Patrícia Mamona começa bem… no comprimento (6,34)

0
83

Embora não ganhando a prova, Patrícia Mamona foi a principal figura da Taça AAL de Saltos, realizada no CAR do Jamor, ao conseguir um recorde pessoal de 6,34 no comprimento (mais seis centímetros que a sua marca anterior de 2017, igualmente em pista coberta), subindo a 5ª de sempre (em pista coberta) e 9ª de sempre (considerando também o ar livre). A prova foi ganha pela cubana Yariadmis Arguelles, este ano no Sporting, com 6,36.

No setor masculino, destaque para Tiago Pereira, vencedor do salto em altura (2,08), à frente de Francisco Barreto (2,05), do júnior Gonçalo Veloso (2,02) e de… Paulo Conceição (“apenas” 2,02). Tiago esteve mal no triplo (15,52), atrás de Carlos Veiga (15,79). Na vara, Ícaro Miranda (5,10) voltou a derrotar Edi Maia (5,00).

Nos lançamentos, realizados na vizinha pista 2 do Estádio Nacional, vitórias para Jéssica Inchude no peso (16,14), com Francislaine Serra (15,54) perto do seu melhor (15,72); Edujose Lima no disco (55,78), à frente de Emanuel Sousa (52,30); e Mykyta Sudashov no peso (14,68).

SC Braga sagrou-se campeão do Norte

Depois de um ano sem competição, o pavilhão de Braga, que funcionara todos os anos desde 1987, reabriu as portas ao atletismo com a realização do Campeonato do Norte, ganho coletivamente pelo SC Braga e que proporcionou três títulos e um recorde regional a Shaina Mags: 7,72 nas barreiras (além de 5,78 no comprimento e 12,77 no triplo). Destaque ainda para Mariana Machado, folgada vencedora dos 800 m (2.12,70 contra 2.16,75 da juvenil Ana Costa, que ganhou os 400 m em 57,52); e para Ana Sofia Silva, que passou 1,64 na altura. No setor masculino, as melhores marcas pertenceram a Marcos Maio (2,03 na altura) e Adriano Lopes (15,61 no peso), merecendo ainda realce o despique nos 800 m entre os juniores João Peixoto (1.55,19) e Pedro Vilas Boas (1.55,67).

Tomaram parte, extra-competição, alguns primeiros (e segundos) planos nacionais como Paulo Rosário (3.50,60 aos 1500 m), Frederico Curvelo (6,82 nos 60 m), Diogo Guerra (8,63 nas barreiras) e Beatriz Batista (3,60 na vara).

Deixar Resposta