Pichardo melhor europeu do ano (mas 5º mundial)/Mariana Machado melhor júnior europeia

0
173

Com o ano quase no final, já é possível antecipar os rankings anuais das várias especialidades e verificar que o ex-cubano Pedro Pichardo será novamente o melhor triplista europeu do ano, com os 17,62 alcançados, marca que, no entanto, o coloca “apenas” como quinto no ranking mundial que ele liderou em 2018 (o seu primeiro ano como português), com os 17,95 então alcançados. Nelson Évora foi o 5º europeu (e 20º mundial) no triplo (com 17,13). O norte-americano Will Claye, com os sensacionais 18,14 alcançados em junho, em Long Beach, lidera o ranking mundial e o turco Necati Er, com 17,37 (bem aquém dos 17,62 de Pichardo), é o segundo europeu. Outro português em posições de destaque é o marchador João Vieira, vice-campeão mundial de 50 km, que conseguiu como melhor 3h46m38s, marca que o coloca como 5º europeu e 17º mundial nos rankings.

Recorde-se que Portugal já liderou os rankings mundiais nove vezes, através de Fernando Mamede (4), Carlos Lopes (2), Manuel Dias (primeiro maratonista em… 1937), António Pinto e Pedro Pichardo. E em oito ocasiões, houve atletas portugueses em segundos lugares, nomeadamente Nelson Évora, segundo no triplo três vezes, entre 2007 e 2009.

No setor feminino, são também três as atletas que conseguem posições nos top’10 europeus e top’20 mundiais em 2019. A marchadora Inês Henriques, que em 2017 liderara o ranking mundial de 50 km e em 2018 fora terceira (e melhor europeia) desceu agora, com o seu tempo de 4h13m57s, para 6ª europeia e 12ª mundial do ano. No triplo, Patrícia Mamona, com 14,44, e Susana Costa, com 14,43, ambas em pista coberta, são, respetivamente, as 7ª e 8ª europeias e 14ª e 15ª mundiais do ano. Exceto na época passada, Patrícia Mamona tem estado desde 2014 entre as melhores, com destaque para os 2º e 3º lugares europeus de 2017 e 2016, respetivamente.

Recorde-se que Portugal já esteve oito vezes na liderança dos rankings femininos, cinco das quais por Fernanda Ribeiro e as outras por Rosa Mota, Naide Gomes e Inês Henriques.

Dois sub’23 no top’20

No escalão de sub’23, são apenas dois os portugueses com classificações de relevo: Salomé Afonso é a 6ª europeia do ano nos 1500 m, com 4.11,62; Décio Andrade é o 18º europeu (e mundial!) no martelo, com 70,42. Na história deste escalão, a nota principal vai para os recordes europeus de Rui Silva. Foi 20 anos recordista de 1500 m, com os 3.30,88 conseguidos 1999, marca batida apenas este ano pelo norueguês Jakob Ingebrigtsen, com 3.30,16. Mas Rui Silva continua recordista europeu da milha, com os 3.50,91 conseguidos igualmente em 1999. Também já lideraram rankings europeus de sub’23: Carlos Silva nos 400 m barreiras (49,09 em 1996), Nelson Évora no triplo (17,23 em 2006), Arnaldo Abrantes nos 200 m (20,48 em 2007), Inês Monteiro nos 5000 m (15.29,98 em 2001) e Patrícia Mamona no triplo (17,12 em 2010).

Mariana Machado em foco

Mariana MachadoA nível de juniores, Mariana Machado esteve em grande evidência, já que foi a líder europeia do ano nos 1500 (4.10,61) e 3000 m (8.58,61) e a segunda nos 5000 m (16.01,14). A nível mundial, foi a quarta nos 1500 m e a sexta nos 3000 m. No setor masculino, houve nada menos de seis juniores no top’10 europeu e/ou top’20 mundial, com destaque para o dardista Leandro Ramos com os seus 77,52 do recorde de Portugal, marca que o colocou como quinto europeu e oitavo mundial júnior do ano. Gelson Baldé (2,17 na altura) e Etson Barros (8.59,12 nos obstáculos) foram sextos europeus, Nuno Pereira (1500 m) e Duarte Gomes (10000 m) foram sétimos e este, nos 5000 m, foi décimo europeu do ano. No decatlo, Edgar Campre foi o 20º mundial do ano.

Na história dos juniores, houve dois que brilharam a grande altura. Anacleto Pinto chegou a ser (na estatísticas…) recordista europeu de juniores de 10000 m em 1967 (com 30.05,08), embora à época, os recordes juniores não fossem oficialmente reconhecidos. E foi o melhor júnior europeu desse ano nos 5000 m, com 14.11,2. Susana Feitor foi a melhor júnior europeia do ano nos 5000 m marcha em 1990 (ainda iniciada, com apenas 15 anos!), 1991 e 1993 (acumulando neste ano com a liderança mundial). Além de Anacleto e Susana, mais cinco atletas lideraram rankings juniores europeus antes de Mariana Machado: Carlos Silva nos 400 m barreiras em 1983, Rui Silva nos 1500 m em 1996, João Pires nos 800 m em 1998 e, no setor feminino, Liliana Cá em 2005 e Irina Rodrigues em 2010, ambas no disco.

Sem juvenis

Não houve este ano, juvenis portugueses no top’10 europeu e/ou top’20 mundial. Mas, na história, houve duas juvenis que brilharam especialmente: Susana Feitor foi a melhor juvenil mundial em 3000 m marcha entre 1990 e 1992; Marisa Carvalho chegou a recordista europeia juvenil de 100 m barreiras em 2016, recorde que perdurou durante um ano. E foi dela a melhor marca mundial desse ano. Outros líderes europeus foram Milton Dias em 400 m barreiras (2003), Carla Sacramento em 800 m (1988), Patrícia Lopes nos 400 m barreiras (1999) e Irina Rodrigues no disco (2008).

Poderá ver mais curiosidades sobre presenças portuguesas nos top estatísticos europeus e mundiais em www.atletismo-estatistica.pt (rankings anuais).

ATLETAS NO TOP’10 EUROPEU E/OU TOP’20 MUNDIAL DE 2019:
Absoluto (M):
M E Atleta Prova Marca
Pedro Pichardo triplo 17,62
17º João Vieira 50 km M 3.46.38
20º Nelson Évora triplo 17,13
Absolutos (F):
M E Atleta Prova Marca
12ª Inês Henriques 50 km M 4.13.57
14ª Patrícia Mamona triplo 14,44pc
16ª Susana Costa triplo 14,43pc
Sub’23 (M):
M E Atleta Prova Marca
18º Décio Andrade martelo 70,42
Sub’23 (F):
M E Atleta Prova Marca
26ª Salomé Afonso 1500 m 4.11,62
Juniores (M):
M E Atleta Prova Marca
Leandro Ramos dardo 77,52
16º Gelson Baldé altura 2,17
Etson Barros 3000 ob. 8.59,12
Nuno Pereira 1500 m 3.43,53
Duarte Gomes 10000 m 31.14,96
10º Duarte Gomes 5000 m 14.16,60
20º Edgar Campre decatlo/j 7328
Juniores (F):
M E Atleta Prova Marca
Mariana Machado 1500 m 4.10,61
Mariana Machado 3000 m 8.58,61
Mariana Machado 5000 m 16.01,14
Juvenis (M): não há
Juvenis (F): não há

Deixar Resposta