais tempo a treinar e têm bons resultados, são mais capazes de equilibrar as atividades da sua vida, de forma a não impactar tanto o treino. Às vezes, isso significa ter que treinar um pouco menos, mas manter a regularidade ao longo do tempo. Outras vezes, significa ouvir o próprio corpo e reajustar a realidade dos treinos ao longo da temporada.

Conclusão

Correr não precisa de ser complicado.  Basta ter um bom plano de treino, cumpri-lo de maneira correta e respeitar o equilíbrio entre o stresse e o descanso, modificando a rotina de treinos quando for necessário.

Deixar Resposta