Porque não devo subestimar a minha dor?

0
2635

Porque quanto mais espera, mais grave fica. A dor é uma sensação criada pela sua cabeça para lhe dizer que algo está errado. Sabe quando sente uma dor nas costas e pára por um momento para respirar, mexer e esticar? Pois é o seu inconsciente dizendo-lhe para fazer isso, que realmente funciona, alivia. E o movimento é a cura para a maioria das suas dores. O movimento das articulações, músculos, ossos e até vísceras proporcionam a homeostasia (equilíbrio) do organismo. Então o primeiro conselho é: aprenda a escutar e a respeitar o seu corpo e dê a ele, o que ele pede.

Se sente dor no dia todo, provavelmente, há muito tempo que já não escuta o seu corpo. Não é normal sentir dor assim. Realmente, temos dores que passam de um dia para o outro. Isso porque o nosso corpo, desde que saudável, tem a capacidade de se recuperar de qualquer agressão sofrida (salvo os casos que tiveram perda de continuidade dos tecidos como fraturas e rupturas de tendão, por exemplo). Já quando uma dor é persistente e evolutiva, é quando essa capacidade de recuperação do nosso corpo está abaixo da sua necessidade. E é justamente nesse quadro que nos devemos questionar para a necessidade de procurar ajuda de um profissional. Dores que duram mais de 15 dias, que se mantêm ou pioram com o tempo. Alguns pontos merecem atenção redobrada, como dor em articulações ou dor irradiada. Estas tendem a ser de difícil resolução.

Seja rápido no combate às causas da dor!

Agora, se sente a mesma dor há muito tempo e ela vai sempre piorando, significa que a lesão também está piorando.

Vejamos um exemplo: sente dor na cervical há algumas semanas, principalmente no final do dia de trabalho, quando fica muito tempo em frente ao computador.

Se já nos primeiros 15 dias, procura ajuda e foi identificado que tem uma disfunção vertebral, e que fatores como posição do monitor e do teclado estão errados, isso pode ser facilmente resolvido. No entanto, não procurou ajuda e o quadro estende-se por meses. Esse quadro é propício para a formação de osteófitos (bico de papagaio), hérnia ou protusão discal. Ainda pode evoluir para dor irradiada para os braços, dor de cabeça, alterações hormonais e várias outras alterações.

Porém agora, o tratamento antigo já não é mais suficiente para corrigir o que precisa. Agora os tecidos foram lesados e já não tem cura, só controle. Agora, precisa muito mais esforço, dinheiro e o tempo que economizou lá atrás não procurando ajuda, terá que pagar com juros. E talvez tenha que se submeter a uma cirurgia e ainda não tendo a garantia de que ficará bom. Pois o quadro que o levou a isso ainda estará presente.

Não subestime a sua dor!

Aprenda a escutar e a espreitar o seu corpo!

Deixar Resposta